Notícias Naturais

Tomar suplementos de vitamina D durante a gravidez pode prevenir o aparecimento de transtornos do espectro do autismo em crianças, mostrou um estudo recente com animais. Os pesquisadores da  Universidade de Queensland, na Austrália, dizem que camundongos prenhes que receberam tratamento ativo com vitamina D durante o primeiro trimestre, tiveram filhotes que não exibem comportamentos relacionados ao autismo.

O estudo utilizou um modelo amplamente aceito de autismo em camundongos, que lista sintomas como comportamento anormal e déficits de aprendizagem básica e interação social.

Os resultados demonstram que os níveis de vitamina D  são um fator crucial no desenvolvimento do cérebro, diz o principal pesquisador, o professor Darryl Eyles.

O recente financiamento nos permitirá determinar o quanto o colecalciferol – a forma de suplemento que é segura para mulheres grávidas – é necessário para atingir os mesmos níveis de vitamina D hormonal ativa na corrente sanguínea. Esta nova informação nos permitirá investigar melhor a dose ideal e o tempo de suplementação de vitamina D para mulheres grávidas”, diz o pesquisador Dr. Wei Luan.

Os resultados foram publicados na revista Molecular Autism.

Estudos em humanos mostram correlação entre os níveis de vitamina D e o início do autismo

Vários estudos em humanos estabeleceram previamente uma ligação entre a ingestão de vitamina D e o início do transtorno do espectro do autismo (TEA) em crianças.

Os especialistas em autismo no primeiro hospital da Universidade de Jilin, na China, observaram que um bebê de 32 meses com transtorno do espectro do autismo, com ingestão oral diária e injeções mensais de vitamina D3, apresentou melhora significativa no comportamento. De acordo com os pesquisadores, o menino reagiu melhor, parou de bater a cabeça e correr em círculos dois meses após a intervenção com vitamina D. No entanto, os pesquisadores alertaram que o estudo de caso único não pode ser tomado como uma representação geral para todos os pacientes com autismo. Os resultados do estudo de caso foram publicados no Pediatrics, o jornal oficial da American Academy of Pediatrics.

Outro estudo revelou que baixos níveis de vitamina D em mulheres grávidas podem aumentar as chances de transtorno do espectro do autismo em crianças. Os pesquisadores examinaram 4.200 amostras de sangue de mulheres grávidas e seus filhos, e descobriram que as mulheres grávidas com baixos níveis de vitamina D em 20 semanas de gestação tinham um risco maior de ter uma criança com traços relacionados ao autismo aos seis anos de idade. Os resultados demonstram que a deficiência de vitamina D pode estar ligada ao aparecimento de distúrbios do neurodesenvolvimento, disseram os pesquisadores. O acesso a suplementos de vitamina D seguros, baratos e publicamente disponíveis em grupos de risco pode ajudar a conter a prevalência desse fator de risco, acrescentaram os especialistas.

Além disso, um pequeno estudo sueco revelou que as crianças com autismo tinham níveis significativamente mais baixos de vitamina D ao nascer do que seus irmãos. Os pesquisadores examinaram 58 duplas de irmãos suecos e descobriram que os níveis médios de vitamina D ao nascer eram 31,9 nmol por litro em irmãos mais saudáveis ​​e apenas 24 nmol naqueles que desenvolveram autismo.

Os pesquisadores também observaram que as crianças nascidas durante o inverno tinham níveis mais baixos de vitamina D em comparação com as nascidas durante o verão. Filhos de herança africana ou do Oriente Médio também exibiram deficiência de vitamina D, independentemente de seu status de autismo. “Esses novos resultados sugerem que a vitamina D pode ser outro fator nutricional importante no desenvolvimento do transtorno do espectro do autismo durante a gravidez e o início da vida. Os pesquisadores descobriram uma ampla gama de níveis de vitamina D entre as crianças com autismo e uma sobreposição nos níveis de vitamina D entre aqueles que desenvolveram o distúrbio e aqueles que não o desenvolveram. Portanto, ainda há muito que não entendemos”, disse o Dr. Paul Wang, um pediatra de desenvolvimento e chefe de pesquisa médica do Autism Speaks.

Leia mais:

Manter os Níveis Ideiais de Vitamina D é Fundamental para Prevenir o Câncer

Evidências Crescentes Provam que Níveis Mais Altos de Vitamina D Reduzem o Risco de Câncer de Mama

Fontes:
– Natural News: BREAKTHROUGH: Vitamin D supplements taken during pregnancy found to prevent autism in children
– Science Daily: Link between Vitamin D treatment and autism prevention
– The Guardian: Autism linked to vitamin D deficiency during pregnancy, researchers find

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site