Notícias Naturais

Saiba Tudo sobre a Ferritina Alta Baixa Níveis de Ferro e ExameÉ uma proteína responsável por armazenar ferro e liberá-lo de forma controlada no organismo. Praticamente todos os seres vivos são capazes de produzir ferritina incluindo, plantas, bactérias e animais. Nos seres humanos esta proteína serve como um regulador contra a deficiência de ferro e a sobrecarga do mesmo.

O ferro é um elemento super importante para o bom funcionamento do corpo humano. Este mineral é indispensável para a formação da hemoglobina, que existe nos glóbulos vermelhos e é responsável por transportar o oxigênio pelo corpo. A deficiência em ferro acabaria levando a sérias complicações médicas.

O exame de ferritina faz o controle e a medição desta proteína e é indispensável para a análise de reservas de ferro. Grande parte da ferritina presente em nosso organismo está inserida dentro de células, ficando apenas uma pequena quantidade no sangue. Quando órgãos que contém ferritina são lesionados pode haver um aumento dos níveis sem que haja aumento da quantidade de ferro total. Os órgãos que mais contém tal proteína são o baço, o fígado e a medula óssea.

O exame para mediação de ferritina costuma ser solicitado em conjunto com outros como o da capacidade de transporte de ferro e o da dosagem de ferro. Variações no nível da proteína pode ser indício de sérias doenças.

Para que serve a medição de ferritina?

Os níveis são medidos com a finalidade de detectar e avaliar deficiências e excesso de ferro. Quando a medição de ferritina está alta pode haver sobrecarga do mineral no corpo humano. Tal condição é capaz de levar a complicações como hemocromatose, porfiria e hemossiderose. Períodos de má nutrição aguda também podem levar a uma elevação de ferritina.

Caso a medição seja baixa pode haver falta de ferro, o que levaria, por exemplo, a uma anemia. Síndrome das pernas inquietas, hipertireoidismo e deficiência de vitamina C são sintomas de ferritina baixa.

Quando é indicado o exame?

O exame de ferritina é geralmente pedido em associação com outros exames de ferro. É indicado quando um hemograma expressa que a hemoglobina e o hematócitos estão abaixo do normal e que as hemácias estão mais pálidas e menores do que de costume, por exemplo. Mesmo que não haja sintomas envolvidos, nestas condições é importante realizar um exame de ferritina.

Algumas vezes a deficiência de ferro não provoca efeitos físicos no início. Entretanto, com o passar do tempo leva a situações como fadiga crônica, tontura, cefaleias e fraqueza. Havendo redução ainda maior nos níveis é possível ocorrer sonolência, irritabilidade, falta de ar e tinido. A piora do quadro envolve insuficiência cardíaca, dores nas pernas e no peito. Crianças podem apresentar dificuldade na aprendizagem. Queimação na língua e anemia são outras decorrências de falta de ferro.

O exame de ferritina também é pedido quando há a suspeita de sobrecarga de ferro. Nestas situações os sintomas são bastante variados e pioram com o tempo. O acúmulo do elemento nos tecidos pode provocar, por exemplo, dores articulares, falta de energia, diminuição da libido, cansaço, fraqueza, dores abdominais e problemas no coração. Diante destes e dos outros sintomas mencionados acima geralmente é solicitado um exame de ferritina.

Como é o exame

O procedimento é simples, rápido e indolor. Uma pequena amostra de sangue deverá ser colhida através de uma veia no braço. Para tanto o paciente será levado a uma área reservado e terá a região em específico do braço desinfetada. O profissional colherá o material e depois levará para análise.

Na análise será pesquisada a quantidade de ferritina no sangue da pessoa. O nível da proteína no sangue possui relações com a quantidade total de ferro armazenado no organismo, já que a ferritina é a principal forma de armazenagem do elemento nas células. Nos seres humanos cerca de 70% do ferro obtido é incorporado à hemoglobina, presente nas hemácias. A maior parte do restante vai para a ferritina, sendo que esta é principalmente encontrada no fígado.

Quando a quantidade de ferro no corpo não é o suficiente as reservas são consumidas, levando a uma diminuição no nível de ferritina. Quando a quantidade é excessiva o nível de ferritina aumenta, assim como as reservas do organismo.

Quais são os preparativos

Para a realização deste exame não são necessários muitos preparativos. A pessoa precisa marcar uma data e comparecer ao local no horário combinado. Pode ser que seja necessário um jejum de cerca de 12 horas antes da coleta, porém é importante conversar com o profissional para receber as devidas orientações. Apesar de ser preciso em alguns casos, este jejum é somente de sólidos.

Muitos locais preferem as amostras ainda pela manhã, portanto, é preciso ficar também atento a este detalhe. De forma geral estes são os únicos preparativos para o dia do exame. Não é preciso comparecer acompanhado e não surte efeitos colaterais.

O que ocorre após o exame

Após o exame a pessoa geralmente é liberada. O resultado deverá ser entregue ao médico solicitante para que este avalie as indicações e tome as devidas providências. Como não há sedação o indivíduo pode retornar para casa ou para o trabalho guiando. O dia pode continuar como de costume, assim como a alimentação.

Muitas vezes este exame é solicitado diante de alguns sintomas já existentes. Portanto, pode ser preciso a realização de alguns outros em conjunto. Caso uma disfunção seja detectada será preciso dar início a um tratamento.

As complicações provocadas pela falta ou pelo excesso de ferro são muitas. O exame de medição de ferritina é indispensável para que o organismo possa ser bem monitorado. Com exames de rotina é possível identificar previamente uma série de doenças. É preciso adquirir o hábito de consultar um médico com frequência, assim como o de realizar estes exames de monitoramento.

Sempre que o corpo manifestar algo de incomum é importante buscar por ajuda. Caso as variações de ferro sejam extremas o organismo pode sofrer perdas irreversíveis. Nunca se deve realizar automedicações, já que o uso incorreto de fármacos pode piorar um estado. O exame de ferritina precisa ser realizado sempre que houver a suspeita de problemas na taxa desta proteína.

Ferritina baixa

A ferritina baixa está sempre relacionada com níveis de baixos de ferro e as suas causas podem ser:

* Anemia ferropriva;

* Hipotireoidismo;

* Sangramento gastrointestinal;

* Sangramento menstrual intenso;

* Alimentação pobre em ferro e vitamina C;

Os sintomas de ferritina baixa, geralmente, incluem cansaço, fraqueza, palidez, falta de apetite, queda de cabelo, dores de cabeça e tonturas e o tratamento pode ser feito com a ingestão diária de ferro ou com dietas ricas em alimentos com vitamina C e ferro, como carne, feijão ou laranja.

Leia também: Vitamina C Reduz a Pressão Arterial, Melhora a Função Vascular e Baixa o Risco de Infarto e Derrame

Ferritina alta

Os sintomas de ferritina alta podem indicar o acúmulo excessivo de ferro, porém, em alguns casos, também pode ser sintoma de inflamações ou infecções, estando associada a:

* Anemia hemolítica e megaloblástica;

* Doença hepática alcoólica;

* Hemacromatose;

* Linfoma de Hodgkin;

* Infarto do miocárdio em homens;

* Leucemia.

Geralmente, os sintomas do excesso de ferritina são dor nas articulações, cansaço, falta de ar ou dor abdominal e o tratamento para ferritina alta depende da causa, mas normalmente também é complementado com a retirada de sangue para equilibrar os níveis de ferro e a adoção de dietas com poucos alimentos ricos em ferro ou vitamina C.

Alimentos com Ferro não são os Únicos Vilões!

Sobre os aspectos nutrológicos do excesso de ferro, em muitos casos é  recomendada a restrição da ingestão do mineral, além do cuidado no uso de suplementos alimentares que possam contê-lo, ou então apresentem vitamina C em sua fórmula –  lembrando que essa vitamina facilita e muito a absorção de ferro nos intestinos. Entre outras medidas, volto a falar na “dupla digestiva”: algumas pesquisas apontam que o uso de café e chá verde logo após uma refeição contendo ferro diminua a absorção do mineral. Alimentos ricos em cálcio, como leite, podem também exercer o mesmo efeito.

Pesquisas recentes comprovam, no entanto, que não é somente o consumo de alimentos ricos em ferro que causa elevações na ferritina. Hoje, sabemos que condições metabólicas diversas favorecem o descontrole do fígado em lidar com o metal. Através da produção de um hormônio chamado hepcidina, é o fígado que está entre em responsáveis por esse controle. A hepcidina atua ajudando o organismo a diminuir os níveis de ferro. Um tipo de açúcar, no entanto, chamado frutose, prejudica o funcionamento do órgão e leva tanto ao aumento nos níveis de ferritina, como nos de ácido úrico, de gordura intra-hepática (dentro do órgão) e causa resistência insulínica. Isso explica, por exemplo, o fato de pessoas que não consomem grandes quantidades de carne vermelha apresentarem ferritina alta – basta que consumam refrigerantes, sucos de caixinha, doces, mel e frutas em excesso. Outro grande vilão da alimentação saudável, o xarope de milho utilizado em produtos industrializados, é também rico em frutose.

Outro vilão nessa questão de prejudicar o fígado na forma como ele lida com o ferro, é o consumo em excesso da gordura do tipo saturada (>7% do total de calorias diárias). Ela é encontrada em frituras, alimentos congelados, biscoitos, sorvetes e fast-food em geral.

Retomando à questão de imediatamente se restringir o ferro na dieta, nada a ver, então, sair logo cortando a carne ou o feijão – ele, inclusive, pode ser um importante aliado quando propomos uma reeducação alimentar (é rico em fibra e proteína). Um detalhe é que quando ingerido junto à carne vermelha, a quantidade de ferro proveniente do feijão é ingerida mais facilmente. Logo, recomendo que se coma-a longe da carne. Quando bem feita, uma orientação nutrológica precisa levar em conta diversos aspectos do metabolismo do fígado, composição dos alimentos e análise de exames com muito critério.

 

Leia mais:

9 Alimentos Surpreendentes para Combater a Anemia

 

9 Alimentos Surpreendentes para Combater a Anemia

 

 

 

proteina_bt_cancer

 

[ESTUDO] Toxina Bt dos Transgênicos Pode Causar Anemia e Leucemia

 

 

 

Fontes:
– Saúde Médica: O QUE É FERRITINA?
– Tua Saúde: Ferritina
– Dr. Leandro Minozzo Blog: FERRITINA ALTA: para entender de vez!

12 Comments

  • leandro alves da silva disse:

    gostei muito do que li, mas gostaria de quando tiver novidades a respeito, favor enviar. obrigado.

  • carl disse:

    gostaria de saber mais quanto ao tratamento de minha ferritina alta de 840 u

  • Roziane lopes disse:

    Gostei muito das informações.

  • Jai disse:

    Muito interessante e educativo, parabéns aos idealizadores dessa página, pois leva as informações necessárias a quem está com as deficiências relacionadas ao Ferro no sangue.

  • JOÃO PEDRO SARTORELLI disse:

    Solicito uma informação, quem tem ferritina no sangue, pode tomar cloreto de Magnésio???

  • amalia palumbo de campos disse:

    amalia palumbo de campos, 28 de feverreiro de 2016, gostei muito sobre a explicaçao de ferritina alta, foi muito util as informaçoes, poi tenha a ferritina muito alta esta em 911, gostaria de receber informaçoes o que devo fazer para que a taxa abaixe, tenho 69 anos moro em fernandopolis, obrigada

  • Aparecida nascimento disse:

    Obrigada pela informação sobre ferritina. Solucionou a enorme preocupação com relação a minha filha que se encontra com o nível muito baixa.

  • Ao ler essa preciosa informação, solucionou a minha grande dúvida. Muito obrigada!

  • gisselli brueckheimer disse:

    Meu esposo tem hemacromatose Hereditária. Além do controle alimentar, todos os envolvidos médicos, pesquisadores e pacientes deveriam se unir e divulgar via mídias e levar às autoridades da OMS e o MS brasileira o direito de comprar alimentos sem aditivos de ferro. Essa doença é ignorada devido o histórico social do nosso povo, mas não dá mais para deixar o projeto de lei engavetado. Hemocromatose mata. E isso não é levado a sério pelos profissionais de saúde. gostaria de saber se existe alguma medicação fitoterápica que auxilia na quelação do ferro no organismo que foi analisado sucessos? grata .

  • Arany disse:

    Gratidão!muito bacana as informações, tenho a Ferritina elevada e após ter feito sangria conseguiu estabilizar por dois anos, agora ela esta elevando novamente e estou tentando entender o por que?… como porção generosa de frutas pela manhã, não consumo açucares nas bebidas…
    Gostaria muito de obter mais informações, pois meu fígado esta c/gordura.

  • amalia palumbo de campos disse:

    foi muito util a explicaçao sobre ferritina alta, nao fiquei com nenhuma duvida.comentario otimo obrigada

  • Ótimas informações. Tenho a ferritina elevada e já foi constatado isso em exames laboratoriais. Isso me assusta um pouco, porque tenho uma alimentação bastante equilibrada, não exagero em nada e procuro me manter saudável. Enfim, fica a dúvida. Não sei o que é necessário pra curar isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe