Notícias Naturais

As pessoas estão expostas ao triclosan quase todos os dias: ele é encontrado em higienizadores para as mãos, enxaguantes bucais, cremes dentais e outros produtos cosméticos. Embora seja conhecido por suas propriedades antibacterianas, pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Washington (WUSM), em St. Louis, descobriram que o triclosan pode, de fato, ajudar as bactérias a sobreviver – e até mesmo tolerar – doses letais de antibióticos. Em um estudo publicado na revista  Antimicrobial Agents and Chemotherapy, a principal autora e professora da WUSM, Petra Levin, e seus colegas realizaram um experimento visando os antibióticos bacterianos. Eles queriam ver os efeitos em primeira mão do triclosan nas bactérias e como ele pode tornar os tratamentos antibióticos virtualmente inúteis.

Como o triclosan interfere no tratamento com antibióticos

Em um experimento de laboratório, Levin e sua equipe deram a camundongos fêmeas de seis semanas água potável contendo o mesmo nível de triclosan por um período de 21 dias. Eles queriam replicar o nível de triclosan nos ratos para aqueles normalmente encontrados em humanos. Os ratos foram então expostos a Escherichia coli para recriar os sintomas de uma infecção do trato urinário.

Os pesquisadores então colocaram os camundongos em um ciclo de tratamento com antibióticos usando ciprofloxacino. O pesquisador de pós-doutorado e autor, Corey Westfall, explicou que eles escolheram o ciprofloxacino por causa de como ele interrompe a replicação de DNA das bactérias, e é o antibiótico mais comumente usado para curar infecções do trato urinário. É importante notar que tomar ciprofloxacino pode causar efeitos colaterais graves, incluindo inchaço do tendão (tendinite) e até mesmo ruptura.

Os resultados mostraram que os ratos que beberam a água contendo triclosan exibiram um nível mais alto de bactérias na urina, assim como na bexiga, em comparação com os ratos que beberam água regularmente.

Normalmente, um em um milhão de células sobrevive aos antibióticos, e um sistema imunológico funcional pode controlá-las”, explicou Levin. “Mas o triclosan estava mudando o número de células. Em vez de apenas um em um milhão de bactérias sobreviver, um em cada 10 organismos sobreviveu após 20 horas. Agora, o sistema imunológico está sobrecarregado.”

Eles também descobriram que o triclosan tornou a  E. coli mais tolerante aos antibióticos. O triclosan funciona com o ppGpp, um inibidor do crescimento celular que torna as células menos sensíveis ao tratamento com antibióticos. O ppGpp interfere nas vias biossintéticas responsáveis ​​pela criação de novas células quando um organismo está estressado. Como os antibióticos são projetados para atingir vários caminhos biossintéticos, dependendo da infecção, o fechamento desses caminhos torna mais difícil para esses antibióticos funcionarem da melhor maneira possível.

Para provar essa teoria, o professor Levin e sua equipe conduziram outro teste usando uma cepa mutante de E. coli incapaz de produzir ppGpp, e uma cepa de E. coli que pudesse. Eles descobriram que a cepa de E. coli que não poderia produzir ppGpp mostrou menor resistência a antibióticos em comparação com a cepa que foi exposta ao triclosan.

Mais testes são necessários para entender como o triclosan afeta totalmente os tratamentos com antibióticos, mas os pesquisadores estão esperançosos de que seu estudo fará com que os fabricantes de bens de consumo repensem o uso de antimicrobianos em seus produtos.

Alternativas naturais ao triclosan

Se você está procurando alternativas mais seguras e naturais ao triclosan, aqui estão algumas opções.

* Creme dental orgânico. O creme dental orgânico não é tão forte como creme dental regular e é geralmente recomendado para aqueles com gengivas e dentes sensíveis. Se você está procurando por uma alternativa ainda melhor, tente fazer oil pulling com óleo de coco extra virgem.
* Manteiga de karité e cacau. Ao contrário da maioria das loções corporais, manteiga de karité e cacau contêm altos níveis de antioxidantes, perfeitos para manter um brilho jovem.
* Bicarbonato de sódio. Em vez de desodorantes regulares, uma opção melhor e mais segura seria o bicarbonato de sódio. Não contém triclosan ou qualquer cheiro irritante. Polvilhe apenas um pouco de bicarbonato de sódio em um pano úmido e aplique-o em suas axilas.
* Desodorantes naturais e sem químicos. O Desodorante Natural Live Aloe controla o odor por conta de sua composição rica em ingredientes com ação antisséptica. Sua fórmula é livre de sais de alumínio, parabenos, conservantes e triclosan. Mantém as axilas livre de odor, frescas e saudáveis. Também pode ser usado nos pés. Certificado pelo IBD. Você pode encontrar desodorantes naturais e sem substâncias químicas perigosas através da loja de produtos naturais, Tudo Saudável.

No final, tudo se resume a quão vigilante você é quando se trata dos produtos que você usa. Você deve sempre ler os rótulos antes de comprar qualquer coisa. Produtos contendo triclosan devem ser evitados a todo custo.

Leia mais:

[Estudo] Pesquisadores Descobrem Ligação entre a Resistência aos Antibióticos e o Antibacteriano Triclosan

EUA Proíbem Sabonetes que “Matam até 99,9% das Bactérias”

Fontes:
– Science News: How triclosan, touted as an antibacterial, actually makes germs stronger and more dangerous
Antimicrobial Agents and Chemotherapy: The Widely Used Antimicrobial Triclosan Induces High Levels of Antibiotic Tolerance In Vitro and Reduces Antibiotic Efficacy up to 100-Fold In Vivo
– Medical News Today: ‘Antibacterial’ chemical in toothpaste could strengthen bacteria
– MedlinePlus: Ciprofloxacin
– Futurity: TRICLOSAN IN SOAP AND TOOTHPASTE ACTUALLY MAKES GERMS STRONGER

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site