Notícias Naturais

Falsos positivos levam a uma cirurgia desnecessária que muda a vida de muitas mulheres

Apesar de o câncer de ovário ser notoriamente difícil de diagnosticar, ele causa a morte de cerca de 14.000 mulheres a cada ano (já que é muitas vezes identificado tarde demais), o Preventive Service Task Force dos Estados Unidos descobriu que os exames de rotina podem levar a muitos falso-positivos.

Em um editorial para o Journal of the American Association, a ginecologista da Universidade do Texas, Dra. Karen H. Lu, escreveu: “Com uma necessidade clara e empenho de pesquisa, é importante fazer as seguintes perguntas: Por que não foi possível delinear uma estratégia eficaz de triagem para o câncer de ovário? Uma estratégia efetiva está próxima?

Os ovários são uma parte importante do sistema reprodutivo nas mulheres, pois são responsáveis ​​pela produção e armazenamento de óvulos. O câncer de ovário, que geralmente é adquirido por mulheres com mais de 45 anos, é a quinta principal causa de morte por câncer entre mulheres nos Estados Unidos. Os sintomas do câncer de ovário podem ser confundidos com os sintomas de outras condições menos graves, como dor abdominal ou tensão.

O câncer de ovário é diagnosticado através de um exame de sangue para procurar um marcador chamado CA-125 que é associado ao câncer de ovário. Verificar os níveis de CA-125, no entanto, não é muito útil na identificação do câncer de ovário em mulheres. Isso ocorre porque outras condições comuns também podem causar o aumento nos níveis de CA-125. Além disso, nem todos as que sofrem de câncer de ovário possuem altos níveis de CA-125.

Ele também pode ser rastreado através de um ultrassom transvaginal (USTV) que busca qualquer anormalidade nos ovários. O USTV é um teste que utiliza ondas sonoras para examinar o útero, ovários e trompas de Falópio, colocando uma sonda dentro da vagina. Ele pode identificar se existe um tumor no ovário, mas não pode realmente saber se uma massa é maligna ou benigna.

A Task Force recomenda que as mulheres não sejam submetidas a tais procedimentos (exame de sangue e ultra-som) se não tiverem sintomas de câncer de ovário e se elas não tiverem histórico de câncer em sua família.  A Task Force disse que o ultra-som, o teste de CA-125, ou ambos, não diminuem necessariamente as taxas de mortalidade em mulheres que sofrem de câncer de ovário. Eles apenas levam a um risco aumentado de falsos positivos, o que resultou ainda mais em tratamento desnecessário, como mais testes e cirurgias.

Leia também: Epigenética e Câncer de Mama: Como Você Pode Influenciar seu Risco de Câncer

Existe um caminho para o câncer de ovário ser diagnosticado precocemente?

Pode ser benéfico para as mulheres serem submetidas a exames pélvicos. Durante um exame pélvico, o profissional de saúde examina naturalmente os ovários e o útero quanto ao tamanho, forma e consistência. Este procedimento pode encontrar um câncer reprodutivo em um estágio inicial, e pode ajudar a identificar outras condições ginecológicas.

Os exames de papanicolau também podem ajudar a identificar o câncer de ovário, mas geralmente, ele só é identificado através desse método se o câncer já estiver em um estado avançado.

Leia mais:

As 20 Maiores Mentiras sobre Câncer que a Indústria Farmacêutica fez Você Acreditar

Exames de Câncer de Mama (Mamografias) não São Tão Precisos ou Salvadores de Vidas como se Acredita

Fontes:
– Natural News: Medical experts do NOT recommend routine screening for ovarian cancer; false positives will lead to unnecessary life-altering surgery for many women
Daily Mail: Screening for ‘silent killer’ ovarian cancer is NOT recommended unless you have symptoms, task force declares
– American Cancer Society: Can Ovarian Cancer Be Found Early?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe