Notícias Naturais
Share on Facebook165Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

O uso prolongado de inibidores da bomba de prótons (IBPs), um tipo popular de medicamento para azia, aumenta dramaticamente o risco de morte. Esta foi a conclusão de uma equipe de pesquisadores da Washington University School of Medicine depois de analisar dados médicos de cerca de 300 mil pessoas. Os autores do estudo dizem que suas descobertas indicam a necessidade de melhorar a vigilância na prescrição dos medicamentos e exercitar melhor compartilhamento de informações entre pacientes e médicos.

Os IBPs, os quais estão prontamente disponíveis no balcão de farmácias sob nomes de marca como Lansoprazol, Omeprazol e Nexium, geralmente são considerados seguros devido à sua disponibilidade. Estudos realizados nos últimos anos já indicaram que o uso desses medicamentos para azia está relacionado a um risco aumentado de danos nos rins, fraturas ósseas e demência. No entanto, esta nova pesquisa publicada no BMJ Open, revelou que o uso de IBPs pode ter consequências muito maiores.

Para os propósitos deste estudo, os pesquisadores usaram dados coletados pelo sistema de Assuntos de Veteranos dos EUA, o qual rastreou mais de seis milhões de pessoas desde 2013. Dentro deste grupo, 275 mil pessoas foram descobertas como usuários regulares de IBPs enquanto outros 75 mil tomaram anti-histamínicos (H2), outra classe de medicamentos usados para tratar o ácido estomacal. O grupo de bloqueadores H2 foi utilizado como base de comparação. Os pesquisadores compararam os grupos e notaram quantos morreram dentro de cinco anos. Deve-se notar que o banco de dados não incluiu informações sobre a causa da morte.

Leia também: Remédios Caseiros para Azia

O autor sênior Ziyad Al-Aly, disse ao Science Daily que “independentemente de como cortamos e fatiamos os dados desse grande conjunto, vimos a mesma coisa: há um risco aumentado de morte entre os usuários de IBPs. Por exemplo, quando comparamos os pacientes que tomaram bloqueadores H2 com aqueles que tomaram IBPs por um a dois anos, descobrimos que aqueles sob os IBPs tinham um risco aumentado de morrer de 50% nos próximos cinco anos.” Traduzido em números mais compreensíveis, isso é calculado para uma morte desnecessária a cada 500 pessoas que adotam os IBPs. Dado que atualmente existem milhões de usuários de IBPs nos EUA, isso poderia significar que milhares de pessoas morreriam ao usar um medicamento supostamente “seguro”.

Essas são descobertas terríveis, considerando que o uso e prescrição de IBPs têm aumentado desde o início do século XXI.

Leia também: Bicarbonato de Sódio: Um Remédio Natural Simples e Eficaz para Curar o Refluxo Ácido

As pessoas têm a ideia de que os IBPs são muito seguros porque estão prontamente disponíveis, mas existem riscos reais ao tomar esses medicamentos, particularmente por longos períodos de tempo“, alertou Al-Aly.

A equipe também viu que o risco era reforçado em pacientes que tomavam o medicamento por mais tempo. O risco de morte no grupo IBP e bloqueador H2 foi insignificante nos primeiros 30 dias de ingestão. À medida que a ingestão foi prolongando-se, o risco de morte aumentou – especialmente se a pessoa tomasse IBPs por um a dois anos.

O tratamento recomendado para muitos dos IBPs é relativamente curto, cerca de duas a oito semanas dependendo do tipo e gravidade da condição. A maioria dos pacientes acaba por continuar este regime médico por meses ou anos. Isso pode ser atribuído ao fenômeno perturbador dos médicos que hesitam em interromper o tratamento simplesmente porque o paciente não apresentou efeitos colaterais negativos discerníveis.

Leia também: 12 Soluções Naturais Para Refluxo Ácido

Muitas vezes as pessoas recebem IBPs prescritos por uma boa razão médica, mas os médicos não os impedem e os pacientes continuam com doses após doses. Deve haver reavaliações periódicas sobre se as pessoas precisam tomar estes medicamentos. Na maioria das vezes, as pessoas não precisam tomar um IBP por um ou dois ou três anos“, disse Al-Aly.

Os pesquisadores do estudo observaram que, embora os usuários de IBPs tendessem a ser mais doentes do que aqueles que tomaram bloqueadores H2 (tipicamente, os usuários de IBPs eram mais velhos e tinham taxas mais altas de diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares), o aumento do risco de morte permaneceu, mesmo quando controlado pela idade e doença.

Em conclusão, a equipe disse que embora os IBPs sejam efetivamente eficazes, seu uso continuado deve ser fortemente regulamentado. Isso é feito com discussões abertas e informativas com um médico.

Al-Aly encerrou sua entrevista no artigo do Science Daily com “IBPs salvam vidas. Se eu precisasse de um IBP, eu absolutamente aceitaria isso. Mas eu não ficaria feliz se eu não precisasse disso. E eu gostaria que meu médico estivesse me monitorando cuidadosamente e me tirasse no momento em que ele não fosse mais necessário“.

Leia mais:

Uso Prolongado de Omeprazol Pode Causar Demência

Os Riscos Alarmantes de 10 Remédios que Todo Mundo Consome

Fontes:
– Natural News: Heartburn drugs (Proton Pump Inhibitors) linked to sudden death risk
Science Daily: Popular heartburn drugs linked to higher early death risk
– BMJ Open: Risk of death among users of Proton Pump Inhibitors: a longitudinal observational cohort study of United States veterans
JAMA: Trends in Prescription Drug Use Among Adults in the United States From 1999-2012 

Share on Facebook165Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

Posts relacionados:

2 Comments

  • Victor disse:

    Olá! Eu uso omeprazol (20mg) diariamente em jejum, desde 2004. Me sinto confortável, pois, se não ingerir a azia logo vem e à noite é certo o refluxo (e no caso deste último, mesmo com o uso de travesseiros). Já fiquei mais de semana sem ingerir, foi terrível; acabei utilizando mais de um blister de magnésia bisurada por dia, além de leite de magnésia Phillips. Já fiz várias endoscopias ao longo destes anos; comentei com o meu médico atual(dentre muitos que já passei), e dentre às respostas pelo meu questionamento pelo uso mais do que prolongado do omeprazol: é melhor (não que também seja bom) fraqueza nos ossos (pois, até então me passaram que este era o único “mal” que poderia surgir) do que câncer no esôfago.
    Também, utilizei Aloe Vera (o que me levou a conhecer este site)porém, não surtiu resultados. O que fazer? Grande abraço.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Victor disse:

    Continuando…não sei se há relação mas ultimamente tenho notado em minha vista direita um embaçamento da visão. Ainda, não consultei a respeito desta situação…será que também é sintoma?

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe