Notícias Naturais

Ataque cardíaco e acidente vascular cerebral são frequentemente considerados como condições associadas à velhice. No entanto, embora as estatísticas indiquem que os números de ataques cardíacos em pessoas idosas estão diminuindo, esses números estão, na verdade, aumentando a um ritmo alarmante em pessoas mais jovens.

Conforme relatado pelo Everyday Health, a pesquisa discutida na Annual Scientific Session do American College of Cardiology, realizada em março deste ano, revelou que os ataques cardíacos em adultos com menos de 40 anos aumentaram em média 2% ao ano entre 2006 e 2016.

Isso é chocante, considerando o fato de que a maioria dos ataques cardíacos pode ser evitada.

‘Estamos nos movendo na direção errada’

Especialistas salientam que, embora algumas pessoas estejam predispostas a certas condições cardíacas, a pessoa média nunca teria que enfrentar um ataque cardíaco se fizesse as escolhas certas de estilo de vida. Isto é especialmente verdadeiro para pessoas mais jovens.

Por essa razão, médicos especialistas estão seriamente preocupados com o padrão de aumento de ataques cardíacos em pacientes jovens.

Costumava ser extremamente raro ver alguém com menos de 40 anos ter um ataque cardíaco“, observou o Dr. Ron Blankstein, principal autor do estudo, que trabalha como cardiologista preventivo no Brigham and Women’s Hospital e também é professor associado da Harvard Medical School. “Com base no que estamos vendo, parece que estamos nos movendo na direção errada“.

Para sua análise, os pesquisadores revisaram dados obtidos de 2.000 sobreviventes de ataques cardíacos com menos de 50 anos.

O Everyday Health relatou:

Angiogramas de pacientes (raios X de vasos sanguíneos) revelaram que os pacientes cardíacos mais jovens eram mais propensos a ter danos em apenas um vaso, sugerindo que a doença ainda era precoce e confinada.

Ainda assim, o estudo descobriu que o grupo mais jovem de pacientes teve um número semelhante de desfechos negativos de saúde como o grupo mais velho. Estes incluíram morrer de outro ataque cardíaco ou derrame ou qualquer outro motivo.

O grupo muito jovem também teve mais incidentes de dissecção espontânea da artéria coronária (uma ruptura na parede do vaso). Esta é uma condição rara que tende a ser mais comum em mulheres, especialmente durante a gravidez.

Blankstein expressou preocupações de que os médicos podem não estar tratando pacientes mais jovens tão agressivamente quanto os mais velhos, porque eles percebem que eles estão em menor risco.

Ele também observou que os próprios jovens tendem a ignorar os sinais de alerta porque também acreditam que o risco de ataque cardíaco é baixo.

Na maior parte, esses não são ataques cardíacos que estão acontecendo do nada“, disse ele. “Eles estão acontecendo em pessoas que têm fatores de risco subjacentes, mas às vezes não percebem que estão em risco porque são jovens e acham que podem ser invencíveis“.

O melhor para a sua saúde você encontra na Tudo Saudável Produtos Naturais

Ataques cardíacos quase sempre podem ser evitados

A maioria dos ataques cardíacos é totalmente evitável através de escolhas simples de estilo de vida. Estes incluem exercícios moderados regulares; comer uma dieta saudável rica em alimentos frescos e não processados; ingestão moderada de álcool; manter um peso saudável; e evitando substâncias que destroem o coração, como cigarros e drogas.

Fumar é definitivamente um dos principais fatores de risco quando se trata de ataques cardíacos em pacientes mais jovens. De fato, cerca de 50% de todos os participantes do estudo que sofreram um ataque cardíaco eram fumantes. E os mais jovens devem estar cientes de que os cigarros eletrônicos apresentam riscos semelhantes.

Outro fator que contribui para o risco de ataque cardíaco é a diabetes, com cerca de 20% dos pacientes jovens com ataque cardíaco sendo diabéticos. Obviamente, a obesidade eleva o risco de desenvolver diabetes em primeiro lugar.

Vivemos em um mundo cada vez mais agitado, carregado de estressores. No entanto, fazer as escolhas corretas no estilo de vida e concentrar-se na redução do estresse pode fazer uma diferença real na qualidade de vida e reduzir o risco de doenças sérias e potencialmente fatais, como o ataque cardíaco.

Leia mais:

Ataques Cardíacos são Mais Mortais para as Mulheres Porque a Medicina Tradicional não Reconhece Seus Sintomas

[Estudo] Analgésicos “Inofensivos” Como Ibuprofeno, Agora Associados a um Enorme Aumento do Risco de Ataque Cardíaco Súbito

Fontes:
– Natural News: Heart attack rates are increasing among those under 40, according to disturbing new study
– Everyday Health: Heart Attacks Increasingly Strike Those Under 40
– Everyday Health: How to Prevent a Heart Attack

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site