Notícias Naturais

Nos Estados Unidos, a expectativa de vida média é de 78 anos, de acordo com o CDC. Há um século, a maioria dos americanos vivia apenas até os 55 anos de idade. Uma das maiores razões pelas quais podemos desfrutar de mais duas décadas de vida tem sido o uso generalizado de antibióticos.

O uso excessivo de antibióticos e a falta de novos antibióticos em desenvolvimento pelas empresas farmacêuticas significam que, em breve, poderemos perder esses preciosos anos extras de vida. Especialistas como o diretor do CDC, Tom Frieden, alertaram sobre a terrível situação que os humanos enfrentam em um futuro próximo, se algo não for feito para conter essa crise.

Os especialistas estão trabalhando freneticamente para tentar preservar a eficácia dos antibióticos e educar os profissionais de saúde para limitar seu uso. No entanto, o uso excessivo desses medicamentos continua a ser um grande problema e pode resultar em que Frieden chama de “pesadelo das bactérias”, as quais desenvolveram armas contra todos os modernos antibióticos.

A única maneira de evitar essa crise é que todos nós nos certifiquemos de usar antibióticos somente quando não houver outra opção. Para fazer isso, precisamos saber exatamente quando o uso de antibióticos é indicado e como detectar uma infecção bacteriana, uma vez que os antibióticos não têm poder contra vírus ou infecções parasitárias.

Por que as bactérias desenvolvem resistência aos antibióticos

Resistência antimicrobiana não é novidade. Na verdade, toda vez que um novo antibiótico é introduzido, seus desenvolvedores sabem que é apenas uma questão de tempo até que as bactérias-alvo se tornem sábias para a medicação e desenvolvam resistência.

Um estudo publicado no British Journal of General Practice explica:

Toda vez que um novo antimicrobiano é introduzido, a resistência aos antimicrobianos segue, às vezes rapidamente, e isso ocorre com antibióticos, antivirais e terapias antifúngicas. O tratamento antimicrobiano coloca pressão seletiva sobre o organismo, favorecendo o surgimento de cepas resistentes aos medicamentos. Este não é um problema novo: a resistência a antibióticos surgiu dentro de uma década dos primeiros testes clínicos de penicilina, com mais de 50% de resistência entre Staphylococcus aureus no final da década de 1940.

A única razão pela qual fomos capazes de nos manter à frente desse padrão de resistência antimicrobiana por tantos anos foi o fluxo constante de novos antibióticos sendo desenvolvidos. No entanto, nas últimas duas décadas, o número de empresas que desenvolveram esses medicamentos caiu de 18 para apenas quatro, e as bactérias começaram a vencer a guerra.

Os médicos só prescrevem antibióticos quando necessário, certo?

Então, nós estabelecemos o quão importante é usar antibióticos somente quando vitalmente necessário, mas como saberemos quando isso ocorrer? Pode ser tentador pensar que podemos confiar em nossos médicos para fazer esse julgamento, mas as estatísticas refutam essa teoria.

Embora os antibióticos não tenham efeito contra infecções virais como tosses, resfriados e dores de garganta, estudos indicam que mais da metade de todos os antibióticos prescritos nos cuidados primários são para infecções do trato respiratório que não podem ser tratados com esses medicamentos.

Então, como eu sei se é uma infecção bacteriana?

O site Beans, Bullets, Bandages & You fornece alguns indicadores úteis para ajudar a determinar se uma infecção é bacteriana:

* Ela é mais propensa a causar pus do que infecções virais. A presença de pus, borbulhas ou um abscesso pode indicar uma infecção bacteriana.
* Uma ferida infectada ou infecção na pele é mais provavelmente bacteriana.
* Infecções do trato respiratório onde a fleuma é clara ou branca são provavelmente virais, enquanto a fleuma verde ou amarela pode indicar a presença de bactérias.
* As infecções bacterianas geralmente atacam logo após infecções virais do trato respiratório.
* Infecções bacterianas causam febres mais altas do que infecções virais.

Se todos nós trabalharmos duro para estarmos conscientes de pedir aos médicos que prescrevam apenas antibióticos nos casos mais necessários, ainda podemos contornar a situação e manter uma das maiores armas da medicina, garantindo nossa própria longevidade.

Leia mais:

Remédios Controlados Pela Indústria Farmacêutica Representam uma Ameaça para a Humanidade

[Estudo] Outro Perigo do Uso Excessivo de Antibióticos: Eles Prejudicam Terapias, Como Tratamentos contra o Câncer

Fontes:
– Natural News: You should only use antibiotics when they are really needed: Can you recognize a bacterial infection?
British Journal of General Practice: Antibiotic overuse: a key driver of antimicrobial resistance
– Beans, Bullets, Bandages & You: PrepperMed 101: Recognizing Bacterial Infections
– AAFP: CDC Data Show U.S. Life Expectancy Continues to Decline

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site