Notícias Naturais

O maior e mais detalhado estudo de seu tipo acaba de confirmar que um grupo de medicamentos químicos conhecidos como anticolinérgicos, que incluem antidepressivos, antiespasmódicos, medicamentos para o mal de Parkinson e medicamentos de controle da bexiga, entre outros, podem estar diretamente ligados ao desenvolvimento de demência.

O estudo, conduzido por pesquisadores da Universidade de East Anglia, no Reino Unido, descobriu que o uso a longo prazo desses medicamentos está fortemente ligado ao aparecimento de demência, às vezes muitos anos depois.

Os efeitos devastadores da demência

A Organização Mundial de Saúde (OMS) explica que a demência é uma condição progressiva causada por uma das várias doenças cerebrais que afetam o pensamento, a memória, o comportamento e a capacidade de lidar com as atividades diárias normais. Mais de 47 milhões de pessoas em todo o mundo foram diagnosticadas com demência, e esse número deverá subir para mais de 75 milhões até 2030 e triplicar até 2050.

A demência é um diagnóstico devastador para os pacientes e seus cuidadores. Em muitos países, as pessoas que sofrem são estigmatizadas e os pacientes e suas famílias sofrem danos psicológicos, emocionais e econômicos.

A demência custa ao planeta cerca de 818 bilhões de dólares a cada ano, e esse número deve continuar aumentando.

A indústria farmacêutica está presente nisso

Para o estudo, os pesquisadores da East Anglia realizaram uma análise sofisticada de mais de 300.000 registros médicos que incluíam prescrições para vários medicamentos antidepressivos, incluindo o Paxil, Elavil, Zyprexa e Seroquel – e medicamentos para bipolaridade. Outros medicamentos que se mostraram problemáticos foram os usados ​​para as condições da bexiga e mal de Parkinson.

Analisamos pessoas que desenvolveram demência e pessoas que não desenvolveram demência“, explicou o professor Chris Cox, um dos autores do estudo. “Portanto, nossos estudos pela primeira vez indicaram uma forte associação entre tomar certos medicamentos anticolinérgicos e o risco de contrair demência“.

Então, o que exatamente são medicamentos anticolinérgicos? O site Very Well Health explica que esses medicamentos são usados em várias condições médicas que afetam a contração involuntária e o relaxamento dos músculos:

A acetilcolina é uma substância produzida pelo organismo que funciona como um neurotransmissor. Ela atua nas células nervosas para enviar mensagens químicas ao cérebro. Ao fazer isso, a acetilcolina pode regular certas funções biológicas acelerando-as ou diminuindo a velocidade delas. … As células envolvidas na contração desses músculos têm receptores nervosos. Aqueles receptivos à acetilcolina são considerados colinérgicos.

Quando confrontados com a função muscular anormal, existem medicamentos que podem bloquear a acetilcolina, ligando-se aos receptores colinérgicos. Sem os meios para entregar as mensagens químicas, as contrações podem ser interrompidas e os sintomas aliviados.

Os anticolinérgicos apresentam múltiplos efeitos colaterais, pois interferem indiscriminadamente com receptores relacionados às contrações musculares, incluindo aqueles envolvidos no aprendizado, memória e sensação. Os efeitos colaterais incluem:

* Boca seca
* Dor de garganta
* Ausência de transpiração
* Temperatura corporal elevada
* Sensibilidade à luz
* Visão turva ou dupla
* Frequência cardíaca acelerada
* Incontinência urinaria
* Falta de coordenação
* Vazamento do intestino
* Confusão
* Problemas com memória
* Falta de coerência
* Dificuldade de concentração
* Uma tendência para assustar facilmente
* Alucinações
* E, como agora foi confirmado pela ciência, demência

Certamente parece haver mais razões para não tomar esses tipos de medicamentos do que tomá-los.

A doutora Barbara Sommer, especialista em anticolinérgicos e psiquiatra geriátrica do Stanford Medical Center, alerta os pacientes para revisar todos os seus medicamentos crônicos e discuti-los com seus médicos.

Leve-os para seus médicos e examine cada medicação, um por um, perguntando como é o anticolinérgico“, sugeriu.

Leia mais:

Antidepressivos Causam Pensamentos e Tendências Suicidas

Neurocientista Compartilha Maneiras Fáceis e Naturais de Prevenir a Demência

Fontes:
– Natural News: CONFIRMED: Antidepressants and other drugs cause dementia
– CBS SF Bay Area: Study Links Antidepressants, Bipolar Medications, Parkinson’s Drugs To Dementia
– Very Well Health: Anticholinergic Drugs
– WHO: 10 facts on dementia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe