Notícias Naturais
Ao colocar a estética em primeiro lugar, muitas pessoas recorrem a métodos duvidosos, como “dietas da moda”, para alcançar um ideal de beleza. Para o nutrólogo Antonio Lancha Jr., pesquisador e professor titular na Escola de Educação Física e Esporte da USP, as pessoas procuram dietas por não terem uma educação nutricional adequada.

Grande crítico de dietas em geral, Lancha explica que, por serem estabelecidas por um determinado período, as dietas não alteram significativamente os erros no padrão alimentar, o que acaba levando a pessoa a engordar e ter novamente complicações após o término da dieta.

Ele defende, por outro lado, uma reeducação alimentar, que mude o esqueleto da alimentação, levando em consideração as características e gostos do indivíduo, pois uma alimentação saudável deve estar relacionada ao prazer e não ao sofrimento.

Algumas dietas restritivas em determinados nutrientes, prometendo milagres e tendo como “garotas propaganda” algumas celebridades consideradas modelos de beleza, viraram tendência nos últimos anos.

Sobre a eficiência desses métodos, o nutrólogo alerta que “Toda vez que você faz uma restrição calórica de qualquer natureza, por qualquer nutriente, você acaba provocando redução de peso, o que não significa que houve perda de gordura”.

Às vezes, acontece exatamente o contrário, a pessoa consegue reduzir seu peso corporal, mas acaba aumentando sua porcentagem de gordura.

A restrição de carboidrato dificulta a utilização da gordura como fonte de energia

Uma das dietas mais populares dos últimos tempos é a que restringe e ingestão de carboidratos, principalmente no período da noite.

Mas abrir mão de um nutriente tão importante pode ser contraproducente quando o objetivo é perder gordura corporal.

Primeiramente, a restrição de carboidrato, como explica Lancha Jr, “leva a uma grande produção de corpos cetônicos, que são indicativos de que a queima da gordura não está funcionando efetivamente e de que estamos consumindo nossa massa muscular.

Ela dificulta a utilização da gordura como fonte de energia, pois o carboidrato é necessário para oxidar a gordura.

Ou seja, para emagrecer de fato (queimar gordura), nós precisamos ingerir carboidrato.

Além disso, o nutrólogo explica que zerar o carboidrato a noite dificulta o estado de sono, “pois a redução de glicose no sangue faz com que o organismo dispare diversos sinais, através de hormônios, para que você busque alimento. 

Ele dispara um sinal chamado de sistema simpático, que é o sistema de luta ou fuga, e que, uma vez disparado, impede que a pessoa tenha um sono tranquilo”.

Uma outra questão a ser considerada é que “ao retirar o carboidrato da alimentação, invariavelmente aumentamos o consumo dos outros dois nutrientes fornecedores de energia, Gordura e Proteína”.

A gordura, além de ser muito mais calórica, tem a digestão muito mais complexa e lenta, o que também dificulta bastante na hora de dormir.

Evidências científicas mostram que o carboidrato, longe de ser vilão, na verdade é um aliado em uma alimentação saudável. De acordo com Lancha Jr. “o carboidrato é a estratégia fundamental para garantir a queima de gordura e preservar a massa muscular. 

Ao restringir o carboidrato na alimentação, nós perdemos massa magra e, proporcionalmente, deixamos o organismo mais gordo, mesmo que haja redução de peso.”.

Ele ressalta que “Isso é complicado tanto na questão da saúde como na estética, pois perdendo massa muscular, a pessoa perde o que é popularmente chamado de definição, ou seja, as características de um organismo magro”.

Leia mais:

 

As 10 Melhores Formas de Emagrecimento

 

 

 

Cortar o Trigo da sua Dieta é Benéfico, diz Dr. William Davis

 

 

 

Regime Perigoso: Mulheres Ingerem Algodão Embebido em Suco para Emagrecer

 

 

Fontes:
Fórum Notícias Naturais: Desmistificando as dietas da Moda: Dieta sem Carboidrato
Discovery Mulher: Desmistificando as dietas da Moda: Dieta sem Carboidrato

3 Comments

  • heisenberg disse:

    na boa, o cara so falou merda aí.

    quem – tal como eu – estudou e praticou a fundo essa dieta sabe empiricamente e cientificamente que, basicamente tudo o que o cara aí disse está errado.

    aos interessados, vide dr rondo, souto, sorrentino, o grande naturopata joseph mercola, lyle mc, like sisson, entre outros.

    • admin disse:

      Olá heisenberg, vou procurar um contraponto à opinião do profissional citado no artigo e acrescentar ao post.
      Obrigado pelo comentário.

      abs

    • miriam disse:

      heisenberg concordo com você plenamente…os carboidratos,principalmente os refinados,não acrescentam nada de nutrição ao corpo humano..esquimós não fazem uso de carboidratos e são saudáveis….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe