Notícias Naturais

A vitamina D é bem conhecida por ter uma ampla gama de efeitos benéficos no corpo humano. A chamada “vitamina do sol” é responsável por uma melhor saúde óssea, um sistema imunológico mais forte, uma função pulmonar melhorada e um coração mais saudável. A deficiência de vitamina D está ligada a um maior risco de hipertensão (pressão alta), e também é conhecida por impactar negativamente a produção de insulina entre pessoas com diabetes tipo 2.

Um novo estudo sugere que a vitamina D também pode afetar a mente. Em particular, a deficiência de vitamina D pode ter efeitos cognitivos adversos, como falta de memória e até esquizofrenia.

A vitamina D pode prevenir doenças relacionadas à memória

Pesquisadores do University of Queensland Brain Institute passaram 20 semanas observando ratos adultos privados de vitamina D e um grupo controle. Eles descobriram que ratos com deficiência de vitamina D tiveram um desempenho ruim em testes cognitivos. Os camundongos deficientes em vitamina tiveram dificuldade em aprender coisas novas e exibiram pouca memória a curto prazo.

Exames cerebrais mostraram que os roedores tiveram uma redução nas redes perineuronais no hipocampo. “Essas redes formam uma malha forte e de suporte em torno de certos neurônios e, ao fazer isso, estabilizam os contatos que essas células fazem com outros neurônios“, disse o pesquisador-chefe Thomas Burme. “Como os neurônios do hipocampo perdem suas redes perineuronais de suporte, eles têm problemas para manter conexões, e isso acaba levando à perda da função cognitiva“.

Burme acrescentou: “Também houve uma redução acentuada no número e na força das conexões entre os neurônios no hipocampo“.

O hipocampo é uma pequena área do cérebro associada principalmente à formação da memória. Também está ligado à navegação espacial, memória espacial e inibição comportamental.

Infelizmente, exatamente como a vitamina D influencia a estrutura e a função do cérebro não é bem compreendida, então ainda não está claro como a deficiência causa problemas“, disse Burne. Os autores acreditavam que a deficiência de vitamina D afeta as redes perineuronais, tornando-as mais vulneráveis ​​à ação degradante das enzimas.

Burne e sua equipe também sugeriram que a função prejudicada do hipocampo devido à deficiência de vitamina D pode ser responsável por alguns sintomas observados em pacientes com esquizofrenia, incluindo perda de memória e distorções cognitivas. Um estudo mais aprofundado pode ter implicações terapêuticas para esses sintomas esquizofrênicos.

O próximo passo é testar esta nova hipótese sobre a ligação entre deficiência de vitamina D, redes perineuronais e cognição“, disse Burne.

A importância de tomar vitamina D em quantidade suficiente

A vitamina D é um dos nutrientes essenciais necessários ao organismo para funcionar corretamente. É importante evitar a deficiência de vitamina D por estes motivos:

* Ossos mais fortes: A vitamina D ajuda o corpo a regular o cálcio, mantendo os níveis de fósforo no sangue. Também melhora a absorção de vitamina D no intestino. Isso torna a vitamina D crucial para ossos fortes e saudáveis.
* Melhor sistema imunológico: Um estudo deu às crianças 1.200 Unidades Internacionais (UI) de vitamina D por quatro meses e observou um risco reduzido de infecção por influenza A para essas crianças em mais de 40%.
* Reduz o risco de diabetes tipo 2: A deficiência de vitamina D entre as pessoas com diabetes tipo 2 está relacionada à menor secreção de insulina e tolerância à glicose. Um estudo que acompanhou crianças que receberam 2.000 UI de vitamina D diariamente observou um risco 88% menor de desenvolver diabetes tipo 2 aos 32 anos.

Entre as doenças ligadas à deficiência de vitamina D estão doenças cardiovasculares, hipertensão, esclerose múltipla, autismo, Alzheimer, artrite reumatoide, asma e gripe suína.

A seguir, detalhamos a ingestão diária recomendada de vitamina D, de acordo com o Instituto de Medicina dos EUA (OIM):

* Bebês de 0 a 12 meses: 400 UI (10 microgramas [mcg])
* Crianças de 1 a 18 anos: 600 UI (15 mcg)
* Adultos até 70 anos: 600 UI (15 mcg)
* Adultos com mais de 70 anos: 800 UI (20 mcg)
* Mulheres grávidas ou amamentando: 600 UI (15 mcg)

Leia mais:

Você Está Deficiente em Vitamina D?

Você Precisa de Quantidades Adequadas de Magnésio para Absorver a Vitamina D – Estudo

Fontes:
Natural News: Vitamin D supplementation found to prevent decline in memory and learning, research finds
– Medical News Today: Vitamin D and brain health: New mechanism may explain link
– Trends in Neurosciences: Vitamin D in Synaptic Plasticity, Cognitive Function, and Neuropsychiatric Illness
Medical News Today: Vitamin D deficiency increases schizophrenia risk
– Medical News Today: What are the health benefits of vitamin D?

1 Comment

  • Sandra disse:

    Vitaminas são ótimas quando realmente necessárias e prescritas pelo médico, após avaliação de sua carência no organismo do paciente. Uma alimentação saudável, atividades físicas, ingesta adequada de líquidos e sol pela manhã já contribuem para condições físicas ideais sem a necessidade de medicamentos e/ou complementos nutricionais. Isso porque assim como existem os viciados em cigarro e álcool, há os que se entopem de vitaminas, por conta própria, para se prevenirem de doenças, mas acabam ficando doentes justamente pela ingesta inadequada e desnecessária delas. “Prudência e caldo de galinha não fazem mal a ninguém”, se bem que, na condição de VEGANA, reconheço que o caldo de galinha faz muito mal à galinha, sim, coitada, porque matam ela.
    https://gauchazh.clicrbs.com.br/saude/vida/noticia/2013/08/excesso-de-vitaminas-pode-causar-problemas-para-a-saude-4236638.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site