Notícias Naturais
Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+2Email this to someone

O Zika Virus ou o Herbicida Roundup é a Causa da MicrocefaliaO que está causando microcefalia? Pode não ser o que a mídia está dizendo a você…

É o Zika vírus ou a exposição ao glifosato?
A mídia tem relatado o Zika vírus como a causa de microcefalia. A história se originou em um comunicado de imprensa da indústria química Monsanto datado de 17 de fevereiro de 2016, que foi depois copiado através da mídia. O Zika vírus foi descoberto em Uganda em 1947, e não houve relatos de microcefalia em Uganda. Um artigo de notícias dos EUA diz que, de acordo com os jornalistas da Associated Press que visitaram a Floresta Zika em Uganda em 01 de fevereiro de 2016, as autoridades locais não têm nenhuma preocupação com o vírus Zika (24).

Relatos do New England Journal

Um recente estudo publicado no New England Journal of Medicine (NEJM), relatou a vigilância do Zika vírus na Colômbia. (80-81) Dos 50 bebês relatados com microcefalia, apenas quatro (8%) tiveram evidência laboratorial de infecção congênita do Zika vírus na RT-PCR (reação da polimerase em cadeia). Os outros 46 casos (92%) foram devido a outras causas.

Das 1850 mulheres grávidas que relataram infecção com o Zika vírus, nenhum bebê nasceu com microcefalia. Os autores afirmam que: (80-81)

A infecção materna com o Zika vírus durante o terceiro trimestre da gravidez não está ligada a anomalias estruturais no feto.”

Se 92% dos bebês com microcefalia não são causados ​​por vírus maternal do Zika, talvez devêssemos estar à procura de outras causas evitáveis.

O Dr. Yaneer Bar-Yam revisou estes mesmos dados do estudo de vigilância da Colômbia. Depois de analisar esses dados, o Dr. Yaneer Bar-Yam concluiu em seu próprio relatório intitulado: “O Zika é a causa da microcefalia?” que não há ligação direta entre o Zika vírus e a microcefalia, e propôs a exposição a pesticidas (piriproxifeno) na água potável como uma explicação alternativa (99):

Estes dados parecem descartar o Zika como causa da microcefalia. Isto dá uma interpretação coerente que não há ligação direta entre o Zika e a microcefalia com exceção da co-ocorrência aleatória.”….”Uma causa alternativa de microcefalia no Brasil poderia ser o pesticida piriproxifeno, o qual é reativo ao ácido retinoico, o qual provoca microcefalia, e está sendo utilizado em água potável.”(99)

Dr. Tiago Baptista questiona o Zika como a única causa da microcefalia

As infecções virais maternas de rubéola ou citomegalovírus foram conhecidas por causar malformação fetal e morte fetal. Não há dúvida de que é melhor evitar a doença viral durante a gravidez. (47-55) No entanto, o Dr. Tiago Baptista em um artigo de 2016 do BMJ questiona “se o surto de casos de microcefalia é inteiramente devido à infecção do Zika vírus” (55) Ele diz que :

O risco de microcefalia após a infecção materna é estimado em cerca de um em cada 100 mulheres… Este é um risco relativamente baixo em comparação com outras infecções causais como o citomegalovírus.” (55)

Uma distração da verdadeira causa – exposição ao glifosato provoca microcefalia e outras Anomalias Congênitas

Eu sugiro que o Zika vírus é apenas uma distração da verdadeira causa, a exposição ao herbicida agroquímico Round-Up da Monsanto, o glifosato, (1-4)

A Dra. Alejandra Paganelli relatou em 2010 que “os herbicidas à base de glifosato produzem efeitos teratogênicos em vertebrados ao alterar a emissão de ácido retinoico.” (8)

A Dra. Paganelli conclui que: “(as malformações congênitas)”, produzidas por herbicidas à base de glifosato são principalmente uma consequência do aumento da atividade endógena do retinoide.”(8)


Dra. Sylvia Lopez

Em 2012, a Dra. Silvia L. Lopez revisou os efeitos dos produtos químicos agrícolas como os herbicidas à base de glifosato em modelos humanos e animais.(9) Ela diz que:

É muito bem conhecido que um aumento agudo ou crônico dos níveis de ácido retinoico (AR) conduz a efeitos teratogênicos durante a gravidez humana e em modelos experimentais. As características exibidas pela embriopatia do ácido retinoico em humanos incluem anormalidades cerebrais, como a microcefalia, microftalmia, e o comprometimento do desenvolvimento do rombencéfalo; orelha externa e média anormais (microtia ou anotia), subdesenvolvimento mandibular e do terço médio da face, e lábio leporino“(9). NOTA: o ácido retinoico é um derivado da vitamina.

Dr. Benitez-Leite

O Dr Benitez-Leite relatou 52 casos de malformações em recém-nascidos de mulheres expostas a produtos químicos agrícolas. As malformações congênitas observadas incluem anencefalia, microcefalia, defeitos faciais, mielomeningocele,lábio leporino, malformações da orelha, polidactilia, sindactilia, todos consistentes com a bem conhecida e esperada síndrome causada por supra-regulação da via do ácido retinoico. (10)

A supra-regulação da via do Ácido Retinoico 
Uma série de relatórios têm ligado a pulverização aérea ao larvicida de mosquitos, piriproxifeno, a defeitos congênitos, como a microcefalia em agriculturas de cidades pulverizadas do Nordeste do Brasil. (106-108) O piriproxifeno interfere a emissão de ácido retinoico (vitamina A), um conhecido mecanismo da microcefalia (106 -108). Em 1995, o Dr. Kenneth Rothman relatou no NEJM que a alta ingestão de vitamina A causa defeitos congênitos. (109)

Aumento de Anencefalia em Yakima Valley no estado de Washington

Outro mecanismo é o glifosato interferir no metabolismo do folato como discutido abaixo no caso de Yakima no Estado de Washington. (35-37)

Ao longo de três anos, de 2010 a 2013, o Departamento de Saúde do Estado de Washington relatou um aumento incomum em bebês anencefálicos nascidos em condados de Yakima, Benton e Franklin, quatro vezes mais que a média nacional. (33-34)

A anencefalia, microcefalia e espinha bífida são todas as doenças relacionadas ao fechamento do tubo neural (DTN) associadas à deficiência materna de folato. A suplementação de folato materno é preventiva. A suplementação de folato materno em Yakima não estava em causa, uma vez que este foi semelhante à média nacional. Barbara Peterson, da Fazenda Wars, faz argumentos convincentes da exposição ao glifosato como a causa, uma vez que o rio Yakima que atravessa os municípios afetados, tinha sido fortemente tratado com glifosato para o controle de plantas daninhas durante esse período de tempo. (29)

Glifosato interfere no metabolismo do folato 
A interferência do glifosato no metabolismo do folato é discutida por Stephanie Seneff em seu artigo de maio de 2016 em Weston Price. (35) O glifosato age como um antibiótico, matando as bactérias amigáveis, bloqueando a via do chiquimato. Estas bactérias amigáveis também estão envolvidas na conversão de bactérias de ácido fólico para folato de metilo, sua forma ativa. A deficiência de metilfolato materno está associada a defeitos do tubo neural do embrião em desenvolvimento. (85-87)

Glifosato interefere no metabolismo da glicina 
O artigo de Stephanie Seneff discute como  o glifosato interfere no metabolismo glicina descarboxilase, conhecido por causar defeitos do tubo neural em estudos com animais e seres humanos. (36-37)

O glifosato é o aminoácido glicina, com um grupo de fosfato adicionado, então o glifosato pode facilmente substituir a glicina em várias reações bioquímicas. O glifosato perturba a glicina descarboxilase substituindo a glicina como um substrato. Além disso, o glifosato substitui a glicina em locais de inserção em cadeias de aminoácidos durante a síntese de proteínas, produzindo enzimas defeituosas (35). O glifosato é, basicamente, o aminoácido, glicina com um grupo fosfato adiciona-do a ele.

O glifosato é uma droga antimicrobiana e anti-folato patenteada

O glifosato é atualmente patenteado como uma droga anti-microbiana. (83,84) O glifosato serve como um agente anti-folato que trabalha em sinergia com outras drogas anti-folato. (58,61) Outros fármacos anti-folato de uso comum incluem o antibiótico do trato urinário, o medicamento reumatológico Bactrim (trimetoprim/sulfametoxazol), metotrexato, e a droga anticonvulsiva Dilantin (Fenitoína). A exposição materna a drogas anti-folato, como o metotrexato Bactrim e o Dilantin aumenta o risco de defeitos do tubo neural no feto em até seis vezes. (85-87) A suplementação de ácido fólico materno tem sido mostrado para reduzir a incidência de defeitos do tubo neural fetal (NTD) e fortificação com ácido fólico no fornecimento de alimentos que foi imposto em 1998. (85-87) (100-103)

Glifosato inibe a via do chiquimato
O modo conhecido de ação do glifosato  é a inibição da via do chiquimato em plantas, fungos, bactérias e parasitas. (58)  O glifosato inibe a via que produz o ácido fólico, a ubiquinona (Co-Q10), Vitamina K, e os aminoácidos aromáticos triptofano, fenilalanina, e a tirosina.

Órgãos reguladores governo consideram o glifosato como seguro para os seres humanos

Órgãos reguladores do governo consideraram o glifosato como seguro para nós seres humanos, porque não dispomos da via do chiquimato. Eles se esqueceram de considerar que os seres humanos dependem da via do chiquimato presente em plantas e de bactérias do intestino para nosso ácido fólico (vitamina B9),  para prevenir os defeitos do tubo neural. Se sua salada do almoço vem de um campo agrícola tratado com glifosato, o qual bloqueia a capacidade da planta sintetizar o ácido fólico, quanto ácido fólico que você está recebendo em sua refeição? Se você está ingerindo glifosato na sua alimentação, bloqueando suas bactérias intestinais de sintetizar o folato, em quanto tempo você torna-se deficiente de folato? O dr. Bekaert disse em 2008 que:

Os seres humanos não podem sintetizar os ácidos fólicos (vitamina B9) e, portanto, têm que dependeer dos alimentos vegetais fornecerem essas vitaminas essenciais.” (104)

O Dr. Craig Roberts sugere que o glifosato pode servir como uma droga anti-folato e anti-parasitária. Ele diz que: (58)

É provável que a via do chiquimato seja importante para o fornecimento precursores de ácido fólico neste parasita… os inibidores da sintase de EPSP (tal como o glifosato) podem atuar em sinergia com os anti-folatos convencionais  e podem ser uma adição útil para os agentes utilizados contra os parasitas apicomplexos.”(58)

Uma citação de um comunicado de imprensa da Universidade de Chicago de 1998 (61) explica que o glifosato bloqueia a produção de ácido fólico:

Novas formas eficazes para inibir parasitas que causam a malária, toxoplasmose e criptosporidiose” 25 de junho de 1998. (61)

A equipe do Dr. McLeod mostrou que o glifosato, …poderia bloquear a produção de ácido fólico, inibindo o crescimento e a sobrevivência do parasita. O glifosato mostrou-se eficaz contra as estirpes de malária resistentes a um medicamento anti-malária, pirimetamina, o qual interrompe o processamento de ácido fólico em um ponto diferente. Para confirmar os resultados, demonstraram que estes  parasitas carente de ácido fólico poderiam ser resgatadoa, em tubo de ensaio, dando-lhes folato.”(61)

Venda anual de pesticidas do Brasil ultrapassa a dos EUA

As vendas de herbicida (glifosato) no Brasil excede a dos EUA (81).

De acordo com Paulo Prada em seu artigo de 2015, o Brasil tem um enorme apetite por pesticidas e herbicidas, superando as vendas anuais dos EUA. (81)

Paulo Prado explica que no Nordeste do Brasil, os canais de irrigação foram construídos, transformando as terras anteriormente áridas em terras agrícolas férteis. Estes canais de irrigação abertos são fortemente contaminados com herbicidas e pesticidas generosamente aplicados nos campos de cultivo. A vida é primitiva para os trabalhadores agrícolas que vivem sem água encanada em suas habitações. Os trabalhadores locais usam os canais abertos de irrigação para sua água potável, portanto, estão muito expostos ao herbicida e ao escoamento de pesticidas.

Câmara aprova projeto de lei de 1,1 bilhão para o Zika Virus. Metil-folato é mais barato.

Em vez de gastar 1,1 bilhão de dólares em um “controverso”  projeto de lei do Zika vírus, eu tenho uma ideia melhor para a prevenção da microcefalia e defeitos do tubo neural. (90) Suponha que, em vez alocar 100 milhões de dólares nós dessemos comprimidos de metil-folato grátis à todas as mulheres grávidas expostas ao glifosato nos EUA e no Brasil. Isso resolveria o problema em uma fração do custo, economizando um bilhão de dólares (90).

53 países obrigam o enriquecimento da farinha com ácido fólico

O enriquecimento da farinha com ácido fólico para a prevenção de defeitos do tubo neural (anencefalia, microcefalia, espinha bífida etc.) é obrigatória em 53 países. O enriquecimento da farinha com ácido fólico foi imposta nos EUA em 1998, a medida de saúde pública mais bem sucedida na história, com a redução de defeitos do tubo neural em 36%. (100-103) Em 2009, o Dr. Oakley declarou esta história de sucesso um “milagre moderno da epidemiologia”. (103)

Estudo dos níveis de ácido fólico no sangue no Nordeste do Brasil
Por que não atribuir fundos de pesquisa para estudar os níveis de ácido fólico no sangue em mulheres do Nordeste do Brasil com alto risco de ter bebês com defeitos do tubo neural? Isso foi feito nos EUA antes e após o início do enriquecimento de ácido fólico em 1998, mostrando a redução da incidência dos defeitos do tubo neural em 36%.  (101) A deficiência (dos níveis de ácido fólico no sangue inferior a 3 ng/ml de ácido fólico) diminuiu de 21% para menos de 1% da população. (101)

Na Austrália, o enriquecimento obrigatório do pão com ácido fólico e iodo foi introduzido em 2009, resultando em uma redução de 50 a 80 por cento em defeitos no tubo neural de mulheres indígenas e adolescentes em risco. (100-112)

Reduzir a microcefalia no Brasil com enriquecimento de ácido fólico

Estudos feitos no Brasil mostram que a deficiência de ácido fólico é grave, afetando 94% entre os pobres. (113) O enriquecimento da farinha com ácido fólico em três países sul-americanos (Brasil, Argentina, Chile) resultou em redução significativa em 52 diferentes anomalias fetais, incluindo a redução na microcefalia e anencefalia. (114) Atualmente todos os países da América do Sul, exceto a Venezuela têm legislação de enriquecimento de ácido fólico obrigatório. (115) Em populações que usam o enriquecimento com ácido fólico houve decréscimos em defeitos do tubo neural de 30 a 50%. (115)

Como tal erro é possível?

Você pode fazer a pergunta óbvia, “como tal erro de pensamento é possível” que o governo iria desperdiçar um bilhão de dólares no o Zika em vez do enriquecimento com ácido fólico? Isso é chamado de CrimeStop ou “estupidez protetora”, apropriadamente descritos no livro (e posterior filme) 1984, dr George Orwell (91):

A mente deve desenvolver um ponto cego sempre que um pensamento perigoso se apresentar… Crimestop, eles chamaram assim na Novilíngua … o grupo que diz que a terra é plana”, “o grupo diz que o gelo é mais denso que a água’ – e treinaram em não ver ou não compreender os argumentos que os contradiziam.

Crimestop significa a faculdade de impor, como que por instinto, no limiar de qualquer pensamento perigoso. Ele inclui o poder de não se apegar a analogias, de deixar de perceber erros lógicos, de mal-entendido dos mais simples argumentos… “…”Crimestop, em suma, significa estupidez protetora.”(91)

Usando o medo e táticas de difamação para distrair a atenção da Monsanto

Este artigo do Huffington Post de 16 de fevereiro, é típico das táticas da Monsanto para desviar a atenção do glifosato Roundup como a causa dos defeitos congênitos em trabalhadores agrícolas no Brasil;  Uma História Viral Liga a Crise do Zika à Monsanto. Não acredito nisso.  Por Anna Almendrala, editora sênior do Healthy Living do Huffington Post. O artigo de Anna é pura propaganda da Monsanto mascarada de jornalismo, não acredito em uma palavra. Se você confiar em qualquer coisa que a Monsanto diz, então eu tenho algo para te revelar.

A Monsanto sabe há décadas que o glifosato causa malformações congênitas, consulte este relatório: Roundup e Defeitos Congênitos. O público tem sido mantido no escuro? por Michael Antoniou Earth Open Source, junho de 2011.

Pesquise no Google Scholar por artigos com as palavras-chave  “microcefalia pesticidas“: você verá 2160 artigos aparecerem.

O glifosato é “provavelmente carcinogênico para os humanos”

Uma série de estudos mostram que a exposição ao glifosato duplica a incidência de linfoma de Hodgkins (92). Conforme relatado na Lancet Oncology pela Dra. Kathryn Guyton, em março de 2015, 17 peritos de 11 países reuniram-se em Lyon na França e classificaram o glifosato como “provavelmente cancerígeno para os seres humanos” (89)

Zika é distração para o glifosato – O elefante na sala

Certamente, a doença viral materna como a rubéola, (CMV) citomegalovírus e o Zika são todos fatores de risco para a morte fetal e malformações fetais, e é melhor serem evitadas. (93-95) No entanto, o Zika vírus é uma distração da verdadeira causa do problema, a enorme exposição ao glifosato das trabalhadoras agrícolas grávidas no Brasil. O glifosato é um medicamento anti-folato patenteado, e as drogas anti-folato são conhecidas por causar a microcefalia e defeitos do tubo neural em animais e humanos.

Professor Don Huber, alimento transgênico e glifosato

A incidência de defeitos de nascença aumentou na população causada pela exposição ao agente anti-folato, o glifosato é apenas a “ponta do iceberg”. As consequências adversas para a saúde dos alimentos geneticamente modificados e contaminação por glifosato dos nossos alimentos e abastecimento de água são muito mais amplas, conforme descrito em uma série de artigos publicados na página de Stephanie Seneff. Aqui está uma citação do Professor Don M. Huber: (88) de seu documento; OGM, Promessas Falhas; Ciência Deficiente: Um problema grave de saúde e segurança.

Os historiadores do futuro podem muito bem olhar para trás sobre nossa época e escrever, não sobre quantos litros de pesticidas aplicamos ou deixamos de aplicar, mas sobre quão dispostos estamos a sacrificar nossas crianças e comprometer as gerações futuras para esta enorme experiência que chamamos de engenharia genética que é baseada em promessas não cumpridas e ciência falha, apenas para beneficiar o resultado final de uma empresa comercial.”  Dr. Don M. Huber

Participe da discussão no Fórum Notícias Naturais.

Leia mais:


Pesticidas do Zika Vírus Ligado a um Aumento de 60% de Autismo – Isto é o Início de uma Epidemia?


Pandemia de Zika foi Projetada para Justificar o Bombardeio de Produtos Tóxicos sobre a População

Fontes:
GreenMedInfo; Zika Virus or Roundup Herbicide The Cause of Microcephaly?
– Jeffrey dach MD: Zika Virus or Glyphosate Exposure Causing Microcephaly

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+2Email this to someone

Posts relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe