Notícias Naturais
http://www.anovaordemmundial.com/2014/05/estudo-roundup-ligado-um-crescimento-de-intolerancia-ao-gluten.html

A doença celíaca, intolerância ao glúten e síndrome do intestino irritável estão em ascensão em todo o mundo, e essa ascensão ocorreu em paralelo com o aumento do uso do herbicida glifosato (Roundup da Monsanto), como mostra um novo estudo por revisão de pares (peer-reviewed) nos EUA do Dr. Anthony Samsel e da Dra. Stephanie Seneff. A revisão foi publicada no Journal of Interdisciplinary Toxicology.

Encontre o estudo por revisão de pares completo aqui.

O Roundup está ligado ao grande aumento da doença celíaca (também conhecida como enteropatia glúten-induzida), de acordo com o novo artigo de revisão de Samsel e Seneff. Uma estimativa recente sugere que um em cada vinte pessoas nos EUA e Europa Ocidental agora sofrem desta doença de intolerância ao glúten.

Todos os efeitos biológicos conhecidos do glifosato – inibição do citocromo P450, interrupção da síntese de aminoácidos aromáticos, quelação de metais de transição, e ação antibacteriana – contribuem para a patologia da doença celíaca“, afirma o estudo da Samsel e Seneff.

O glifosato da Monsanto (Roundup) tornou-se o herbicida número um  mais vendido no mundo, devido ao aumento do plantio de culturas transgênicas (geneticamente modificadas) que são utilizadas em conjunto com o herbicida Roundup da Monsanto.

O que é doença celíaca?

A doença celíaca é uma doença digestiva que danifica o intestino delgado e interfere na absorção de nutrientes dos alimentos. As pessoas que têm a doença celíaca têm intolerância ao glúten, uma proteína do trigo, centeio e cevada. O glúten é encontrado principalmente em alimentos, mas também podem ser encontrados em produtos de uso diário, tais como medicamentos, vitaminas e hidratantes labiais.

Quando as pessoas com doença celíaca comem alimentos ou usam produtos que contêm glúten, o seu sistema imunológico responde danificando ou destruindo vilosidades – as pequenas saliências digitiformes que revestem o intestino delgado. As vilosidades normalmente permitem que os nutrientes dos alimentos sejam absorvidos através das paredes do intestino delgado para a corrente sanguínea. Sem vilosidades saudáveis, uma pessoa torna-se desnutrida, não importa o quanta comida se coma.

Resumo da revisão pelo Journal of Toxicology Interdisciplinar:

Autores: Dr. Anthony Samsel e Dr. Stephanie Seneff

A doença celíaca, e de forma geral a intolerância ao glúten, é um problema crescente em todo o mundo, mas especialmente na América do Norte e na Europa, onde se estima que 5% da população agora sofre com isso. Os sintomas incluem náuseas, diarreia, erupções cutâneas, anemia macrocítica e depressão. É uma doença multifatorial associada a inúmeras deficiências nutricionais, bem como questões reprodutivas e aumento do risco de doenças da tireoide, insuficiência renal e câncer.

Aqui, propomos que o glifosato, o ingrediente ativo do herbicida Roundup®, seja o fator causal mais importante nesta epidemia. Os peixes expostos ao glifosato desenvolvem problemas digestivos que são uma reminiscência da doença celíaca. A doença celíaca está associada ao desequilíbrios da flora bacteriana do intestino,o  que pode ser totalmente explicado pelos efeitos conhecidos do glifosato nas bactérias do intestino. As características da doença celíaca apontam para o comprometimento de muitas enzimas do citocromo P450,  as quais estão envolvidas com a desintoxicação de toxinas ambientais, ativando a vitamina D3, catabolizando a vitamina A, e mantendo a produção de ácidos biliares e os suprimentos de sulfato para o intestino. O glifosato é conhecido por inibir enzimas do citocromo P450.

As deficiências em ferro, cobalto, molibdénio, cobre e outros metais raros associados com a doença celíaca podem ser atribuídas à forte capacidade do glifosato de dissolver (“quelar” no original) estes elementos. As deficiências em triptofano, tirosina, metionina e selenometionina associadas à doença celíaca correspondem ao conhecido esgotamento destes aminoácidos pelo glifosato. Os pacientes com doença celíaca têm um risco aumentado de linfoma não-Hodgkin, que também tem sido implicado a exposição ao glifosato. Problemas reprodutivos associados à doença celíaca, tais como infertilidade, abortos e defeitos de nascimento, também pode ser explicados pelo glifosato.

Os resíduos de glifosato no trigo e outras culturas estão provavelmente aumentando recentemente devido ao crescimento da prática de dessecação de culturas pouco antes da colheita. Nós argumentamos que a prática de “amadurecimento” da cana de açúcar com o glifosato pode explicar a recente onda de insuficiência renal entre os trabalhadores agrícolas na América Central. Concluímos com um apelo aos governos para repensarem as políticas relativas à segurança dos resíduos de glifosato em alimentos.

Leia mais:

Ministério Público quer Proibir uso do Glifosato no Brasil






[ESTUDO Glifosato] Pesticida Para Transgênicos Causa Câncer de Mama em Níveis Inferiores aos Permitidos no Brasil










Fontes:
Tradução: Notícias Naturais
– Sustainable Pulse: Roundup Linked to Global Boom in Celiac Disease and Gluten Intolerance
– Intedisciplinary Toxicology: Glyphosate, pathways to modern diseases ll: Celiac sprue and gluten intolerance (PDF)
– Digestive: What is celiac disease?

3 Comments

  • Salomão Tôrres disse:

    Importante artigo.

    muito obrigado.

  • JOSEMARI SAWCZUK DE ARRUDA CAMPOS disse:

    Artigo muito importante! A humanidade está ficando severamente doente devido às intoxicações e modificações da composição dos alimentos, para as quais ainda não houve tempo de adaptação do organismo humano.Isso leva a menor produtividade , maiores custos com o gerenciamento das doenças e suas complicações, além dos óbvios prejuízos de qualidade de vida, de modo geral! Urge repensar as políticas públicas e integrar os saberes. Coloco , em público, minha própria situação de saúde: sou médica, epidemiologista e pediatra, e estou muito doente devido a complicações de permeabilidade intestinal elevada por intolerância ao glúten, e alergia a inúmeros alimentos e ao espessante GOMA GUAR.Mas sou uma privilegiada em saber o que tenho, pois a Divina Providência me permitiu estar viva, estudar e confirmar com exames feitos na Alemanha. E acrescento: a maioria dos médicos e das escolas médicas não estão adequadamente preparados para todas as ações que esta nova epidemia demanda; sequer para o diagnóstico!

  • ronaldo ruffo disse:

    Muito importante este artigo, pena que no
    Brasil infelismente é potgencia americana da
    Monsanto é que domina, tudo começou pelos
    transgenicos; Duvido que o Brasil va tomar
    qualquer ação contra a Monsanto.

1 Trackback or Pingback

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe