Notícias Naturais

Um novo estudo sugere que os probióticos podem reduzir o risco de depressão pós-parto em mulheres grávidas em cerca de 50 por cento, de acordo com um relatório do NutraIngredients.

Pesquisadores da Universidade de Auckland e da Universidade de Otago analisaram a relação entre o Lactobacillus rhamnosus HN001 e a depressão e ansiedade pós-parto em mulheres. Eles realizaram um experimento em 423 mulheres saudáveis ​​da Nova Zelândia que estavam entre 14 a 16 semanas de gravidez. Das 423 participantes, 212 receberam aleatoriamente uma dose de L. rhamnosus HN001 todos os dias até depois de seis meses do parto, enquanto as 211 participantes restantes receberam placebo diariamente. As participantes responderam um questionário retrospectivo quando seu filho tinha seis e 12 meses de idade sobre seu bem-estar psicológico quando seu bebê tinha entre 1 e 2 meses de idade.

Os pesquisadores usaram a Escala de Depressão Pós-natal de Edimburgo (EPDS) para medir o humor materno e a versão do item do Inventário de Ansiedade Traço-Estado (IDATE) para medir a ansiedade.

Os resultados mostraram que as mães que tomaram o suplemento de L. rhamnosus HN001 uma vez por dia tinham um risco 50 por cento menor de depressão e ansiedade pós-parto do que o grupo placebo. Além disso, os pesquisadores descobriram que a cólica infantil estava associada a maiores níveis de depressão e ansiedade.

Este estudo fornece evidências de que a suplementação de probióticos com L. rhamnosus HN001 na gravidez e pós-parto reduz a prevalência de sintomas de DPN [depressão pós-natal] e ansiedade pós-parto“, concluíram os cientistas.

Leia também: Como Fazer Kefir Vegano com Leite de Arroz

Segundo as estatísticas dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), cerca de uma em cada nove mulheres sofre de depressão pós-parto. As mães com depressão pós-parto podem sentir tristeza extrema, ansiedade e exaustão, o que dificulta a realização de tarefas cotidianas para si ou para outros.

Enquanto isso, os pesquisadores observaram que as descobertas podem ser de cepa específica e dose-dependente.

Nem todas as cepas probióticas têm o mesmo efeito sobre a saúde e é possível que os resultados encontrados usando HN001 não sejam generalizáveis ​​para outras estirpes probióticas ou em doses mais baixas do que as utilizadas neste estudo“, explicaram os pesquisadores.

O melhor para a sua saúde você encontra na Tudo Saudável Produtos Naturais

Apesar das limitações, Rebecca Slykerman, principal autora do estudo, disse que os resultados do estudo foram positivos e que poderiam oferecer às mães uma maneira fácil e simples de gerenciar sua saúde mental. Ela disse que o probiótico pode ser útil para a prevenção ou tratamento de sintomas de depressão e ansiedade durante o período pós-parto.

As mulheres não conseguem acessar a terapia psicológica ou são relutantes em tomar medicação antidepressiva durante a gravidez ou durante a amamentação“, disse Slykerman em um artigo ao  Daily Mail.

Ela acrescentou que os efeitos terapêuticos dos antidepressivos levam algumas semanas para se notar e há também uma taxa de descontinuação de 15 a 40 por cento.

O estudo foi financiado pelo Health Research Council e Fonterra Cooperative Group Limited.

Leia também: 4 Alimentos Probióticos que Melhoram o seu Sistema Imunológico

Fatos rápidos sobre os probióticos

Os National Institutes of Health definem os probióticos como bactérias vivas que são benéficas para o corpo se consumidas em quantidades certas. Os probióticos podem ser encontrados em produtos que incluem alimentos fermentados como iogurte, kefir, chucrute, sopa misso, kimchi e chá kombucha, suplementos dietéticos e produtos que não são usados ​​por via oral, como cremes para a pele. Eles são dois grupos, Lactobacillus ou Bifidobacterium.

Estudos anteriores descobriram que os probióticos podem ajudar a prevenir ou tratar problemas digestivos como diarreia, síndrome do intestino irritável e doença intestinal inflamatória, distúrbios alérgicos como eczema e febre do feno, problemas de saúde bucal como cárie e doença periodontal, cólicas em lactentes, doença hepática, resfriado comum e enterocolite necrosante em lactentes com peso muito baixo ao nascer.

Leia mais:

[Estudo] Início da Intolerância ao Glúten em Crianças Pode ser Adiado com Probióticos

[Estudo] Probióticos são a Chave para Curar Alergias a Amendoim para Sempre

Fontes:
– Natural News: Pregnant women can reduce their risk of post-partum depression by half with probiotics
Daily Mail: Could taking probiotics help the post-baby blues? New study reveals taking a live bacteria tablet during pregnancy could HALVE a mother’s risk of post-natal depression
– NutraIngredients: Fonterra probiotic strain may help relieve post-natal depression, suggests study
– NIH: Probiotics: In Depth
– CDC: Depression Among Women

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe