Notícias Naturais

Pesquisas recentes mostraram que a vitamina D apoia a saúde geral do cérebro, e que este nutriente vital pode até mesmo ajudar a aliviar a depressão. Estimativas sugerem que pelo menos um bilhão de pessoas sofrem com a deficiência de vitamina D no mundo, e outras 350 milhões sofrem com a depressão. Embora possa não ser uma cura para todos, garantir que você esteja ingerindo vitamina D suficiente pode ajudar a aliviar a depressão de uma mente deprimida – e também pode ajudar a melhorar a saúde geral.

Vários estudos mostraram que existe uma ligação direta entre a deficiência de vitamina D e a depressão, mas a vitamina D é necessária para muito mais do que isso. A “vitamina do sol”, assim como outros nutrientes, desempenha vários papéis no corpo humano. Por exemplo, a vitamina D é essencial para ossos saudáveis, assim como para um cérebro saudável.

Compreendendo a vitamina D e a depressão

Conforme os relatórios do Be Brain Fit, garantir que seu cérebro esteja saudável é a “primeira linha de defesa” quando se trata de manter a depressão sob controle. A vitamina D é essencial para a saúde do cérebro ao longo da vida. Ela é essencial para o bom desenvolvimento do cérebro no útero e na primeira infância, e ajuda a manter seu cérebro saudável com a idade, afastando o declínio cognitivo. Os benefícios da vitamina D podem ser sentidos independentemente da idade.

Nos idosos, os benefícios da vitamina D são especialmente notáveis. Como as fontes explicam, a deficiência de vitamina D em adultos mais velhos está ligada a vários distúrbios cerebrais, incluindo depressão, demência, transtorno de personalidade borderline e esquizofrenia.

Por outro lado, estudos mostraram que a suplementação com vitamina D pode impulsionar o humor, melhorar a memória e apoiar a função cerebral geral.

Como a vitamina D funciona em relação à depressão ainda não é totalmente compreendida, mas os pesquisadores sabem que ela ajuda. Como um estudo publicado em 2017 concluiu:

Claramente, comer alimentos que são ricos em vitamina D, tomar suplementos dietéticos para melhorar a deficiência de vitamina D, e passar o tempo ao sol e/ou fazer exercício ao ar livre podem melhorar o bem-estar mental em pacientes com depressão. Embora várias questões na relação entre a depressão e baixos níveis de vitamina D permaneçam controversas e necessitem de mais estudos, a literatura já fornece dados suficientes para recomendar a triagem e o tratamento da deficiência de vitamina D em indivíduos com depressão, o que é econômico e pode melhorar os resultados da depressão.

Em sua pesquisa, os autores do estudo observam que o tratamento da depressão com suplementação de vitamina D pode levar tempo e que não é um remédio instantâneo. A equipe também observa que há muitos fatores que podem contribuir para a depressão além da deficiência de vitamina D.

O site Be Brain Fit relata que, embora os mecanismos pelos quais a vitamina D trabalha para combater a depressão ainda não estejam confirmados, acredita-se que a vitamina D aumenta a produção de substâncias químicas cerebrais chamadas monoaminas. As monoaminas incluem os neurotransmissores do tipo “bem estar”, como a serotonina, a dopamina e a norepinefrina.

A ciência também mostrou que a deficiência de vitamina D também pode promover a inflamação no cérebro – levando alguns a afirmar que talvez a inflamação seja a verdadeira causa da depressão.

Mais sobre vitamina D

Nos Estados Unidos, estima-se que 42 por cento das pessoas não obtêm quantidade suficiente de vitamina D. A ingestão diária recomendada de vitamina D é de 400 a 800 UI (Unidades Internacionais), mas algumas pesquisas indicam que as necessidades de vitamina D pode ser muito maior do que isso – especialmente para pessoas que não são regularmente expostas à luz solar.

Especialistas dizem que os níveis sanguíneos de vitamina D devem estar entre 20 e 30 nanogramas por mililitro (ng/mL).

Existem algumas maneiras em que se pode obter vitamina D. A exposição ao sol é uma ótima maneira de obter sua vitamina D, mas pode ser uma fonte não confiável devido às diferenças de luz solar ao longo das estações e do tempo do dia, bem como as diferenças na absorção de pessoa para pessoa. Os alimentos que contêm vitamina D incluem peixes gordurosos como salmão, cavala e sardinha, além de ovos, cogumelos e iogurte.

Suplementos de vitamina D são uma ótima opção para ajudar a garantir que você está obtendo-a de forma suficiente, mas você deve sempre falar com um naturopata ou outro profissional de assistência holística confiável antes de iniciar um novo suplemento.

Leia mais:

Evidências Crescentes Provam que Níveis Mais Altos de Vitamina D Reduzem o Risco de Câncer de Mama

[Estudo] Suplementação com Vitamina D Mostrou Reduzir a Dor Lombar Crônica

Fontes:
– Natural News: How vitamin D supports brain health and works to reduce depression risk
– Be Brain Fit: The Link Between Vitamin D and Depression
– Neuro Psychiastry: Depression and Vitamin D Deficiency: Causality, Assessment, and Clinical Practice Implications 
– Health Line: How Much Vitamin D Should You Take For Optimal Health?

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe