Notícias Naturais

O CDC chama a fluoretação da água “uma das 10 grandes conquistas da saúde pública do século 20”. No entanto, apesar de o flúor ocorrer naturalmente em pequenas quantidades na água e pode ser encontrado na crosta terrestre, sua adição à água para supostamente fortalecer os dentes e prevenir cáries é uma prática altamente controversa e perigosa.

A Organização Mundial de Saúde, referenciando países onde a água é rica em flúor, adverte:

O consumo de água potável rica em flúor resulta em sérios efeitos à saúde, variando de fluorose dentária a fluorose esquelética incapacitante, sendo ambos os efeitos irreversíveis. As crianças cujos dentes e ossos ainda estão em desenvolvimento são mais suscetíveis a altas concentrações de flúor. Isso é ainda mais agravado pelo mau estado nutricional. Os sintomas começam a se desenvolver durante a infância e a prevenção da exposição representa a única intervenção efetiva. 

Embora não haja praticamente nenhuma evidência de que a fluoretação fortaleça os dentes de forma alguma, há muitas evidências de que ele é uma neurotoxina com efeitos devastadores no cérebro.

O site Be Brain Fit recentemente relatou nove maneiras diferentes em que a água fluoretada pode afetar negativamente a sua saúde mental.

Uma neurotoxina do desenvolvimento
Um estudo recente publicado na revista The Lancet recomendou que o flúor seja classificado como uma neurotoxina do desenvolvimento – uma substância que é destrutiva para o cérebro, sistema nervoso e / ou medula espinhal antes do nascimento e durante a infância – juntamente com o arsênico, mercúrio, tolueno e chumbo.

Reduz o QI
Mais de 50 estudos revisados ​​por pares ligaram o consumo de água fluoretada ao QI mais baixo em crianças. Uma metanálise conjunta da Harvard School of Public Health e da China Medical University, que examinou 27 estudos sobre o assunto, encontrou “fortes indícios de que o flúor pode afetar negativamente o desenvolvimento cognitivo em crianças“.

Ligado ao desenvolvimento de Alzheimer
O corpo tem uma membrana protetora natural chamada barreira hemato-encefálica que impede que substâncias perigosas como o alumínio entrem no cérebro. No entanto, quando o alumínio entra em contato com o flúor, ele é capaz de atravessar essa barreira na forma de fluoreto de alumínio. Numerosos estudos ligaram a presença do fluoreto de alumínio ao desenvolvimento de Alzheimer.

Duplica o risco de hipotiroidismo
A água fluoretada quase dobra o risco de hipotireoidismo – um distúrbio do sistema endócrino que faz com que a glândula tireoide seja incapaz de produzir hormônio tireoidiano suficiente, resultando em baixa capacidade de tolerar o frio, fadiga, ganho de peso, constipação e depressão.

Provoca degeneração de partes do cérebro
O site Be Brain Fit explica como a fluoretação afeta certas partes do cérebro:

Uma vez que o flúor atravessa a barreira hematoencefálica, causa degeneração em partes específicas do cérebro – o hipocampo, o neocórtex e o cerebelo.

O hipocampo é considerado a sede da memória e é fundamental para o aprendizado, a regulação emocional e o desligamento da resposta ao estresse.

O neocórtex é considerado a área mais evoluída do cérebro onde a percepção sensorial, o pensamento consciente e as habilidades de linguagem ocorrem em grande parte.

O cerebelo é responsável pela coordenação e pelo equilíbrio.

Interfere na glândula pineal e na produção de melatonina
A melatonina – um hormônio que controla o sono, compensa os danos causados ​​por distúrbios cerebrais como a demência e age como um potente antioxidante – ela é produzida na glândula pineal. Esta glândula é suscetível à calcificação causada por minerais como cálcio e flúor. Quando isso acontece, a produção de melatonina é afetada negativamente, resultando em insônia, envelhecimento cerebral acelerado e depressão.

Libera chumbo de velhos canos de água
Se a casa em que você mora foi construída antes de 1986, ela pode ter chumbo nos canos de água. Uma vez que a água fluoretada libera o chumbo, ela pode estar aumentando em até nove vezes a quantidade de chumbo na água. A exposição ao chumbo é perigosa para todos os seres humanos, mas os cérebros jovens são os mais vulneráveis. Pode resultar em dificuldades de aprendizagem, redução do QI, perda de memória, distúrbios de humor e outras complicações graves.

Ligado ao TDAH
Conforme relatado anteriormente pelo site Natural News:

Cientistas da Universidade de Toronto confirmaram recentemente que a exposição a altos níveis de flúor no útero aumenta os sintomas semelhantes aos de TDAH em crianças em idade escolar. O Dr. Morteza Bashash, principal autor do estudo, comentou as descobertas e declarou: “Nossas descobertas são consistentes com um crescente corpo de evidências sugerindo que o crescente sistema nervoso fetal pode ser negativamente afetado por níveis mais altos de exposição ao flúor“.

Causa depressão… e é encontrado em medicamentos antidepressivos
Muitos dos medicamentos antidepressivos e ansiolíticos comumente prescritos contêm altos níveis de flúor. Isso é contra-intuitivo porque vários estudos ligaram o flúor como uma das causas da depressão. Se você está atualmente tomando um desses medicamentos, pode valer a pena conversar com seu médico sobre a mudança para um medicamento sem flúor ou optar por uma abordagem mais natural.

Como reduzir a exposição ao flúor

O flúor é difundido em nosso meio ambiente, mas existem maneiras de reduzir a exposição a ele, inclusive o uso de creme dental sem flúor e o investimento em um filtro de água de fluoreto de alta qualidade.

Leia mais:

O Flúor Literalmente Transforma a Glândula Pineal em Pedra

Salve seu Cérebro do Envenenamento por Flúor Consumindo Cúrcuma

Fontes:
Blog Anti Nova Ordem Mundial: 9 Maneiras Pelas Quais o Flúor Está Prejudicando seu Cérebro
– Natural News: The nine ways fluoride is harming your brain
– Be Brain Fit: Fluoride As a Neurotoxin: 9 Ways It Harms Your Brain
– World Health Organization: Children’s environmental health
– Natural News: Fluoride means lower IQs and more mental retardation
– Natural News: Scientists STUNNED as first-of-its-kind study reveals strong link between fluoridated water and ADHD

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe