Notícias Naturais

Salsaparrilha Conheça suas Indicações e BenefíciosHá diferentes espécies de salsaparrilhas disponíveis hoje – Salsaparrilha Jamaicana, Salsaparrilha Indiana, Salsaparrilha Australiana, etc. Além disso, há uma suave bebida com a raiz dessa erva, o refrigerante de Salsaparrilha. Nesse artigo, vamos tratar de detalhes dessa erva: o que é, como funciona e para que serve seu uso? Quais os benefícios e efeitos colaterais?

O que é a Salsaparrilha?

Salsaparrilha é uma planta do tipo espinheiro, trepadeira, que cresce até 50m de comprimento, com ramos emparelhados para a escalada (muitas se encontram bem alto). Produz flores pequenas e frutos na cor preta, azul, ou vermelha, que são comidos pelas aves.

A Smilax officinallis, seu nome científico, é um membro da família dos lírios, nativo nas zonas tropicais e temperadas do mundo e compreende cerca de 350 espécies. Pode ser encontrada na América do Sul, Jamaica, Caribe, México, Honduras, e as Índias Ocidentais.

As hastes de muitas espécies de Smilax são cobertas com espinhos e, às vezes, estas vinhas são cultivadas para formar moitas impenetráveis. A raiz, usada para fins medicinais, é longa e espalha-se, sendo inodora e sem gosto. Muitas espécies de Smilax em todo o mundo compartilham o nome salsaparrilha.

Todas elas são muito semelhantes em aparência, usos, e mesmo estrutura química. Estas variantes incluem S. officinalis, S. japicanga e S. febrifuga da América do Sul (Brasil, Equador e Colômbia), S. regelii, S. aristolochiaefolia e S. ornata (México e da América Latina) e S. glabra (China).

Composição química da planta – É anabólica?

A Salsaparrilha contém os esteroides vegetais sarsasapogenina, esmilagenina, sitosterol, estigmasterol, e pollinastanol, sitosterol glicosídeo, entre outros. A maioria das propriedades e ações farmacológicas da Salsaparrilha têm sido atribuídas a estes esteroides e saponinas. As saponinas têm sido relatadas por facilitar a absorção de outras drogas e fitoquímicos no corpo. Esse fato responde por sua história de uso em fórmulas à base de plantas como agente de biodisponibilidade e de realce do efeito de outras plantas.

Saponinas e esteroides vegetais encontrados em muitas espécies de plantas (incluindo a salsaparrilha) podem ser sintetizados em esteroides humanos, como o estrogênio e a testosterona. Esta síntese nunca foi documentada por ocorrer no corpo humano, apenas em laboratório. No entanto, esteroides vegetais e suas ações no corpo humano têm sido um assunto de muito interesse – principalmente para fins de marketing.

A Salsaparrilha foi comercializada (de maneira fraudulenta) por conter testosterona e/ou outros esteroides anabolizantes. Embora seja uma fonte rica de esteroides vegetais naturais e saponinas, nunca foi provada por ter efeitos anabolizantes e nem testosterona.

Os principais produtos químicos da Salsaparrilha incluem: acetil-parigenina, astilbina, beta-sitosterol, ácidos cafeico-chiquímico, dihidroquercetina, diosgenina, engeletina, óleos essenciais, epsilon-sitosterol, eucrifina, ácido ferúlico, glucopiranósidos, isoastilbin, isoengetitina, kaempferol, parigenina, polinastanol, resveratrol, ramnose, saponina, sarasaponina, sarsaponina, sarsasapogenina, ácido chiquímico, sitosterol-d-glicosídeos, esmilagenina, smilasaponina, saponinas smilax AC, smiglaside AE, smitilbina, estigmasterol, taxifolina e titogenina.

Para que serve? Quais os usos, indicações e benefícios?

A Salsaparrilha é utilizada como um ingrediente de cerveja e outras bebidas pelo fato de fazer espuma e por suas propriedades aromatizantes.

Na medicina, a raiz tem sido usada há séculos pelos povos indígenas da América do Sul para a impotência sexual, reumatismo, doenças de pele, e como um tônico para a fraqueza física. Dessa maneira, os comerciantes do Novo Mundo encontraram-na e introduziram-na na medicina europeia por volta de 1400.

Ela tem sido muito utilizada por tribos do Peru e Honduras para dores de cabeça e dor nas articulações e contra o resfriado comum. Muitos xamãs e curandeiros na Amazônia usam-na interna e externamente para a lepra e outros problemas de pele (como psoríase e dermatite).

Médicos europeus consideram a raiz da salsaparrilha um tônico, purificador do sangue e diurético. A variante do México da raiz foi introduzida na medicina europeia em 1536, onde desenvolveu-se como uma forte candidata para a cura da sífilis e do reumatismo. Desde então, raízes Smilax têm tido uma longa história de uso para sífilis e outras doenças sexualmente transmissíveis em todo o mundo. Com sua reputação de purificador do sangue, foi registrada como uma erva oficial na indústria farmacêutica dos Estados Unidos, sendo oficializada como um tratamento de sífilis de 1820 a 1910.

Por esse contexto histórico, de 1500 até hoje a salsaparrilha tem sido usada como um purificador do sangue e tônico geral. Além disso, também é adotada no mundo inteiro como tratamento para a gota, sífilis, gonorreia, reumatismo, feridas, artrite, febre, tosse, escrófula, hipertensão, distúrbios digestivos, psoríase, doenças de pele e câncer.

Podemos destacar alguns benefícios nutricionais: a Salsaparrilha contém óleos vegetais, amido e os minerais ferro, magnésio, manganês, fósforo, potássio, zinco e selênio. Também tem alguns fitoquímicos, citados na sessão anterior. Os fitoquímicos são compostos antioxidantes encontrados em plantas que limpam os radicais livres e, assim, ajudam a prevenir e tratar algumas doenças em humanos.

O mecanismo de ação exato é desconhecido, mas alguns afirmam que essas propriedades medicinais da salsaparrilha provavelmente decorrem da saponinas. As saponinas são um tipo de fitoquímico que tem propriedades antimicrobianas.

É prudente falar, no entanto, que alguns dos usos atribuídos à planta ainda carecem de estudos científicos e permanecem ainda na crença popular. A próxima sessão relatará alguns estudos realizados e quais dessas inúmeras propriedades foram realmente observadas.

Propriedades biológicas relatadas em investigações clínicas

A pesquisa clínica validou o uso tradicional de salsaparrilha para condições de pele como psoríase, eczema, acne, e lepra. Em 1942, foi relatado no New England Journal of Medicine como um fator de melhora à condição da psoríase. O estudo envolveu 92 pacientes, onde houve melhora das lesões em 62% dos casos e as lesões sumiram completamente em 18% dos casos.

Um dos possíveis mecanismos de ação da salsaparrilha na psoríase é sua propriedade de limpeza do sangue. Os indivíduos com psoríase têm níveis elevados de endotoxinas na corrente sanguínea (endotoxinas são fragmentos da parede celular de bactérias do intestino). A Sarsaponina, um dos principais esteroides da salsaparrilha, tem a propriedade de se ligar a estas endotoxinas e removê-las, melhorando, assim, a psoríse.

Leia também: [Estudo] Evidências para o Uso de Indigo Naturalis no Tratamento da Psoríase Tipo Placa: Uma Revisão Sistemática

Esta ação de ligação à endotoxina é provavelmente o motivo pelo qual a Smilax tem sido usada durante séculos como um “purificador do sangue.” Outros problemas de saúde associados a níveis elevados de endotoxinas incluem eczema, artrite e colite ulcerativa. O uso efetivo da Salsaparrilha no tratamento da hanseníase foi documentado 1959. A eficácia de salsaparrilha no tratamento da acne causada por andrógenos recebeu algum suporte experimental também.

Um dos usos relatado em pedidos de patentes para a salsaparrilha foi em doenças respiratórias. A argumentação foi que a salsaparrilha é um agente preventivo e terapêutico para doenças respiratórias e alérgicas tais como a bronquite aguda, asma brônquica, bronquite asmática, e bronquite crónica. Estes estudos e resultados relatados nesse pedido de patente ainda não foram publicados em nenhuma revista ou jornal.

Conforme citado anteriormente, a salsaparrilha tem sido muito utilizada no tratamento da sífilis. Observações clínicas na China demonstraram que salsaparrilha foi eficaz (de acordo com os testes de sangue) em cerca de 90% dos casos agudos e 50% dos casos crônicos. Na década 50, as propriedades antibióticas de salsaparrilha foram documentadas. Outros estudos relataram atividade antifúngica e antibacterianas.

A sua atividade anti-inflamatória foi demonstrada em experimentos in vitro, utilizando-se diferentes modelos de artrite e inflamação induzidos em laboratório. Um desses estudos relatou a ação imunomoduladora da salsaparrilha como benéfica para a artrite. Outro estudo relatou a proteção do fígado de ratos, sendo concluído que é capaz de prevenir a lesão hepática imuno-mediada.

Melhoras no apetite e digestão foram observados no consumo da salsaparrilha, assim como as suas ações diuréticas. A raiz tem sido comentada como estimulante dos rins em seres humanos e, em nefrite crônica, foi demonstrado o aumento da excreção do ácido úrico.

Os flavonoides encontrados na planta são descritos por serem eficazes no tratamento de doenças autoimunes e reações inflamatórias através de seus efeitos imunomoduladores. A Sarsasapogenina e esmilagenina foram considerados capazes de auxiliar no tratamento de demência senil, disfunção cognitiva, e doença de Alzheimer. Em estudos com animais, a esmilagenina reverteu o declínio de receptores cerebrais em ratos envelhecidos e restaurou os níveis dos receptores aos observados em animais jovens. Assim, reverteu o declínio da função cognitiva, além de impulsionar a memória e a aprendizagem.

Dosagem indicada

Os extratos de salsaparrilha são tomados na forma de chá herbal, normalmente. Para fazer o chá, pode-se adicionar de 1 a 4 gramas do extrato herbal em 250ml de água fervente. Deve-se tomar um copo de chá 3 vezes ao dia.

Essa erva também está disponível na forma de extrato líquido, que pode conter traços de álcool. A dosagem apropriada pode estar por volta de 2 a 3 colheres de chá, a serem tomadas 3 vezes ao dia, também. É bastante relevante citar que em caso de dúvidas ou problemas crônicos, é recomendável procurar indicação médica.

Efeitos colaterais e precauções

Salsaparrilha parece segura para a maioria das pessoas quando utilizada como um medicamento. Ela pode causar irritação no estômago, especialmente quando utilizado em quantidades maiores. Já na gravidez e amamentação, não se sabe o suficiente sobre o uso de salsaparrilha. Portanto, seja prudente e não consuma.

Para os que têm asma, a exposição ao pó de raiz salsaparrilha pode causar corrimento nasal e os sintomas da asma. Por fim, nos que tem histórico de doenças renais, a salsaparrilha deve ser evitada pois pode piorar os sintomas.
Leia mais:

Catuaba Combate Impotência Sexual Tira o cansaço e Melhora a Circulação

 

Catuaba Combate Impotência Sexual, Celulite, Tira o cansaço e Melhora a Circulação

 

 

20 Benefícios da Cúrcuma para a Saúde

 

20 Benefícios da Cúrcuma para a Saúde

 

 

 

 

Fontes:
Mundo Boa Forma: Salsaparrilha: O Que é, Para Que Serve, Benefícios e Efeitos Colaterais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe