Notícias Naturais

Quando experimentam uma reação alérgica, o primeiro pensamento de muitas pessoas é que ele deve estar conectado a algo que eles comeram. Embora seja verdade que as alergias alimentares estão em ascensão, há outro potencial culpado que muitas pessoas negligenciam: a medicação.

Um grande motivo pelo qual muitas pessoas não conseguem fazer a conexão é porque não sabem que muitos medicamentos contêm ingredientes inativos que podem ser problemáticos. De fato, um estudo recente realizado por pesquisadores de Massachusetts descobriu que mais de 90% dos medicamentos podem desencadear reações alérgicas em pessoas por causa de seus ingredientes inativos.

Dado o seu potencial alérgico, você pode estar se perguntando por que os fabricantes incluem esses ingredientes em suas pílulas, em primeiro lugar. Alguns desses ingredientes estão lá para fazer seu corpo absorver o medicamento mais facilmente ou para estabilizar o composto usado, enquanto outros são usados ​​para melhorar o sabor ou a aparência do medicamento.

A formulação de alguns medicamentos contém ingredientes que foram derivados de produtos de trigo, o que pode ser muito problemático para pessoas alérgicas ao glúten. Na verdade, foi uma pessoa com uma reação grave da doença celíaca ao omeprazol, um inibidor de ácido, que inspirou o estudo em primeiro lugar.

Os pesquisadores descobriram que 93 por cento de todos os medicamentos contêm alérgenos, como lactose, óleo de amendoim e corantes. Quase todas as pílulas estudadas continham ingredientes que algumas pessoas não podem tolerar, como a lactose, enquanto mais da metade também tem açúcares FODMAP que podem causar problemas digestivos em pessoas com problemas como a síndrome do intestino irritável. Para alguns tipos de medicamentos, existem poucas, se houver, alternativas que não contêm certos ingredientes inativos que desencadeiam a alergia.

Reações alérgicas a medicamentos podem incluir urticária, dificuldade respiratória ou anafilaxia, enquanto aqueles com intolerância podem apresentar sintomas gastrointestinais.

Embora nem todos tenham motivos para se preocupar, é importante examinar sempre a lista de ingredientes dos medicamentos que você está tomando. Os médicos geralmente tomam nota do composto ativo que estão prescrevendo e da dosagem, mas os médicos e os pacientes raramente prestam muita atenção aos outros ingredientes que o medicamento contém. Estes ingredientes podem variar significativamente dependendo do fabricante. Para ilustrar o alcance desta questão, os autores apontam que 43 diferentes empresas farmacêuticas fazem 140 formulações distintas da levotiroxina, uma medicação para tiroide.

O melhor para a sua saúde você encontra na Tudo Saudável Produtos Naturais

Seja vigilante quando se trata dos medicamentos que você toma

Uma pequena quantidade de amido ou lactose pode não representar qualquer perigo para aqueles que não são alérgicos, mas para aqueles que são, pode ser o suficiente para causar uma reação séria. Se você tem uma alergia conhecida a um desses ingredientes, é particularmente importante estar atento. Muitas vezes, os nomes químicos listados na embalagem não tornam óbvio quais contêm alérgenos; sempre pergunte a um médico ou farmacêutico se não tiver certeza.

Os pesquisadores relatam que mais da metade das pílulas é composta de ingredientes inativos e, em alguns casos, até 99% da pílula é considerada não-farmacêutica. Também é importante ter em mente que aqueles que tomam vários medicamentos podem estar ingerindo quantidades significativas desses ingredientes inativos aparentemente inofensivos. Por exemplo, os pesquisadores dizem que um paciente que toma 10 medicamentos prescritos por dia ingere em média 2,8 gramas de ingredientes inativos.

Os pesquisadores estão pedindo novos regulamentos que exigiriam que os fabricantes listassem informações mais detalhadas sobre os ingredientes inativos em suas pílulas. Eles também gostariam de ver versões “livres de” dos medicamentos criados para aqueles que têm intolerâncias e alergias.

Se você tem alergias e intolerâncias ou não, é essencial saber o que você está colocando em seu corpo, especialmente quando se trata de prescrições. Sempre pesquise todos os ingredientes dos medicamentos que você está tomando e certifique-se de verificar se as alternativas naturais são uma opção viável.

Leia mais:

Antidepressivos Ligados à Demência: Medicamentos Psiquiátricos Podem Trocar uma Condição por Outra

Medicamentos para Pressão Alta Estão Contaminados com Substâncias Químicas Causadoras de Câncer

Fontes:
– Natural News: Here’s an alarming fact: Over 90% of medications can trigger allergic reactions
– Science Translational Medicine: “Inactive” ingredients in oral medications
– Medical News Today: 93 percent of medications contain ‘potential allergens’
– Science Daily: Inactive ingredients in pills and capsules may cause allergic, adverse reactions

1 Comment

  • Sandra disse:

    Confesso que sou alérgica aos medicamentos alopatas, em geral, isto é: não confio em mosquitos que mordem e assopram a fim de minimizar os danos nem em remédios que fazem bem com ressalvas, intimidações e advertências que deixam o doente com grilos na cuca e com a pulga atrás da orelha. Por isso prefiro os homeopáticos e os da flora medicinal que, geralmente curam sem prejudicar ou então aliviam sem causar danos. Assim como a água que mata a sede deve ser pura e livre de substâncias tóxicas, medicamentos também deveriam, mas não são, azar o nosso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site