Notícias Naturais

Dossiê do Whey Protein

10 de abril de 2015

Dossiê do Whey ProteinDescubra as diferenças entre as variações do whey protein, saiba como tomar e tire o melhor proveito do suplemento que é soberano nas academias, nos consultórios de nutrição e nas gôndolas de lojas especializadas. Veja ainda alguns problemas que podem ser causados pelo consumo em excesso  de whey.

Os malhadores não dispensam suas porções diárias para aumentar a porcentagem de massa magra, os nutricionistas sempre recorrem ao suplemento para enriquecer a dieta dos pacientes em casos de baixo consumo de proteínas e, nos blogs fitness, pipocam receitas feitas com o pozinho. O whey protein, uma proteína extraída do soro do leite de alto valor biológico, é a estrela do momento graças à sua capacidade de deixar o corpo durinho e bem desenhado e também seu poder de saciedade, adiando a fome. Mas qual é a melhor variação do suplemento? E como inseri-lo na dieta?

Existem três tipos de whey protein:

Whey protein concentrado: tem pequenas quantidades de carboidrato, gordura e lactose. “Determinadas pessoas podem ter sensibilidade a este tipo de whey por conter a proteína íntegra e pela presença da lactose em sua composição“, explica Alessandra Luglio, nutricionista e consultora da Hero Nutritionals. Porém, é bom para quem busca ganho de massa muscular. “O tipo concentrado tem componentes que aceleram o anabolismo“, afirma Karyna Pugliese, nutricionista especialista em fisiologia do exercício e nutrição clínica.

Whey protein isolado: Possui baixo teor de carboidratos e gorduras e menos de 1% de lactose“, conta Karyna. Por ter rápida absorção, é indicado para regeneração muscular imediatamente após o treino.

Whey protein hidrolisado: a proteína já vem pronta para ser absorvida graças à quebra das moléculas, feita por meio da hidrólise, o que torna a digestão bem mais rápida. “Pode ser uma alternativa para as pessoas que tem intolerância a lactose e alergia as proteínas de origem animal“, esclarece Alessandra.

Vantagens

O whey protein oferece vários benefícios, como a garantia de aumento da massa magra, saciedade e manutenção do sistema imunológico. Porém, apenas um profissional de nutrição poderá indicar qual a variação ideal para a dieta de cada pessoa. “De um modo geral, utilizam-se os wheys isolados ou hidrolisados como parte da refeição pós-treino devido à sua ágil absorção e o whey concentrado como complemento alimentar“, explica a especialista Alessandra. A indicação de quantidade varia entre 20g e 25g de proteína, sempre acompanhada de uma fonte de carboidrato (fruta ou suco). “Também pode servir como lanche entre refeições e antes de dormir. Tudo irá depender de cada indivíduo e de seus objetivos“, reitera Karyna.

As receitas são uma boa forma de variar a forma de consumo do whey protein

Receitas

Você é daquelas que vira a cara só de pensar em ingerir a proteína em pó? Saiba que há várias receitinhas saborosas que podem deixar a dieta mais interessante: bolos, panquecas, brownie e até brigadeiro de whey protein estão liberados. “As receitas enriquecem proteicamente alguns alimentos que, inicialmente, seriam somente fonte de carboidrato“, comenta Alessandra. “Excelentes opções para variar o sabor e a forma de consumo“, comenta Karyna. Vai apostar já?

Musse de morango com whey protein
* Calorias: 52 por porção
* Categoria: Musse
* Dificuldade: Fácil
* Rendimento: 4 porções
* Tempo de Preparo: Zás-trás (até 15 minutos)
* Tipo: Sobremesa
Ingredientes
· 1 caixinha de gelatina diet de morango
· 1 copo (200 ml) de água quente
· 1 copo (200 ml) de gelo
· 2 col. (sopa) de queijo cottage
· 2 col. (sopa) de whey protein sabor morango ou baunilha
Modo de fazer
Dissolva a gelatina na água e deixe esfriar. Junte o gelo, o cottage e o whey protein e bata no liquidificador. Leve à geladeira até endurecer.
Gelatina cremosa de morango com whey protein
 
 
* Calorias: 57 por porção
* Categoria: Doce caseiro
* Dificuldade: Fácil
* Rendimento: 4 taças
* Tempo de Preparo: Zás-trás (até 15 minutos)
* Tipo: Sobremesa
Ingredientes
. 1 caixinha de gelatina diet de morango
. 1 pote (200 g) de iogurte desnatado
. 4 cubos de gelo
. 2 colher (sopa) de whey protein sabor baunilha
Modo de preparo
Prepare a gelatina conforme as instruções da embalagem e leve à geladeira. Depois de pronta, bata no liquidificador com os outros ingredientes. Divida em quatro taças e leve à geladeira para endurecer.

Whey protein: saiba quando o suplemento faz mal à saúde

O consumo excessivo do suplemento que é sensação nas academias pode causar efeitos colaterais como acne e pedras nos rins

O suplemento alimentar whey protein é febre entre os frequentadores de academia que querem ganhar massa muscular. De acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Produtos Nutricionais (Abenutri), existem cerca de 10 000 postos de comércio de suplementos – e o whey protein é responsável por 60% das vendas.
Durante o exercício físico, os músculos sofrem pequenas lesões, que são “curadas” pelas proteínas sintetizadas por células do tecido muscular durante a atividade física. Acredita-se que o consumo de whey protein – elaborado a partir da proteína extraída do soro do leite – acelere esse processo e potencialize o aumento da massa magra.
Quando a proteína entra no corpo, ela é quebrada por enzimas e transformada em partículas menores, os chamados aminoácidos. O organismo necessita de 1 a 1,4 grama de proteína por quilo de peso por dia para desempenhar todas as suas funções e promover o crescimento muscular. Uma quantidade superior a essa, adquirida pela alimentação ou pelo whey protein, não oferece nenhum benefício ao corpo. “O consumo superior de proteína só é necessário para atletas de alta performance, que praticam atividade física muito intensa”, diz Bruno Halpern, endocrinologista e coordenador do Centro de Controle do Peso do Hospital 9 de Julho, em São Paulo.

Músculo – O whey oferece apenas um tipo de aminoácido, o que não é o ideal para o crescimento muscular. “Num prato de comida, por exemplo, você pode encontrar até onze tipos de aminoácidos. Por isso, a proteína obtida pela alimentação é mais saudável e até melhor para a regeneração muscular do que a do whey”, afirma Claudia Cozer, endocrinologista e coordenadora do Núcleo de Obesidade e Transtornos Alimentares do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.
De acordo com os especialistas ouvidos pelo site de VEJA, o suplemento não deve ser consumido por conta própria, mas prescrito por médicos ou nutricionistas. Em excesso, ele pode causar malefícios ao organismo.

Problemas renais
O excesso de proteína é excretado pelo organismo. Nesse processo, os rins são obrigados a trabalhar mais, o que, a longo prazo, pode causar insuficiência e cálculo renal. Para pessoas acima dos 18 anos, a necessidade de proteína é de 1 a 1,4 grama por quilo, em média. “Essa quantidade pode ser obtida por meio da alimentação”, diz Claudia Cozer, endocrinologista e coordenadora do Núcleo de Obesidade e Transtornos Alimentares do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. “Uma medida de whey tem, mais ou menos, de 25 a 30 gramas de proteína, e tem gente que toma mais de uma vez por dia.” Como a pessoa ingere outras fontes de proteína por meio dos alimentos, pode facilmente ultrapassar a necessidade diária e sobrecarregar os rins.

Inchaço
Ainda relacionado à sobrecarga do rim, o consumo exagerado de proteína pode levar ao inchaço do corpo. “Muitas pessoas acham que esse inchaço é decorrente do músculo que cresceu por causa do whey. Mas, como o rim está trabalhando demais, o controle hídrico do organismo fica prejudicado e o organismo começa a reter líquido, causando essa sensação”, diz Paulo Correia, fisiologista e professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Acne
Uma recente pesquisa brasileira constatou que o consumo de whey protein pode aumentar a incidência de acne. De acordo com o estudo, todos os participantes, depois que tomaram o whey, começaram a apresentar o problema. “Isso pode ser explicado porque a proteína do leite contém substâncias que elevam a incidência de acne. No whey protein, elas estão ainda em maiores quantidades”, explicam os autores.

Envelhecimento precoce
As bactérias do intestino modificam o seu funcionamento quando há muita proteína no órgão. Esse processo faz com que elas produzam uma alta quantidade de radicais livres, substâncias relacionadas ao envelhecimento celular.

Aumento de peso
Um grama de proteína tem a mesma quantidade de calorias que 1 grama de carboidrato: 4. Por isso, exagerar no consumo de proteína – em forma de whey protein, por exemplo – engorda tanto quanto extrapolar nos carboidratos. Segundo Bruno Halpern, endocrinologista e coordenador do Centro de Controle do Peso do Hospital 9 de Julho, em São Paulo, as pessoas não associam o ganho de peso à proteína porque ela oferece mais saciedade. Em excesso, porém, ela vira gordura, por servir, também, como energia para o organismo.

Fontes: Claudia Cozer, endocrinologista e coordenadora do Núcleo de Obesidade e Transtornos Alimentares do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo; Paulo Correia, fisiologista e professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp); Bruno Halpern, endocrinologista e coordenador do Centro de Controle do Peso do Hospital 9 de Julho.

Leia mais:

8 Razões para Você Começar a Comer Mais Ovos

 

8 Razões para Você Começar a Comer Mais Ovos

 

 

 

Fontes:
M de Mulher: Dossiê Whey Protein
– M de Mulher: Musse de morango com whey protein
– M de Mulher: Gelatina cremosa de morango com whey protein
Veja: Whey protein: saiba quando o suplemento faz mal à saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe