Notícias Naturais

Os frutos e sementes do cajueiro são conhecidos por fornecer muitos nutrientes e produtos benéficos. Pesquisadores do Kentucky descobriram recentemente outra propriedade positiva, desta vez relacionada ao câncer. Eles relataram que o ácido anacárdico da castanha de caju poderia ajudar a mitigar o crescimento e a disseminação do câncer de pâncreas.

Uma forma altamente agressiva da doença, o câncer de pâncreas é um dos cânceres mais letais conhecidos pelo homem. Tornou-se cada vez mais comum nos últimos anos.

Os pesquisadores do câncer aprenderam muito sobre a biologia da doença, incluindo os mecanismos moleculares por trás do desenvolvimento do câncer de pâncreas. Por exemplo, eles aprenderam que a molécula de sinalização chamada proteína modificadora da cromatina 1A (Chmp1A) pode inibir tumores pancreáticos.

A Chmp1A faz isso ativando o supressor tumoral p53 e Ataxia-telangiectasia mutada (ATM). Esta última é conhecida por sofrer mutações em pacientes com câncer pancreático familiar.

Pesquisadores desenvolveram medicamentos anticâncer com base nessas descobertas. No entanto, esses medicamentos provaram ser mais tóxicos e facilmente resistentes ao câncer de pâncreas do que o esperado.

Compre Alimentos Orgânicos na Tudo Saudável Produtos Naturais

Teste de ácido anacárdico por conta própria e ao lado de medicamentos anticâncer

Isso levou a uma necessidade de tratamento terapêutico complementar que poderia melhorar a eficácia do tratamento antineoplásico. Uma equipe de pesquisa da Universidade de Pikeville (UPike) assumiu a responsabilidade de testar o ácido anacárdico como um meio potencial de tratamento do câncer de pâncreas.

O ácido anacárdico é um suplemento dietético derivado de castanha de caju e nozes e mangas. É capaz de prevenir a proliferação de células cancerígenas na mama, pulmão e próstata, regulando vias de sinalização e moléculas associadas que suprimem o câncer.

Em seu experimento, os pesquisadores da UPike cultivaram células de câncer de pâncreas humano. Eles submeteram estas culturas de células a três tratamentos diferentes: ácido anacárdico apenas, ácido anacárdico combinado com o fármaco antineoplásico 5-Fluorouracil ou ácido anacárdico e outro fármaco antineoplásico, Gemcitabina.

Além de analisar os efeitos citotóxicos do ácido anacárdico puro, os pesquisadores também procuraram determinar qualquer sinergia entre a substância natural e os dois medicamentos sintéticos anticâncer.

Além disso, estudaram os mecanismos moleculares envolvidos na atividade anticancerígena do ácido anacárdico. Eles se concentraram na Chmp1A, ATM e p53, as moléculas sinalizadoras que estão conectadas com os efeitos de combate ao câncer.

Por último, mas não menos importante, eles testaram separadamente ácido anacárdico, 5-Fluorouracil e Gemcitabina em células de câncer de pâncreas humano que silenciaram as moléculas Chmp1A. Isso permitiu que eles determinassem se o efeito anticancerígeno das três abordagens testadas dependia da Chmp1A.

Suplemento derivado do caju suprime as células cancerígenas do pâncreas, e reforça os medicamentos anticâncer

Os pesquisadores da UPike relataram que o ácido anacárdico puro foi capaz de suprimir o crescimento de células pancreáticas cancerígenas. As células tratadas formaram menos números de esferoides menores quando comparados ao grupo controle. O efeito anticancerígeno dependeu da dosagem.

Além disso, quando combinado com 5-Fluorouracil ou Gemcitabine, o ácido anacárdico foi capaz de melhorar os efeitos citotóxicos de qualquer medicamento anticâncer.

O ácido anacárdico alcançou essa atividade supressora do câncer ativando a Chmp1A, ATM e p53. Ao aumentar os níveis de proteína Chmp1A, o ácido anacárdico ativou a ATM e as moléculas de p53 que suprimem o desenvolvimento de tumores.

Os pesquisadores observaram que o 5-Fluorouracil e Gemcitabina também aumentaram os níveis de proteína Chmp1A. Isso indicou que a ação citotóxica dos medicamentos é mediado pela molécula de sinalização.

Quando testado em culturas de células de câncer pancreático que silenciaram a Chmp1A, o ácido anacárdico não foi capaz de suprimir o crescimento do câncer. Enquanto isso, 5-Fluorouracil e Gemcitabina foram capazes de alcançar efeitos supressores de câncer. Isto sugeriu que o ácido anacárdico se baseia em Chmp1A para o seu efeito anticancerígeno.

Com base nesses resultados, os pesquisadores recomendaram um estudo mais aprofundado do ácido anacárdico como possível meio de melhorar o tratamento do câncer de pâncreas.

Leia mais:

5 Razões para Adicionar Castanha de Caju em sua Dieta

[Estudo] Comer Mais Nozes Diminui o Risco de Câncer

Fontes:
– Natural News: Cientistas analisam o ácido anacárdico como um possível tratamento para o câncer de pâncreas
– Science News: Cashew constituent anacardic acid studied as potential candidate for pancreatic cancer treatment
– Apoptosis: Combinatorial treatment with anacardic acid followed by TRAIL augments induction of apoptosis in TRAIL resistant cancer cells by the regulation of p53, MAPK and NFκβ pathways
– BMC Complementary and Alternative Medicine: Anacardic acid inhibits pancreatic cancer cell growth, and potentiates chemotherapeutic effect by Chmp1A – ATM – p53 signaling pathway
– Journal Cell Cycle: Chromatin modifying protein 1A (Chmp1A) of the endosomal sorting complex required for transport (ESCRT)-III family activates ataxia telangiectasia mutated (ATM) for PanC-1 cell growth inhibition

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe