Notícias Naturais

Parece que você tem ouvido mais sobre lesão cerebral traumática nos noticiários ultimamente, é porque este tipo de lesão está em ascensão, e especialistas acreditam que isso acontece porque o herbicida popular Roundup está deixando o cérebro ser menos resiliente do que costumavam ser.

Todos os anos, nos Estados Unidos, há 3,8 milhões de concussões nos esportes, por isso não é de admirar que 89% dos pais americanos se preocupem com o fato de seus filhos serem atingidos na cabeça. O Sports Medicine Research Center de Baltimore relata que as contusões esportivas aumentaram em quase 16% nos dez anos de 1998 a 2008. As salas de emergências tiveram um aumento de 60% nas consultas traumáticas de crianças e adolescentes de 2001 a 2009, mesmo quando a participação nos esportes juvenis caiu no geral.

Dois pesquisadores do MIT realizaram um estudo para ver como os cérebros modernos estão se recuperando após esses ferimentos. A pesquisadora sênior Dra. Stephanie Seneff e especialista em nutrição, Wendy Morey, determinou que nossas dietas modernas são as culpadas, com toxinas ambientais e uma séria falta de nutrição, reduzindo a resiliência de nossos cérebros.

Como o Roundup afeta o cérebro?

O glifosato, o ingrediente ativo do Roundup, pode afetar o cérebro de várias maneiras. Ele esgota as reservas de sulfatos nos tecidos neurais, deixando-os particularmente vulneráveis ​​a serem lesionados em um impacto súbito. O herbicida também perturba a absorção de nutrientes do seu corpo. Por exemplo, ele interrompe a síntese de vitaminas B e glutationa, um importante antioxidante cerebral.

Além disso, o glifosato destrói o equilíbrio da flora intestinal boa e ruim no sistema digestivo, estimulando a formação de formaldeído que pode romper sua barreira hemato-encefálica. Acredita-se também que ele ajude o alumínio a atravessar essa barreira essencial, permitindo que ele entre no cérebro, onde fica mais difícil para as concussões se curarem e causar danos neurológicos. Também evita que o fígado se desintoxique adequadamente, enfraquecendo o órgão vital.

Essa incapacidade de se recuperar de uma lesão cerebral traumática de maneira rápida está levando ao que os pesquisadores chamaram de uma “espiral descendente de morte neurológica” que está nos colocando no caminho da demência, declínio cognitivo, depressão e um risco maior de câncer. Um estudo publicado no Journal of Neurotrauma, por exemplo, observou uma correlação positiva entre as lesões cerebrais traumáticas e o desenvolvimento de neoplasias malignas no cérebro.

Manter seu cérebro em boa forma é fácil

A boa notícia é que o cérebro é capaz de se reparar em algum grau. Você pode aproveitar essa neuroplasticidade dando ao seu cérebro os nutrientes necessários para uma saúde ideal. Mudar para tudo orgânico pode ser o passo mais importante, porque vai tirar sua exposição ao glifosato da equação, mas você ainda precisa se concentrar em alguns nutrientes importantes.

Os ácidos graxos ômega 3, particularmente o DHA, são neuroprotetores, independentemente de você ter uma lesão cerebral ou não. O ômega 3 pode prevenir danos adicionais ao tecido se você incorrer em danos no tecido cerebral, diminuindo a toxicidade do glutamato. Certifique-se de obter ômega 3 suficiente, consumindo alimentos como carne alimentada com capim, peixe selvagem, sementes, nozes, abacate, óleos saudáveis ​​e spirulina.

Você também deve garantir que você está recebendo as quantidades certas de magnésio, já que baixos níveis deste mineral pode aumentar o risco de sofrer uma convulsão após lesão cerebral traumática. A vitamina D é outra vitamina que você deve se concentrar, não só por causa do maior risco de infecção cerebral observada entre aqueles que são deficientes, mas também porque ela aumenta sua saúde geral e reduz o risco de uma ampla gama de doenças.

Mesmo que você não pratique esportes, não estará imune a ferimentos na cabeça. A Síndrome da Resiliência Cerebral reduzida é um problema grave, por isso, certifique-se de evitar pesticidas e herbicidas e concentre-se em uma dieta saudável para o cérebro. Já que quase tudo nas prateleiras das mercearias nos dias de hoje contém o ingrediente tóxico, nunca foi uma época melhor para começar a cultivar seus próprios produtos orgânicos.

Leia mais:

Glifosato Ligado ao Autismo: Como Eliminar Esta Toxina do seu Corpo

[Estudo] Reverta 28 Doenças Eliminando os Transgênicos da sua Dieta

Fontes:
Natural News: MIT study says that thanks to Roundup, our brains don’t heal as fast as they used to
– Natural Health 365: New study: Roundup weed killer linked to LOWER brain function
– Natural News: FDA finds glyphosate weedkiller residues in nearly all grocery foods, but has spent years hiding test results from the public

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe