Notícias Naturais

De acordo com novas pesquisas, o consumo de azeite de oliva extra virgem pode reduzir a probabilidade de desenvolver a doença de Alzheimer (DA). Os pesquisadores por trás do estudo, publicado em Annals of Clinical and Transitional Neurology, identificaram este componente-chave da dieta mediterrânea como uma medida preventiva efetiva contra a doença neurológica.

Dirigido pelo Dr. Domenico Praticò, a equipe de pesquisadores realizou seu estudo utilizando um modelo de camundongo transgênico. Os camundongos foram geneticamente modificados para possuir as três principais características da doença, nomeadamente os emaranhados neurofibrilares, a formação da placa amiloide e a insuficiência de memória. Além disso, a equipe certificou-se de usar camundongos com seis meses de idade, já que os sintomas da doença de Alzheimer ainda não se manifestaram nesses camundongos.

Os pesquisadores dividiram os camundongos em dois grupos: um que foi alimentado com uma dieta regular de ração e outro grupo que foi alimentado com uma dieta de ração com azeite de oliva extra virgem da região da Apúlia, na Itália. Após seis meses de tratamento, os dois grupos foram submetidos a testes que mediram suas habilidades de aprendizado, memória operacional e memória espacial.

O grupo que tinha sido alimentado com azeite de oliva extra virgem melhorou em todos os testes. Quando os pesquisadores estudaram as células cerebrais dos camundongos do grupo de azeite, eles encontraram células cerebrais mais saudáveis ​​com níveis reduzidos de formações de placa amiloide e emaranhados neurofibrilares, bem como melhor integridade da sinapse.

As placas amiloides são o acúmulo de proteínas tóxicas nos espaços entre os neurônios. Os emaranhados neurofibrilares, por outro lado, são massas anormais de proteína torcida – tau, para ser preciso – dentro das células nervosas. Acredita-se que a formação da placa amiloide e os emaranhados neurofibrilares contribuam para a doença de Alzheimer.

Os pesquisadores acreditam que os resultados promissores podem ser atribuídos ao azeite de oliva extra virgem que induz a autofagia, a qual é o processo natural de destruição celular. Além de destruir as células, a autofagia também elimina quaisquer detritos tóxicos que se acumulam entre as células. O aumento subsequente na autofagia leva à desintegração e remoção de amiloides e tau fosforilados, informou Medical News Today.

Esta é uma descoberta emocionante para nós“, afirmou Praticò. “Graças a ativação da autofagia, a memória e a integridade sináptica foram preservadas, e os efeitos patológicos em animais destinados de outro modo ao desenvolvimento da doença de Alzheimer foram significativamente reduzidos“.

Como parte de sua pesquisa contínua, Praticò e seus colegas pretendem introduzir o azeite aos ratos que já começaram a exibir sintomas da doença de Alzheimer.

Normalmente, quando um paciente vê um médico devido a sintomas suspeitos de demência, a doença já está presente. Queremos saber se o azeite adicionado em um momento posterior da dieta pode parar ou reverter a doença“, explicou Praticò.

Um breve resumo da doença de Alzheimer

A doença de Alzheimer é uma desordem neurodegenerativa crônica causada pela morte de células cerebrais. Uma vez que a doença de Alzheimer é crônica, ela só piora ao longo do tempo. Os sintomas associados à doença incluem: prejuízos para o raciocínio e julgamento, piora da capacidade de receber e reter novas informações e mudanças de comportamento e personalidade.

Estima-se que 5,3 milhões de americanos de todas as faixas etárias estão afligidos com a doença de Alzheimer, tornando-se o tipo mais comum de demência ou perda de habilidade mental.

A idade, o histórico familiar e a genética são fatores de risco inevitáveis ​​da doença de Alzheimer; os fatores de risco potencialmente evitáveis ​​para a doença incluem, mas não estão limitados a lesões anteriores na cabeça, distúrbios do sono e fatores que aumentam o risco vascular, como diabetes e pressão alta.

Leia mais:

Nutriente Presente no Azeite de Oliva Demonstrou Eliminar as Células do Câncer Cerebral, diz Estudo

[Estudo] Azeite de Oliva Reduz o Risco de AVC

Fontes:
– Tudo Saudável: [Estudo] Azeite de Oliva Extra Virgem Pode Conter a Chave para Prevenir o Alzheimer
– Nutrients News: Extra-Virgin Oil May Hold The Key To Preventing The Alzheimer’s Disease, Exciting New Research Discovers
– Annals of Clinical and Transitional Neurology: Extra-virgin olive oil ameliorates cognition and neuropathology of the 3xTg mice: role of autophagy
– Medical News Today: Extra-virgin olive oil may prevent Alzheimer’s
– Medical News Today: Alzheimer’s Disease: Causes, Symptoms and Treatments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe