Notícias Naturais

Ritalina a Droga Legal que Ameaça o FuturoÉ uma situação comum. A criança dá trabalho, questiona muito, viaja nas suas fantasias, se desliga da realidade. Os pais se incomodam e levam ao médico, um psiquiatra talvez.  Ele não hesita: o diagnóstico é déficit de atenção (ou Transtorno de Deficit de Atenção e Hiperatividade – TDAH) e indica ritalina para a criança.

Com efeito comparável ao da cocaína, droga é receitada a crianças questionadoras e livres. Podemos abortar projetos de mundo diferentes…

O medicamento é uma bomba. Da família das anfetaminas, a ritalina, ou metilfenidato, tem o mesmo mecanismo de qualquer estimulante, inclusive a cocaína, aumentando a concentração de dopamina nas sinapses. A criança “sossega”: pára de viajar, de questionar e tem o comportamento como de um zumbi, como a própria medicina define. Ou seja, vira zumbi — um robozinho sem emoções. É um alívio para os pais, claro, e também para os médicos. Por esse motivo a droga tem sido indicada indiscriminadamente nos consultórios da vida. A ponto de o Brasil ser o segundo país que mais consome ritalina no mundo, só perdendo para os EUA.

Leia também: [Filme] Manual de Diagnóstico e Estatístico: A Farsa Mais Mortífera da Psiquiatria

A situação é tão grave que inspirou a pediatra Maria Aparecida Affonso Moysés, professora titular do Departamento de Pediatria da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Unicamp, a fazer uma declaração bombástica: “A gente corre o risco de fazer um genocídio do futuro”, disse ela em entrevista ao  Portal Unicamp. “Quem está sendo medicado são as crianças questionadoras, que não se submetem facilmente às regras, e aquelas que sonham, têm fantasias, utopias e que ‘viajam’. Com isso, o que está se abortando? São os questionamentos e as utopias. Só vivemos hoje num mundo diferente de mil  anos atrás porque muita gente questionou, sonhou e lutou por um mundo diferente e pelas utopias. Estamos dificultando, senão impedindo, a construção de futuros diferentes e mundos diferentes. E isso é terrível”, diz ela.

Leia também: 12 Verdades Chocantes sobre os Perigos dos Medicamentos Psiquiátricos

O fato, no entanto, é que o uso da ritalina reflete muito mais um problema cultural e social do que médico. A vida contemporânea, que envolve pais e mães num turbilhão de exigências profissionais, sociais e financeiras, não deixa espaço para a livre manifestação das crianças. Elas viram um problema até que cresçam. É preciso colocá-las na escola logo no primeiro ano de vida, preencher seus horários com “atividades”, diminuir ao máximo o tempo ocioso, e compensar de alguma forma a lacuna provocada pela ausência de espaços sociais e públicos. Já não há mais a rua para a criança conviver e exercer sua “criancice.

Loja Tudo Saudável Produtos Naturais pelo menor preço

E se nada disso funcionar, a solução é enfiar ritalina goela abaixo. “Isso não quer dizer que a família seja culpada. É preciso orientá-la a lidar com essa criança. Fala-se muito que, se a criança não for tratada, vai se tornar uma dependente química ou delinquente. Nenhum dado permite dizer isso. Então não tem comprovação de que funciona. Ao contrário: não funciona. E o que está acontecendo é que o diagnóstico de TDAH está sendo feito em uma porcentagem muito grande de crianças, de forma indiscriminada”, diz a médica.

Mas os problemas não param por aí. A ritalina foi retirada do mercado recentemente, num movimento de especulação comum, normalmente atribuído ao interesse por aumentar o preço da medicação. E como é uma droga química que provoca dependência, as consequências foram dramáticas. “As famílias ficaram muito preocupadas e entraram em pânico, com medo de que os filhos ficassem sem esse fornecimento”, diz a médica. “Se a criança já desenvolveu dependência química, ela pode enfrentar a crise de abstinência. Também pode apresentar surtos de insônia, sonolência, piora na atenção e na cognição, surtos psicóticos, alucinações e correm o risco de cometer até o suicídio. São dados registrados no Food and Drug Administration (FDA)”.

Leia também: FDA Aprova Nova Pílula para Perda de Peso que Pode Aumentar Pensamentos Suicidas

Enquanto isso, a ritalina também entra no mercado dos jovens e das baladas. A medicação inibe o apetite e, portanto, promove emagrecimento (nada saudável). Além disso, oferece o efeito “estou podendo” — ou seja, dá a sensação de raciocínio rápido, capacidade de fazer várias atividades ao mesmo tempo, muito animação e estímulo sexual — ou, pelo menos, a impressão disso. “Não há ressaca ou qualquer efeito no dia seguinte e nem é preciso beber para ficar loucaça”, diz uma usuária da droga nas suas incursões noturnas às baladas de São Paulo. “Eu tomo logo umas duas e saio causando, beijando todo mundo, dançando o tempo todo, curtindo mesmo”, diz ela.

Participe da discussão no Fórum Notícias Naturais.

Leia mais:

hiperatividade

 

Hiperatividade – Causa Está na Mesa, Adverte Psiquiatra

 

 

 

 

zohydro NN

 

Zohydro – A Nova Droga Zumbi Aprovada Pela FDA

 

 

 

 

Fontes:
– Farmácia News: Ritalina, a droga legal que ameaça o futuro
– Biblioteca Virtual de Antroposofia: Ritalina, a droga legal que ameaça o futuro
Outras Palavras: Ritalina, a droga legal que ameaça o futuro

28 Comments

  • Izilda Rodrigues Viana Assis disse:

    Não é bem assim. Em alguns casos se a criança não é medicada fica impossível do professor trabalhar em sala de aula. Os colegas de classe são prejudicados pelo estímulo constante de ter uma criança plantando bananeira entre as fileiras da sala. Em algumas situações o aluno TDAH agride os colega, derruba os materiais dos colegas e não obedece as regras. Nada a ver com aluno questionador. Esses sim devem ser estimulados e não freados com ritalina ou outras drogas. Falar sem vivenciar a situação é fácil, mas só quem vive sabe da realidade. Já tive diversas experiências com alunos TDAHs, cada um tem seu perfíl. Tem aqueles que apesar de não concentrarem não se prejudicam, mas prejudicam os colegas. Outros que além do diagnóstico ainda apresenta um quadro de deficiência intelectual; aí fica ainda mais complicado. Apesar do que disse, não penso que a medicação deva ser administrada em todas as situações.

    • Marcio Neves disse:

      Não é bem assim? O o medicamento é uma droga, ponto, e com isso eu não deveria nem precisar dizer mais nada… mas vamos lá. O artigo fala do uso indiscriminado da tal droga e diagnóstico de TDAH hiperatividade mal feito afim de ajudar pais em não serem mais e professores em não serem professores… Vc entendeu isso ou quis apenas compartilhar sua experiência de casos que possivelmente sejam diagnosticado como TDAH e hiperatividade? Outra questão agora é, comprovadamente a alimentação industrializada favorece a hiperatividade. Creio tbm que a falta de atenção dos pais, falta das crianças serem crianças e fazerem coisas de criança contribua para a tal hiperatividade, e assim, pais que não querem ser pais e professores q não querem ser professores apostam em drogas para as crianças para suprir as suas próprias deficiências….

    • francisco de jesus disse:

      tinha que ser professora pra dizer isso…existem os meios academicos para lidar com uma crianca que planta bananeira e não dar cocaina liquida para ela, por a senhora não toma? quem sabe para de falar besteira.

  • Flavio Vaz disse:

    Gostaria de saber se esta medicação realmente é aconselhada em crianças autistas e se pode causar algum mal a elas. Qual outra medicação seria aconselhada nesses casos e quais as consequências que a criança autista pode vir a sofrer?

  • Nara disse:

    É bem assim sim…..meu filho desde os 5 anos foi medicado para dar o tal descanso aos professores. …e na realidade ele precisava era de atenção diferenciada fazendo com que tais atividades chamassem sua atenção. …todos os sintomas citados acima ele teve: dependência a ponto de implorar “mãe me dá meu remédio”, os surtos, depressão, convulsão entre tantos outros sintomas….. Então professores, assim como também sou, aulaa criativas….que chamem atenção. ….ai seus alunos hiperativos serão os melhores…..

  • Fabiola disse:

    Eu tenho uma filha com 10anos,e ela toma ritalina LA,começou atomar com 7anos,e essas noticias sobre esse medicamento tem me apavorado!!!! ja levei ela em varios neourologistas e todos me disseram que nao posso parar com a ritalina,fiz exames neuropsicologicos porque ela esta com 10anos e nao sabe ler!!!faz tratamento com:psicologa,psicopedagoga,fonoaudiologa e com o neurologista…foi diagnosticada com dislexia,deficit gravissimo de atençao e hiperatividade….fico preoculpada,mas nao tenho coragem de parar o medicamento,sem orientaçao medica…

    • claudia disse:

      Fabíola, sou terapeuta do método Padovan em BH, procure na internet sobre esse método e olhe em sua cidade se ha algum profissional desse método que possa te esclarecer. Tenho, no consultório, muito sucesso com crianças e adolescentes com esse quadro. Não desista! Um grande abraço.

  • wania disse:

    Fico triste em ver esse tipo de problemas com crianças, infelizmente as pessoas que necessitam de usar o medicamento sabem o problema que enfretam, Deus abençoa que vai existir tratamentos menos agressivos para curar seus filhos, vou pedir a Deus em minhas orações que apareça um anjo que descobre um novo tratamento.

    • marcia maria disse:

      Olá Wania td bem querida? você foi a unica que teve sabedoria pra falar só Deus sabe a luta que já enfrentei com meu filho de 10 anos que infelizmente toma esse medicamento te peço que me ajude em oração vamos mesmo pedir ajuda e orientação de Deus pois só ele pra agir em nosso favor na palavra de Deus fala que onde estiver 2 ou 3 reunidos em meu nome ali eu estarei.

      • joao bonacin disse:

        isso mesmo wania e marcia , vamos orar e clamar pelo socorro de Deus , se o remedio conserta de um lado e prejudica de outro , entao so temos uma saida , DEUS ira socorre-las , vamos , nao desista ora porfavor

  • wilma disse:

    Quanta crueldade com essas crianças, sao os tais indigos que vieram para esse planeta somente para ajudar nos eh nao estao sendo compreendidos, eles vieram prontos eh so sabermos compreende los…por essa razão sou a favor de uma educação especial.

  • soleci disse:

    Concordo, quando a matéria afirma que o uso está sendo feito de forma indiscriminada, conheço um pai que tem um filho com diagnóstico de TDAH, que está sendo tratado com outro medicamento, quando o diretor do colégio ficou soubendo pediu ao pai para ele falar com o médico dar ritalina, pois como disse o remédio deixava a criança bem mais calma. Quer dizer , que o diretor tentou induzir o pai a usar uma droga que o médico achava que não era o caso, por já ter tido experiência com outros alunos ele deve achar que o melhor é dar logo a ritalina pra todos e deixar todos iguais como se fossem robozinhos.

  • erica disse:

    Existem casos e casos. Eu tenho 80%das características de TDA (não TDAH, se bem que minha mente é hiperativa, não para..kkk), e isso e bem exaustivo. Mas fui a criança na escola que passava um tempão olhando pela janela e viajando…quietinha, não atrapalhava ninguém..e isso e complicado, pq essas tendem ser esquecidas…ao contrário das crianças que viram a sala de aula de cabeça para baixo! Mas eu estou aqui, pra glória de Deus! Nunca reprovada em ano escolar, formada…mas só Deus sabe o quanto tive que me esforçarpara isso, não foi fácil! Aliás, não e até hoje. Mas aprendi a me aceitar, e isso dedico a atuação do Senhor Jesus em mim. Ele me convenceu do seu amor por mim, mesmo com minhas limitações. Ele me fez assim para um propósito, eu creio, não estou aqui a toa! Tudo poderá ser menos doído quando os pais e professores e profissionais passarem a encorajar as crianças que sofrem com isso, ao invés de rotulá-las (como eu fui rotulada de vagarosa, pela própria família..não os culpo, eles nem sabiam que existia TDA). Os adultos não sabem o peso de carregar um estigma de “terrível, pestinha, ou lerda, burrinha”, não façam isso com suas crianças! Não devemos maldizer uma criança, devemos abençoa-la! Eu quis deixar aqui meu depoimento, para vcs refletirem que ninguém e perfeito, todos somos especiais e todos merecem ser aceitos. Bjs!

  • Renate Erharter disse:

    Minha filha teve o diagnostico de Hds como se chama aqui na Suissa.Depois de algum tempo tomando a Ritalina vieram outros problemas.O pediatra nos receitou outra droga e so veio a piorar e minha filha apresentava reacoes,dores estomacais ,dores intestinaia e medo de ficar so,de andar ate l ponto de onibus em uma cidade pequena e calma onde todos se conhecem.Decimos parar com a ritalina.Foi uma fase dificil.Tivemos acompanhamento de um Homeopata e que devo hoje agradecer a boa vontade e ajuda dele.Minha filha hoje leva uma vida normal,feliz e esta iniciando sua vida profissional na Enfermagen.
    No meu mode ver a ritalina e receitada rapido demais.A crianca precisa de atencao,carinho e de pessoas dedicadas.Muito importante e estar e frequentar atividades ao ar livre.Estas criancas precisam de amor,compreensao e muita calma vinda da Familia e dos professores.

    • MARIA MOREIRA disse:

      quando não se tem, ou teve “… atencao,carinho e de pessoas dedicadas. …. amor,compreensao e muita calma vinda da Familia
      há que se sujeitar aos medicamentos.

  • than disse:

    O diagnostico dessas criancas e falta de palmadas e educacao. Fui uma crianca muito rebelde, levada da breca,no meu tempo nao existia remedios ou drogas p. acalmar…existia castigo e palmadas e o essencial : presenca da mae. Na atualidade as criancas vivem sozinhas, aos cuidados de empregadas e babas…essas jamais vao dar educacao, o que na realidade nao e de responsabilidade delas.As criancas de hoje sao taxadas de TDAH, doentes,etc…sao na verdade mimadas…Os filhos de pobre nao tem essas doencas. Falo isso porque na minha epoca eu era taxada de genio ruim, o que na verdade eu enfrentava meus pais…falava o que achava e pensava…e recebia castigo e ate mesmo surras. Hoje a molecada enfrenta os pais dizem que eles sao doentes que nao podem ser contrariados…Agradeco a meus pais hoje as palmadas, surras…aprendi a respeitar as pessoas, a nao ser egotista, egoista…enfim: palmadas e o castigo e o melhor remedio e calmante.

  • helia dias disse:

    meu filho tem !7 anos até hoje ñ lê nem escreve nada é muito calmo viaja nas emoções o unico remédio q o médico passou pra ele foi nooltropil q ñoa valeu de nada já fez fono pisicopedadgoga levo sempre ao neuro faço exames mais ñ da resultado pelo exame ele ñ tem nada gostaria muto q algum médico recomenda se algum outro remédio pra ele

  • Vanessa disse:

    E tao dificil opinar.pq existem casos e casos..por acaso remédio pra diabetes e bom pra quem n tem diabetes? ?? E quem tem vai deixar de tomar pq n presta? Meu filho foi diagnosticado com tdha com 3 anos.so Deus sabe o q eu passei e a famila toda..É tao facil falar q tem q aaguentar q eles sao muito inteligente bla bla bla. .claro q sao.se fossem loucos tomavam diazepan..eu ja tentei mil remedios…pq a ritalina n fazia muito bem..deixava mesmo ele depresivo e isso tbm eu n queria…so dava a ritalina a mais baixa possivel pro colegio e alternava dias tbm…meu filho tem 14 anos…hoje eke n toma mais nada..ele ai da é agitado…mas eke teve uma melhora muuuito grande…mas as marcas da hiperatividade ficaram nele…isso se vê pelos pouco amigos q e tem. .É de dar do. . Todos sendo convidadoa paraa uma festa e seu filho nao..na hora do recreio as crianacas brincando e seu filho sosinho deixado de lado triste..eu n posso mudar a cabeca das pessoas..confesso q ate pra mim
    é muito dificil. Entao acho q esse assunto é muito complexo. N da pra generalizar de forma nenhuma..tenho um filho mais novo..tbm é .Muito agitado..mas n da nem pra comparar..ele dorme assiste tv..escuta histórias. Senta na mesa na hora da refeicao coisa qo outro nunca fez….esse mais novo mesmo muito agitado eu o considero “normal”..enfim trato meu mais velho agora com acupuntura. E faz acompanhamento psicológico. .tem sido muuuito bommmmm recomendo. Sou contra o uso indiscriminado da ritalina sim..

  • marcia maria disse:

    olá wania conto com vc para orarmos a Deus em favor dessas crianças pois infelizmente tenho um filho com com diagnostico de TDAH e ele toma tbém a ritalina como tenho sofrido por causa disso eu tenho pago um preço em orações e campanhas pra Deus curar meu filho e só ele para fazer o milagre.

  • Alex disse:

    E assim sim! Antes de sair dando remédios, mesmo que seja receitado, análise se o problema não está em casa, a falta de tempo dos pais para com os filhos pode ser a causa para esses transtornos, as vezes eles querem só atenção.

  • Ina disse:

    Vejam o caso da ginasta Daiane dos santos, medalhista, que na infância foi diagnosticada como TDH e aconselhada a usar remédios. Sua mãe foi contra e a encaminhou ao esporte.
    Seguimos no Brasil a medicina dos EUA que medicaliza; na Europa o diagnostico é infinitamente menor por doença e remédios, sendo a questão vista mais como psicossocial.

  • ronaldo disse:

    Tenho dois sobrinhos com TDAH,que fazem tratamento com um mestre da neurologia.tomaram a ritalina por dois anos,e foi o que ajudou na alfabetização dos dois.Mas vivemos num País onde existem muitos médicos vendedores de receitas.
    Mas existem ainda muitos profissionais sérios,que amam o que fazem.Quanto a ritalina,deve-se depois de um tempo fazer a dezassociação.

  • Jairo disse:

    Tenho um filho hoje com 10 anos, com 7, depois de inúmeras reclamações e problemas nas escolas por onde passou , foi diagnosticado com Tdh e Hiperatividade, quando receitaram Ritalina eu chorei muito pois já havia pesquisado sobre a medicação e sabia de seus efeitos colaterais, por isso rasguei a receita e não comprei a droga, com 8 anos os problemas se agravaram e procurei novamente ajuda médica, foi quando receitaram novamente a Ritalina, dessa vez resolvi dar ao meu filho como última opção para essa situação. Meu filho aparentemente havia melhorado na escola, as reclamações diminuiram, porém meu filho passou a sentir constantemente dores de cabeça, eu sabia que daí seria para pior, conversei com minha esposa, pedimos direção ao Senhor, e decidimos que iríamos tirar a medicação e substitui-la pelo dobro de amor que já sentíamos pelo nosso filho, encontramos em nosso favor uma escola onde havia uma excelente professora que amava o que fazia e estava disposta a ajudar-nos. Meu filho passou apenas dois meses com a tal da Ritalina para nunca mais usá-la. Hoje ele age dentro dos comportamentos normais para uma criança de idade e Com saúde. Deus é maravilhoso.

  • denise disse:

    convivo com meu enteado que tem essa doença e digo nao é facil em casa até tudo bem a gente consegue controlar e contornar as situaçoes mas na escola a prof tem mais de um aluno para atender entao fica dificil todo medicamento tem seu pos e contras entao ninguem quer alguem chapado do lado mas as vzs para concentrar é preciso ajuda.

  • Flavia disse:

    Meu filho tem hiperatividade, fez o uso de ritalina,mais fez por pouco tempo. Quando vi que ele estava igual zumbi, preferi parar com o medicamento. Muitos acham que a agressividade, comportamento é próprio do hiperativo,meu filho é inquieto sim,mais nunca foi agressivo e sempre soube se comportar nos lugares,isso já é do comportamento dentro de casa,se VC deixa seu filho fazer qualquer coisa,não coloca limites aí sim será uma criança que vai dar trabalho. Meu filho é hiperativo mais tem limites, ele tem que respeitar o limite do outro. Hoje ele está com seus 16 anos,é agitado,mais nunca me deu trabalho e nem mesmo na Escola. Os professores sempre elogiaram pq mesmo sendo hiperativo sempre soube se comportar, o máximo que ele fazia era ficar de pé escrevendo sem se sentar,acho que o limite somos nós país que temos que colocar em nossos filhos, mesmo no hiperativo.

  • Sandra disse:

    Pesquise, procure grupo, sempre há outra alternativa depois de AMOR!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe