Notícias Naturais

Não é nenhum segredo que as vacinas não são os sinalizadores inócuos de saúde e bem-estar que são apresentados para o mundo. Há inúmeras histórias de pais e donos de animais que testemunharam seus entes queridos sofrendo após a inoculação. Apesar desses relatos de declínio rápido da saúde, os propagandistas de vacinas negam a responsabilidade – mas cientistas como Judy Mikovits estão por aí, revelando a verdade sobre as vacinas, incluindo o que realmente está presente nelas e quão prejudiciais elas realmente podem ser.

Acontece que os adjuvantes de alumínio e o timerosal contendo mercúrio não são as únicas coisas que você precisa ter cuidado quando se trata de vacinas. Verificou-se que as injeções destinadas tanto a crianças humanas quanto a animais de estimação contêm retrovírus endógenos – preparando o terreno para que a contaminação viral se agrave, sem que os receptores saibam de nada.

Sayer Ji, do site GreenMedInfo, explica que a fabricação de vacinas “ainda depende do uso de animais vivos e células humanas (diploides, fetais) como o principal lote inicial”. O verdadeiro risco de usar essas células era desconhecido no início da indústria. Embora existam técnicas mais recentes sendo usadas e desenvolvidas, as vacinas de células vivas da velha escola ainda estão em cima da mesa – e fazem parte do calendário de vacinas infantis do Center for Disease Control, até hoje.

Ji observa que pesquisas anteriores levantaram questões sobre a contaminação presente em vacinas veterinárias – em particular, tal contaminação poderia ser a fonte de leucemia em gatos (que agora é surpreendentemente comum em felinos).

O que é um retrovírus, na verdade?

Como explica Judy Mikovits, Ph.D., os retrovírus fazem parte de um grupo de vírus de RNA conhecido como vírus tumorais de RNA. Os retrovírus funcionam de maneira diferente dos vírus típicos porque eles só têm um genoma de RNA para trabalhar. Ela escreve:

Na maioria dos vírus, o DNA é transcrito (ou escrito) em RNA, então o RNA é traduzido em proteína. Os retrovírus, por outro lado, funcionam de maneira diferente. Um retrovírus funciona transcrevendo de forma reversa, isto é, “escrito ao contrário” no DNA, usando uma enzima que apenas os retrovírus codificam, chamada “Transcriptase Reversa” (RT).

Isso cria o que é conhecido como um pro-vírus, que então se insere no DNA usando outra enzima, chamada integrase. Em última análise, os retrovírus codificarão outros genes-chave para formar uma partícula viral conhecida como “virião”. Essas partículas não podem ser formadas sem a ajuda de uma célula em divisão do hospedeiro.

Os genes retrovirais podem ser encontrados em praticamente todos os animais, incluindo os humanos. Embora tenham desempenhado um papel fundamental na evolução humana, Mikovits observa que “os retrovírus exógenos e endógenos, expressos aberrantemente em humanos, mostraram ser responsáveis ​​pelo desenvolvimento de muitas doenças crônicas”.

Retrovírus presente em vacinas

Os retrovírus estão presentes em vacinas; a contaminação de espécies cruzadas com os retrovírus, em particular, tem sido um enorme problema. Como observa Sayer Ji, há muitos exemplos de retrovírus de espécies cruzadas que causam doenças. Mais notavelmente, os retrovírus de camundongos foram demosntraram induzir o linfoma em seus hospedeiros – e em humanos, alguns retrovírus relacionados ao camundongo resultaram em leucemia. Estima-se que seis por cento dos americanos tenham um retrovírus relacionado ao rato.

Estima-se que 20 milhões de pessoas nos Estados Unidos estejam infectadas com um retrovírus. E, como observa Mikovits, todos nós podemos agradecer à indústria de vacinas por isso, graças ao uso de subprodutos animais presentes em vacinas. É importante notar que nem toda pessoa infectada desenvolverá uma condição séria; muitas vezes, esses agentes virais passam despercebidos – ou, talvez, com maior precisão, não declarados.

A praga dos retrovírus presentes nas vacinas representa uma ameaça para os seres humanos e animais de estimação – e é muito real. Enquanto outros contaminantes, como o mercúrio e o alumínio, atraíram enormes quantidades de atenção, os retrovírus estão sobrevoando o radar. As vacinas praticamente se transformam em coquetéis causadores de doenças, e os retrovírus são apenas mais uma razão para tomar cuidado com elas.

Leia mais:

Veterinário diz que Mortes de Animais de Estimação Podem ser Causadas por Excesso de Vacinação

Bill Gates, As Vacinas são um “Milagre” sobre a Doença e um “Investimento Fantástico”…

Processo de Fabricação de Vacinas Pode Contribuir para Epidemias de Doenças Devido a Contaminação por Retrovírus

Fontes:
– Retroviruses are contaminating vaccines: Are your kids and pets at risk for serious illness?
– GreenMedInfo: Retroviruses Contaminate the World’s Vaccine Supply for Pets & Humans, Research Suggests
– World Mercury Project: Retroviruses: Poorly Understood Agents of Change

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe