Notícias Naturais
Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

Enfrentando as crescentes demandas de opções saudáveis de café da manhã, a Kellog Company, empresa-mãe das marcas de cereais da Kellogg´s, anunciou que irá limitar o conteúdo de açúcar presente dos seus três principais cereais entre 20 a 40% a partir do próximo ano. De acordo com Oli Morton, diretor da Kellog’s do Reino Unido, o movimento é devido às demandas dos consumidores que estão “em busca de uma maneira mais saudável de começar o dia“.

O anúncio foi bem-vindo como um passo na direção certa por vários grupos de consumidores; no entanto, os esforços da empresa para fornecer opções mais saudáveis ​​para seus clientes não devem parar por aí, de acordo com o grupo de saúde Action on Sugar.

Em um comunicado de imprensa, o grupo afirma que esta ação é “apenas um começo” e que, se os fabricantes desejassem dar aos consumidores uma forma realmente saudável de começar a manhã, então eles deveriam reduzir o conteúdo de açúcar em “TODOS OS SEUS PRODUTOS”.

Leia também: O Açúcar é o Maior Veneno que Damos às Crianças

Ainda assim, apesar das crescentes demandas dos consumidores por alternativas mais saudáveis ​​ao sal e ao açúcar, os ajustes feitos por grandes empresas de alimentos eram, no melhor dos casos, estéticos e não faziam nada para resolver o problema, de acordo com um relatório do  Washington Post.

No relatório, o jornal afirma que, embora as empresas removeram o sódio e açúcares adicionados, bem como corantes artificiais e aditivos em alguns produtos, tem havido um aumento na quantidade de gorduras insaturadas, o que poderia elevar os níveis de colesterol no sangue.

Este é o desafio de reformular os alimentos embalados, dizem os especialistas. “Historicamente, tendemos a focar em um elemento da equação por vez: sal ou açúcar ou gordura“, explica o jornalista investigativo Michael Moss. “Eles poderiam responder a uma dessas coisas com bastante facilidade. Mas responder aos três é bastante difícil.

Leia mais: 10 Coisas Terríveis que Você Está Comendo sem Saber

Os resultados do relatório reafirmam esse padrão: os cereais de café da manhã, juntamente com iogurtes e lanches, têm demonstrado diminuição no teor de açúcar e sal. Contudo, os teores de gorduras insaturadas para esses produtos aumentaram notavelmente. De acordo com a American Heart Association, as gorduras insaturadas aumentam o nível de colesterol em seu sangue e podem aumentar suas chances de doença cardíaca e acidente vascular cerebral.

Além disso, os cereais de café da manhã, muitas vezes oferecidos como sugestões saudáveis, podem ser opções enganosas para os consumidores. Palavras como “baixo teor de gordura” e “grãos integrais” são encontradas espalhadas nas caixas em todos os lugares, mas isso não altera o fato de que essas adições não afetam o produto, pois ele já foi carregado com açúcares adicionados e outros carboidratos refinados durante a sua produção. Essas afirmações são reforçadas por estratégias de comercialização de alimentos que visam principalmente as crianças. Um estudo mostra que isso também pode ser um fator para a obesidade infantil, bem como outras doenças alimentares.

Não só isso, mas os cereais do café da manhã também devem estar livres de toxinas potenciais que possam ter efeitos a longo prazo no desenvolvimento cognitivo e sobre a função corporal. Um artigo recente no New York Times relatou altos níveis de arsênico em cereais de arroz  – o que comumente é o primeiro alimento sólido que os bebês comem. A informação, publicada pelo grupo sem fins lucrativos Health Babies Bright Futures, observou que esses casos, onde a substância tóxica é encontrada em produtos alimentares, teve um declínio nos últimos anos. No entanto, os cereais de arroz ainda contêm seis vezes mais arsênico que outros tipos de cereais feitos com aveia ou cevada. Os altos níveis de exposição ao arsênico podem levar a múltiplos cânceres – como os de pele, de bexiga e dos pulmões. Quando as crianças são expostas ao arsênico, isso pode resultar em dificuldades de aprendizagem e distúrbios comportamentais.

O processo de redução dos açúcares nos cereais do café da manhã será monitorado pela Public Health England. Os resultados iniciais do processo deverão ser divulgados em março de 2018.

Leia mais:

Cereais Kellogg’s: Dose Dupla de Transgênicos, Pesticidas e Antibióticos em Seus Produtos

[ESTUDO] Vitaminas Sintéticas de Cereais Matinais ‘Enriquecidos’ Prejudicam as Crianças

Fontes:
Natural News: Sugar isn’t the only problem with breakfast cereals; lack of nutritional value and pesticide toxins also harm health
– BBC News: Kellogg’s to cut sugar in kids’ cereals by up to 40%
– University of Liverpool: Reducing sugar in cereals is ‘just a start’
– The Washington Post: Food-makers are taking salt and sugar out of food. But they’re adding fat.
– AHA: Saturated Fat
– Health Line: Breakfast Cereals: Healthy or Unhealthy?
– WHO: Marketing of foods high in fat, salt and sugar to children: update 2012–2013 (PDF)
– The New York Times: Should You Be Worried About the Arsenic in Your Baby Food?

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

Posts relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *