Notícias Naturais
Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+1Email this to someone

Estudos Medicos da Industria Farmaceutica sao Feitos por Escritores FantasmasEmbora as grandes revelações sobre a pesquisa científica fraudulenta da indústria farmacêutica tenha surgido anos atrás, a maioria das pessoas ainda não estão conscientes disso. Aqui está a verdade: As empresas farmacêuticas rotineiramente pagam empresas de relações públicas por estudos de ciências clínicas de escritores fantasmas que são publicados em revistas médicas e apresentam à FDA para “provar” que os medicamentos são seguros e eficazes. Mas é tudo uma farsa: Os estudos são pura ficção, engendrados por aquilo que é essencialmente marketing das empresas com o único propósito de obter drogas aprovadas, mesmo quando elas não funcionam ou são perigosas.

Em 2009, cerca de catorze mil mulheres que desenvolveram câncer de mama por tomarem Prempro, uma terapia de reposição hormonal (TRH), processaram a fabricante da droga, Wyeth“, escreveu Rupert Sheldrake em um livro extraordinário chamado Science Set Free.

No tribunal descobriu-se que muitos dos trabalhos de pesquisa médica de apoio à TRH tinham sido escritos por escritores fantasmas de uma empresa de comunicação médica comercial chamada DesignWrite, cujo site se gabou que por mais de doze anos, eles haviam “planejado, criado e/ou gerido centenas de conselhos consultivos, mil resumos e cartazes, 500 estudos clínicos, mais de 10.000 programas de agencias palestrantes, mais de 200 simpósios transmitidos por satélite, 60 programas internacionais, dezenas de sites, e uma ampla variedade de impressos e materiais eletrônicos auxiliares“. Revelou-se que a DesignWrite organizou um “programa de publicação prevista” para o Prempro, que consiste em artigos de revisão, relatos de casos, editoriais e comentários, usando a literatura médica como uma ferramenta de marketing.

Ben Goldacre relatou ao Guardian: A DesignWrite escreveu os primeiros esboços e os enviou à Wyeth, que a aconselhou sobre a criação de um segundo projeto. Só então o estudo foi enviado para o acadêmico que apareceria como o “autor”… A DesignWrite vendeu à Wyeth mais de 50 artigos de revisão por pares sobre a TRH, e um número semelhante de cartazes de conferências, kits de slides, simpósios e suplementos de relatórios. Adrienne Fugh-Berman (uma professora associada de fisiologia na Universidade de Georgetown) descobriu que essas publicações diversas vezes promoviam benefícios não comprovados e sem licença da droga de TRH da Wyeth, minou seus concorrentes, e minimizou seus danos… As publicações de relatórios não são considerados como atividade promocional, então tudo isso foi legal. O pior de tudo foi a cumplicidade dos acadêmicos … “Pesquisas mostram alta confiança dos médicos nos artigos de revistas científicas por informações de confiança de produtos“, disse a DesignWrite. Eles têm razão: quando você lê um artigo acadêmico, você confia que foi escrito pela pessoa cujo nome está nele.

A Wyeth só foi pega depois que suas drogas tóxicas de TRH começarem a causar uma onda de câncer entre as mulheres

Esta atividade nefasta foi descoberta pela PLoS Medicine, uma revista médica de código aberto que tem uma história de ser muito mais transparente do que as revistas farmacêuticas corrompidas habituais como a BMJ e a The Lancet. Como a PLoS relatou:

… os documentos ilustram como a Wyeth Pharmaceuticals contratou a DesignWrite, uma empresa de comunicação médica, que escreve artigos para as melhores revistas médicas com a intenção de reforçar as vendas de produtos de reposição hormonal da família Premarin. Depois que os artigos foram escritos, a DesignWrite solicitou profissionais de saúde proeminentes para aparecerem como “autores”.

Conforme tudo isso foi se desdobrando, o senador Charles Grassley lançou uma investigação sobre as práticas fraudulentas da indústria farmacêutica. Conforme o site LegalExaminer.com relatou:

A empresa farmacêutica Wyeth é acusada de contratar escritores fantasmas para produzir artigos de revistas médicas que favorecem sua terapia de reposição hormonal (TRH), o Prempro, de acordo com as cartas do Congresso que buscam mais informações sobre o envolvimento da empresa em artigos médicos fantasmas.

A equipe do Sr. Grassley publicou vários documentos corporativos internos recolhidos a partir de processos que mostram o papel central, não revelado anteriormente, da Wyeth e da DesignWrite na criação de artigos que promovem a terapia hormonal para mulheres na menopausa já em 1997.

Leia também:  Pesquisadores Fantasmas: Como A Indústria Farmacêutica Nos Empurra Seus Venenos

Os documentos também mostram que os executivos da Wyeth apresentaram ideias para artigos médicos, títulos, esboços elaborados, pagaram escritores para redigir manuscritos, recrutaram autores acadêmicos e escolheram publicações para publicar os artigos – tudo isso enquanto não revelaram o papel das empresas para os leitores e editores das revistas.

Isso era tudo parte do golpe da droga de terapia de reposição hormonal (TRH), quando dezenas de milhões de mulheres eram informadas de que deveriam tomar medicamentos de TRH. Na realidade, essas drogas causaram enormes picos de câncer de mama, gerando uma onda de novos lucros para a indústria do câncer.

O modelo de negócios da indústria farmacêutica é baseado em CAUSAR  doenças que provocam repetição de negócios

Vê como isso funciona? A indústria farmacêutica inventa uma droga que provoca câncer, então contrata um grupo de cientistas de uma firma de relações públicas fraudulenta para apresentarem em conjunto uma série de estudos científicos fictícios, em seguida, a FDA aprova a droga e os médicos começam a empurrá-la. As empresas farmacêuticas subornam os médicos com férias grátis no Havaí, e em seguida estes aumentam as prescrições, ganhando bilhões para as gigantes farmacêuticas. À medida que as taxas de câncer começam a subir rapidamente, a indústria do câncer ganha dinheiro sobre os lucros de toda a cirurgia oncológica, radioterapia e quimioterapia.

É o chamado de “negócio de repetição”, e é o principal modelo de negócio da indústria farmacêutica corrupta.

Qual a novidade? A indústria farmacêutica é corrupta, que criminosamente executa ciência fraudulenta com base em vendas e charlatanismo. De vez em quando, ela é realmente pega e tem que pagar uma grande multa… e depois ela apenas continua cometendo fraudes porque é muito rentável!

A Wyeth, por sinal, é agora propriedade da Pfizer, produz numerosas vacinas e drogas farmacêuticas, as quais têm efeitos secundários tóxicos. A indústria já não precisa envenenar mulheres com drogas de TRH, porque ela conseguiu inserir vírus causadores de câncer em vacinas, garantindo uma forte colheita futura dos lucros do câncer, assim como todas as vacinas fazem.

Participe também da discussão no Fórum Notícias Naturais.

Leia mais:


[Fraude das Vacinas] Merck Falsificou Resultados da Eficácia das Vacinas Contra Caxumba e Sarampo, Dizem Ex-Empregados

Fontes:
Natural News: Big Pharma’s medical research papers are total bunk… hundreds were fraudulently ghostwritten by a P.R. firm called ‘DesignWrite’
– Plos: Wyeth Ghostwriting Documents Added to Drug Industry Document Archive
– Legal Examiner: Sen. Grassley Questions Wyeth Ghostwriting Practices

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+1Email this to someone

Posts relacionados:

1 Comment

  • Leandro disse:

    Isso não é de se espantar, a indústria Farmacêutica são os maiores patrocinadores de doenças no mundo. Fabricar doenças para vender soluções esse deveria ser o lema deles.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe