Notícias Naturais
Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

Muitas pessoas estão conscientes do fato de que o BPA (bisfenol A) é um produto químico nocivo encontrado em vários produtos e é frequentemente usado em recipientes de plástico. Mas novas pesquisas mostraram que os perigos do BPA são mais expansivos do que se pensava anteriormente. As descobertas recentes da Universidade Estadual da Carolina do Norte indicam que a exposição pré-natal ao BPA, mesmo em níveis abaixo do que foi considerado “seguro”, pode ter efeitos desastrosos sobre os fetos. De acordo com a equipe de pesquisa, a exposição ao BPA de baixo nível no útero levou a mudanças na expressão gênica; especificamente, a exposição ao BPA levou a mudanças no desenvolvimento neurológico e na diferenciação sexual. Essas descobertas são certamente motivo de preocupação, para dizer o mínimo.

De acordo com o atual nível de efeito adverso não observado da FDA (NOAEL) para o BPA, o nível seguro de exposição a esta toxina é de 50 microgramas por quilograma de peso corporal por dia. Mas parece que essa quantidade não é segura para todos; a equipe de pesquisa analisou os efeitos da exposição prévia ao BPA em ratos, incluindo níveis de BPA tão baixos quanto 2,5 e 25 microgramas. E eles descobriram que, mesmo no menor nível de exposição, os efeitos negativos sobre o desenvolvimento cerebral poderiam ser observados.

Heather Patisaul, professora de biologia no NC State, trabalhou ao lado da candidata a doutorado Sheryl Arambula para realizar a pesquisa. A dupla descobriu que mesmo a quantidade mais minúscula de exposição produziu mudanças na expressão de vários receptores hormonais nas amídalas dos recém-nascidos – incluindo aqueles para androgênio, estrogênio e oxitocina. A amídala é uma parte do cérebro que desempenha um papel importante nas respostas emocionais e de estresse. De acordo com Arambula, o hormônio androgênio é essencial para formar diferenças entre os cérebros feminino e masculino.

O melhor para a sua saúde você encontra na Tudo Saudável Produtos Naturais

Além das mudanças nos receptores hormonais, a exposição ao BPA também alterou genes que são essenciais para o neurodesenvolvimento e a transmissão da sinapse. Na pesquisa anterior de Patisaul, elas também descobriram que a exposição ao BPA provocou mudanças em outras regiões do cérebro, incluindo o hipocampo e o hipotálamo. Seus estudos sobre o BPA se concentraram no cérebro e no comportamento, e fazem parte de um grupo de pesquisa conhecido como CLARITY-BPA. CLARITY-BPA é uma iniciativa que inclui muitas organizações que investigam o BPA.

Patisaul declarou: “Há agora uma grande quantidade de dados mostrando que o BPA pode alterar o desenvolvimento neurológico. Não há dúvida de que a exposição pré-natal ao BPA em níveis atualmente considerados seguros para os humanos afeta a expressão de genes sensíveis aos hormônios no cérebro do roedor em desenvolvimento, sugerindo que o que consideramos “seguro” para o cérebro humano pode precisar ser reavaliado“.

Leia também: [Estudo] BPA: Tocar em Recibos Pode Prejudicar sua Saúde

Não deve ser surpreendente que as mulheres grávidas evitem o BPA a todo o custo; pesquisas passadas sugeriram há muito tempo os efeitos disruptores endócrinos deste químico tóxico. É bem conhecido que crianças, lactentes e fetos em desenvolvimento são os mais suscetíveis aos efeitos nocivos do BPA. No ano passado, pesquisadores da Dinamarca também descobriram que o BPA é tóxico em níveis muito baixos do que o estimado pelo governo.

Pesquisas recentes também mostraram que a exposição ao BPA durante a infância pode reduzir a biodiversidade no intestino, o que pode criar um cenário de inflamação e doença.

Na verdade, parece que os efeitos perigosos do BPA se estendem a múltiplos sistemas de órgãos em crianças – aumentando ainda mais a preocupação. A pesquisa está claramente começando a mostrar que o nível de exposição do BPA considerado “aceitável” pelo governo claramente não é seguro – mas há muitas maneiras de reduzir sua exposição potencial ao BPA. Uma das maneiras mais fáceis de evitar o BPA é manter-se longe das garrafas de água de plástico. Ficar longe dos recipientes de alimentos plásticos é outro passo fundamental para mulheres grávidas e crianças – e os alimentos que foram reaquecidos em recipientes de plástico também devem ser evitados.

Leia mais:

[Estudo] BPA Reduz a Biodiversidade Intestinal, Tornando Bebês Suscetíveis a Inflamação Crônica e Doenças

5 Itens Tóxicos que Você tem em Casa e nem Percebe

Fontes:
– Natural News: Research shows even “safe” levels of BPA exposure in the womb is detrimental to children; it contributes to neurodevelopment and gender development issues
– Science Daily: Prenatal exposure to BPA at low levels can affect gene expression in developing rat brain
– Science Direct: Prenatal bisphenol A (BPA) exposure alters the transcriptome of the neonate rat amygdala in a sex-specific manner: a CLARITY-BPA consortium study

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

Posts relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe