Notícias Naturais
Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

Os Perigos do Alumínio - O que Eles Não Querem que Você SaibaUma neurotoxina conhecida – o alumínio tem sido associado ao autismo em crianças e Alzheimer em adultos mais velhos. De fato, de acordo com a Dra. Christine Schaffner, esta substância perigosa é atualmente a toxina número um encontrada entre seus pacientes que sofrem da exposição aos metais – à frente do mercúrio e do chumbo. Tenha em mente, não há absolutamente nenhuma (boa) razão para ter este material dentro do corpo humano.

A Dra. Schaffner relata que nossas habilidades de desintoxicação ainda não alcançaram os desafios que enfrentamos – devido a todos esses produtos químicos nocivos que ficamos expostos a cada dia. Quando você considera a verdadeira toxicidade do alumínio – você rapidamente vê o porquê dos problemas neurológicos estarem em ascensão.

Alumínio unido ao glifosato é uma dupla ameaça para a saúde humana

Embora os especialistas em saúde natural tenham soado o alarme há muito tempo sobre os perigos do alumínio nos alimentos e vacinas, a Dra. Schaffner está particularmente preocupada com o uso do glifosato – o ingrediente ativo presente no herbicida Roundup – e sua capacidade de potenciar o alumínio, piorando assim seus efeitos negativos para a saúde.

Tanto o glifosato como o alumínio interferem com as enzimas que têm um papel importante na produção de melatonina – o hormônio responsável pelo repouso do sono. E o sono repousante é importante para a função do sistema glinfático, uma via cerebral de vasos linfáticos duros que ajudam a desintoxicar o cérebro durante os períodos de sono.

Leia também: Cientista da EPA Adverte que o Glifosato Elimina os Minerais dos Alimentos, Deixando o Corpo Deficiente em Zinco e Magnésio

De fato, um sistema glinfático disfuncional ou danificado pode resultar na produção de grandes quantidades de beta amiloide,  a qual está ligada a muitas formas de demência.

Dr. Schaffner relata que o glifosato pode realmente aumentar a captação de alumínio no intestino, danificando a glândula pineal e bloqueando a absorção de minerais vitais. O glifosato também danifica o revestimento da parede intestinal, aumentando assim a permeabilidade intestinal e permitindo que o alumínio atravesse e entre na corrente sanguínea.

Conclusão: devemos remover o alumínio do corpo tão rapidamente (e com segurança) quanto possível.

Desintoxicação segura e natural é possível com a informação certa

Para ajudar a reverter a toxicidade do alumínio, a Dra. Schaffner aconselha a imunoterapia de baixa dose, com suporte antioxidante de substâncias naturais como açaí, romã, vitamina C, selênio e vitamina E.

A chlorella, sílica lipossomal, cavalinha, e um ligante à base de sílica chamado Enterosgel também podem ser usados, juntamente com um extrato de coentro três vezes por dia e lava pés iônicos duas vezes por semana.

A importância de uma dieta fresca e orgânica não pode ser exagerada, diz a Dra. Schaffner, que recomenda uma sopa de missô e coentro para desintoxicação de metais pesados. Drenagem linfática, escovação a seco, óleo de rícino e enemas de café também são geralmente opções bem toleradas, e de baixo custo para a desintoxicação.

Para reparar os danos ao sistema glinfático, a Dra. Schaffner recomenda frequentemente um regime da melatonina liposomal, junto com a massagem de drenagem linfática suave – em que os tecidos do pescoço são manipulados para ajudar a drenar a linfa.

Simplificando, se você está sofrendo com grandes problemas de saúde, é extremamente importante que você trabalhe com um profissional de saúde bem-treinado para supervisionar o processo de desintoxicação.

Convidada desta semana: Christine Schaffner, ND – uma especialista em saúde natural e questões de toxicidade do alumínio

Christine Schaffner, ND uma médica naturopática credenciada, escritora e educadora, graduou-se na Universidade Bastyr com um diploma de graduação em pré-medicina e psicologia da Universidade de Virginia. Profundamente enraizada em princípios naturopáticos tradicionais, a Dra. Schaffner esforça-se para estabelecer uma fundação forte da saúde combinando a naturopatia e as terapias convencionais para descobrir e tratar a causa subjacente da doença.

Além disso, a Dra. Schaffner, que completou cursos em terapia de oxidação e drenagem bioterapêutica, é a diretora da clínica do Instituto de Saúde Sophia em Woodinville, Washington.

Leia mais:

A Toxicidade do Alumínio Presente em Vacinas

[Estudo] O Alumínio Pode Estar Envenenando Nossos Cérebros e Causando Alzheimer

Fontes:
Natural News: Aluminum dangers – What they don’t want you to know

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

Posts relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe