Notícias Naturais

Grande parte da ansiedade, depressão e doença mental que assola as pessoas hoje pode ser rastreada até as mudanças bioquímicas que ocorrem após a exposição repetida a elementos tóxicos, como o mercúrio (Hg).

O mercúrio é uma das neurotoxinas mais potentes, mas é usado rotineiramente na medicina. Milhões de pessoas estão sofrendo de envenenamento por mercúrio porque os dentistas ainda inserem amálgamas dentárias à base de mercúrio nos dentes das pessoas. Com o tempo, esse mercúrio penetra na boca e entra na corrente sanguínea. Em média, uma pessoa absorverá 100 mg de mercúrio diariamente se tiver apenas um amálgama dentária. Durante uma operação, o mercúrio também é inalado.

O mercúrio afeta negativamente os neurotransmissores, bloqueia o efeito terapêutico dos antioxidantes e minerais

Uma vez dentro do corpo, o mercúrio se liga prontamente a moléculas, tecidos e células, interrompendo os ciclos celulares, causando estresse oxidativo, disfunção das mitocôndrias e prejudicando a homeostase. A exposição ao mercúrio incita questões comportamentais, distúrbios neurológicos, distúrbios de humor e doenças mentais. Isso ocorre porque o mercúrio dificulta a produção e a função de vários neurotransmissores. Um dos neurotransmissores afetados é o GABA, um caminho crucial para manter uma pessoa calma e firme. O mercúrio causa ansiedade porque interfere com o GABA, causa desequilíbrio de zinco e destrói a bainha de mielina protetora que cobre os nervos.

O mercúrio não só causa estresse oxidativo, mas também se liga ao enxofre e ao selênio, bloqueando o efeito terapêutico desses minerais. O selênio e o enxofre ajudam o sistema imunológico a identificar células indesejáveis. Ao competir com esses minerais cruciais, o mercúrio permite que as células cancerosas sobrevivam no corpo. Se o mercúrio estiver ligado a esses elementos importantes, o sistema imunológico do corpo pode se voltar contra si mesmo, causando condições autoimunes. O mercúrio também se liga ao antioxidante mestre do corpo – a glutationa. Se a glutationa não puder fazer o seu trabalho de forma eficaz, então quaisquer substâncias tóxicas que entrem no corpo podem danificar rapidamente as células nervosas e imunológicas.

Exposição a mercúrio e a hipocrisia da odontologia convencional e da ciência das vacinas

Um dos principais problemas da indústria do carvão são as emissões de mercúrio. Centrais energéticas a carvão emitem mercúrio tóxico no ar, onde chove e envenena a água. Com o tempo, o mercúrio se acumula em frutos do mar. A FDA adverte contra o consumo excessivo de atum e outros produtos do mar por este motivo. O sistema gastrointestinal do corpo humano ajuda a eliminar e eliminar o mercúrio tóxico. Certos alimentos ligam-se ao mercúrio para eliminá-lo eficientemente do corpo. Alimentos como manteiga de amendoim, morangos e chlorella são quelantes. Esses alimentos ajudam a remover elementos tóxicos, especialmente o mercúrio, do corpo.

O mercúrio injetado, através da vacinação, é uma história diferente. Este mercúrio, juntamente com outras neurotoxinas encontradas nas vacinas, é inserido no tecido muscular, nas células do sistema imunológico e no sangue. Este mercúrio contorna o sistema gastrointestinal, contaminando os órgãos mais rapidamente.

A inalação e ingestão repetidas de mercúrio, através de amálgamas dentárias à base de mercúrio, também representam danos significativos para as pessoas a longo prazo. A exposição crônica ao mercúrio oxida os vasos sanguíneos e perturba a insulina, levando à hipertensão crônica, ao alto nível de açúcar no sangue, ao excesso de gordura abdominal e a altos níveis de colesterol LDL não saudável.

Se você foi vítima de amálgamas dentárias à base de mercúrio, consulte um dentista holístico. A exposição crônica ao mercúrio não vale o risco e vai sobrecarregar muitas funções importantes do corpo humano. Para restaurar qualquer dano infligido por mercúrio, considere uma dieta cheia de gorduras de alta qualidade, azeite orgânico e caldo de osso. Consumir alimentos ricos em selênio, magnésio e zinco para restaurar o equilíbrio desses elementos no corpo. Ajude o corpo a quelar o mercúrio consumindo alimentos como morangos, proteína de cânhamo, coentro, chlorella, framboesas e outras fibras de frutas.

Leia mais:

Chlorella e Coentro Podem Remover 80% dos Metais Pesados do Corpo em 42 Dias

10 Alimentos para Desintoxicar seu Corpo dos Metais Pesados

Fontes:
– Natural News: The under-recognized epidemic: Millions of people are suffering from mercury poisoning
– Natural Health 365: The chronic effects of low-dose mercury exposure
– Holistic Dentistry: Those metal fillings in your mouth could be putting you at risk of an autoimmune disease
– Natural News: Mercury in vaccines may be up to 50 TIMES more toxic to the brain than mercury in fish
– Natural News: Modern dentistry dangers exposed by a dentist
– Natural News: Health Ranger research breakthrough: How to block nearly all the mercury in your diet using common, everyday foods

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe