Notícias Naturais

A prática até parece higiênica, mas não é: se houver micro-organismos na carne, a água os levará para um passeio pelo resto do seu almoço.

Antes de cortar e cozinhar o frango você dá uma lavadinha nele com água só para garantir que não vai ter problema depois? A intenção é boa, mas contraindicada por especialistas.

É que o risco de essa carne – a mais consumida no Brasil – conter bactérias nocivas à nossa saúde é alto. Ao passar o franguinho pela torneira, você até tira os micróbios do dito cujo, mas pode acabar contaminando utensílios de cozinha, a pia e, principalmente, outros alimentos.

Isso é especialmente grave no caso dos vegetais da salada, que são consumidos crus.

O Centro para Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês) publicou recentemente um alerta sobre isso no Twitter e trouxe a discussão à tona.

De acordo com o CDC, não é raro que a carne de aves esteja contaminada por bactérias como Campylobacter, Salmonella e Clostridium perfringens, que causam intoxicação alimentar. A entidade estima que, a cada ano, 1 milhão de pessoas ao redor do mundo sejam infectadas por micróbios presentes no frango.

Os sintomas mais comuns são dor de barriga, diarreia, vômito e febre. Na maioria dos casos, o quadro não é grave – o tratamento inclui repouso, hidratação e, às vezes, antibiótico. A preocupação é se o contágio acontecer em crianças, idosos e gestantes, que têm um sistema imunológico mais fraco.

Para evitar que um simples frango cause tanto estrago na sua vida, é só seguir algumas boas práticas. O CDC elencou as principais:

* No mercado, em vez de colocar a bandejinha com a carne diretamente no carrinho, embale-a com uma sacola. Assim, não há risco de os líquidos vazarem e entrarem em contato com outros alimentos;
* Lave as mãos com água morna e sabão durante 20 segundos antes e depois de manusear o frango;
* Deixe uma tábua exclusiva para cortar a ave, e não pique outros ingredientes nela;
* Antes e depois de preparar o frango, lave os talheres, os acessórios e as superfícies que terão ou tiveram contato com ele;
* Não passe a carne por água corrente. Prefira cozinhá-la bem – vale até investir em um termômetro próprio para comida. De acordo com o CDC, o frango está completamente cozido quando seu interior chega a 74ºC.
* Se for descongelar um frango no micro-ondas, siga as mesmas instruções: higienize as mãos e os materiais utilizados antes e depois;
* Sobrou frango do almoço? Leve-o à geladeira em, no máximo, duas horas. Se o dia estiver quente (acima de 30ºC), não demore mais de uma hora para fazer isso;
* Não relaxe no restaurante: o frango parece cru? Peça para o chef dar mais uma passadinha. Melhor aguentar a fome do que o perrengue que pode vir depois.

Leia mais:

5 Maneiras de Conservar os Alimentos sem Refrigeração

Conserva de Alho é Medicinal, Saborosa e não Deixa Hálito Ruim

Fontes:
Super Interessante: Não lave frango cru: você cria uma chuva de bactérias na cozinha
– CDC: Chicken and Food Poisoning

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe