Notícias Naturais

Você já notou quantas pessoas obesas bebem refrigerante diet ou adicionam adoçantes de baixa caloria ao seu chá e café? A propaganda corporativa diz às pessoas com sobrepeso e obesas que estão se esforçando para perder peso – ou que, no mínimo, estão tentando não ganhar mais peso – que os adoçantes artificiais são a opção mais saudável possível. Muitos obedientemente e diligentemente elas cortam o açúcar, convencidas de que estão fazendo a melhor escolha. Infelizmente, vários estudos confirmaram que isso simplesmente não é verdade.

O mais recente estudo, conduzido por pesquisadores da Universidade George Washington em Washington, DC, e apresentado em março na centésima reunião anual da Endocrine Society em Chicago, Illinois, encontrou uma estreita ligação entre o consumo de adoçantes artificiais e a síndrome metabólica.

O grupo de condições conhecidas como síndrome metabólica é diagnosticado quando uma pessoa apresenta resistência à insulina, níveis elevados de colesterol “ruim”, pressão alta e aumento do risco de coágulos sanguíneos. Geralmente é diagnosticada em pessoas que estão com sobrepeso ou obesas e que carregam muito peso ao redor da cintura. Também conhecida como síndrome dismetabólica,  síndrome de resistência à insulina ou síndrome X, a síndrome metabólica provoca um risco elevado de doenças cardiovasculares, ataques cardíacos e derrames. Ela também aumenta o risco de desenvolver diabetes entre três a cinco vezes (aumento de risco relativo de 300% a 500%).

Nossos estudos baseados em células-tronco indicam que os adoçantes de baixa caloria promovem acúmulo adicional de gordura nas células em comparação com células não expostas a essas substâncias, de forma dose-dependente – significando que à medida que a dose de sucralose aumenta, mais células apresentam acumulação de gordura”, disse Sabyasachi Sen, professor associado de medicina da George Washington University, em Washington, DC. “Isso provavelmente ocorre através do aumento da entrada de glicose nas células por meio do aumento da atividade de genes chamados transportadores de glicose”, segundo o site Science Daily.

O site Science Daily relatou:

Em uma dose de 0,2 milimolar de sucralose semelhante à concentração encontrada no sangue de pessoas com alto consumo de adoçantes de baixa caloria – igual a quatro latas de refrigerante diet por dia – os pesquisadores disseram que observaram aumento na expressão de genes que são os marcadores da produção de gordura e inflamação.

Quando os pesquisadores estudaram as células de gordura humana da gordura abdominal de 18 participantes do estudo que consumiram regularmente adoçantes artificiais – quatro dos quais eram de peso normal, enquanto 14 eram obesos – eles encontraram mudanças genéticas semelhantes que causaram aumento do transporte de açúcar (glicose) para as células dos participantes obesos. Eles também detectaram uma superprodução de genes produtores de gordura nesses participantes, embora poucas mudanças tenham sido detectadas naqueles que estavam em um peso saudável.

Este não é o primeiro estudo a vincular os adoçantes artificiais a um aumento do risco de diabetes. Em 2016, os pesquisadores do Weizmann Institute of Science, em Israel, encontraram o mesmo elo quando expuseram camundongos a água contaminada com sacarina, aspartame ou sucralose por 11 semanas.

O site Natural News relatou:

Os ratos tinham “níveis anormalmente altos de glicose no sangue depois de comer”. Esse pico do metabolismo da glicose aconteceu em apenas cinco semanas e é considerado a marca do diabetes. A sacarina (também conhecida como Sweet’N Low) foi a que mais contribuiu para os níveis elevados de glicose no sangue, então os pesquisadores se concentraram nela. Além disso, parece ter o mesmo efeito, independentemente de os ratos serem magros ou com excesso de peso.

A verdade é que não há solução rápida; não há atalhos; não há pílulas, shakes ou adoçantes dietéticos que magicamente derreterão a gordura e o tornarão saudável. É preciso exercício e comer os alimentos certos para perder peso permanentemente de uma forma que promova a saúde a longo prazo.

Leia mais:

[Estudo] Adoçantes Artificias Agravam a Inflamação Intestinal, Intensificando os Sintomas da Doença de Crohn

[Estudo] Confirmado: Os Adoçantes Artificiais Aumentam o Risco de Diabetes Tipo 2

Fontes:
– Natural News: Artificial sweeteners linked to metabolic syndrome; increases diabetes risk by up to 500%
– Science Daily: Consuming low-calorie sweeteners may predispose overweight individuals to diabetes
– Medicine Net: How is metabolic syndrome defined?
– Natural News: Artificial sweeteners alter gut bacteria and cause metabolic dysfunction leading to obesity and diabetes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe