Notícias Naturais

A mídia principal está ativamente tentando enterrar as descobertas de um novo estudo que lança uma luz não tão positiva sobre as vacinas contra a gripe. Publicado na revista de revisão por pares Vaccine, o estudo chocante revela que as mulheres grávidas que recebem vacinas da gripe sazonal ano após ano são mais do que quatro vezes mais propensas a sofrerem abortos espontâneos em comparação às mulheres que não recebem.

Financiado pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA, esta pesquisa inovadora rejeita a narrativa do governo oficial de que todas as vacinas são completamente seguras e eficazes, provavelmente por que alguns dos guardiões da “ciência” já estão começando a questionar suas implicações. O editor-chefe da vacina, o Dr. Gregory Poland, por exemplo, declarou recentemente, de forma contraditória, que, embora o estudo levante questões importantes sobre a segurança das vacinas que não devem ser ignoradas, ele também não acredita que as vacinas contra a gripe sejam de alguma forma responsável por causar abortos espontâneos.

“Na verdade”, o Dr. Polond afirmou enfaticamente quando perguntado se as vacinas contra a gripe são ou não arriscadas para mulheres grávidas.

Como o Dr. Polond pode fazer tal afirmação quando o estudo foi conduzido usando métodos científicos rigorosos que muitos consideram ser o “padrão-ouro” ser um pouco falso, especialmente quando se considera o fato de que se o contrário tivesse sido descoberto – que as mulheres grávidas podem receber uma vacina contra a gripe após vacina contra a gripe sem risco de complicações – tais descobertas teriam sido imediatamente declaradas por todas as principais agências de saúde e estações de notícias como pura verdade.

Além disso, foram dois pesquisadores do CDC, não “anti-vacinas”, que perceberam o que a ABC News descreveu como “uma grande diferença” entre as mulheres que haviam sofrido aborto no prazo de 28 dias após a vacina contra a gripe, bem como quem havia recebido uma vacina contra a gripe no ano anterior. Entre essas mulheres, 17 das 485 avaliadas apresentaram abortos espontâneos em comparação com apenas quatro das 485 mulheres de um grupo de comparação não vacinado.

O Center for Infectious Disease Research and Policy da Universidade de Minnesota informou sobre essas descobertas sugerindo “uma forte associação entre o recebimento de doses repetidas da vacina contra a gripe sazonal e o aborto“. Isso praticamente fala por si só, não é mesmo?

Leia também: Por que o CDC e a ANVISA Recomendam às Mulheres Grávidas Vacinas contra a Gripe com Mercúrio?

As vacinas contra a gripe causam abortos espontâneos, cujos fetos abortados são utilizados para fabricar outras vacinas

Além do risco inerente de aborto espontâneo que vem com mulheres grávidas recebendo vacinas contra a gripe, de acordo com esta última pesquisa, há também o uso de tecido fetal humano abortado em muitas vacinas que sugere que a indústria de vacinas é realmente apenas uma extensão da Planned Parenthood e outras jogadores chave da indústria do aborto.

Considere um artigo de pesquisa que foi publicado por Jessica Farnsworth em maio de 2011, que analisou a ligação entre bebês humanos abortados e a produção de vacinas. Ao que parece, a indústria de vacinas baseia-se tecnicamente na indústria do aborto para desenvolver novas vacinas, então não é surpreendente que essas mesmas vacinas pareçam causar abortos também.

As estirpes celulares dos órgãos do feto podem se multiplicar muitas vezes e fornecer uma fonte celular por muitas décadas, servindo como meio de cultura ideal devido à sua longevidade“, informou Farnsworth. “Um bebê abortado pode ser a fonte de uma cepa celular com um rendimento potencial de cerca de 20 milhões de toneladas métricas de células, que podem ser armazenadas congeladas por muitos anos. A disponibilidade de bebês abortados também apresenta uma vantagem econômica sobre as fontes animais de culturas celulares, como macaco, frango, pato, cachorro ou coelho, uma vez que os animais devem ser alojados, alimentados, mantidos e criados“.

Então, você tem: a verdade nojenta de que o negócio do aborto é a chave para a produção de vacinas, o que, por sua vez, resulta em mais abortos. É um ciclo constante de morte que se propaga contra o povo em nome da “saúde pública”, mas, felizmente, a verdade está se espalhando.

Leia mais:

Defensores da Vacina Tentam Explicar a Recente Descoberta da Ligação entre a Vacina da Gripe e o Aborto Espontâneo

Estudo sobre a Vacina contra Gripe e Mulheres Grávidas PROVA que as Vacinas Enfraquecem a Imunidade

Fontes:
Natural News: Shocking new study proves that the vaccine industry is just an extension of the abortion industry
– Natural News: CDC-funded study confirms flu shots linked to spontaneous abortions… vaccine experts rush to explain away the findings
– CIDRAP: Study signals association between flu vaccine, miscarriage
– COG for Life: DEVELOPMENT OF VACCINES FROM ABORTED BABIES (PDF)
– Natural News: Why the vaccine industry needs Planned Parenthood: A never-ending supply of fetuses for use in vaccines

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe