Notícias Naturais

O que é Medicina Ortomolecular?

14 de março de 2014
Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+3Email this to someone

O que é Medicina Ortomolecular“Doutor, o que é Medicina Ortomolecular ?” É uma pergunta que ouço sempre no meu dia-a-dia. Há diversas maneiras de respondê-la. Eis algumas:

Tão desconhecida quanto mal falada, a tal “Orto” é tratada por alguns colegas com um ar maroto de superioridade, charlatanismo, modismo, não-científica. São críticas desferidas, quando na verdade a resposta sincera deveria ser: “Não conheço“ ou “Conheço e não aprovo”. Outros já apresentam, quando em vez, uma curiosidade não assumida, empurrada ladeira acima pela ansiedade dos pacientes que querem vias alternativas à “milagrosa drogaria” moderna.

Uma boa resposta no bate pronto é a desconcertante – “Olha, não existe medicina ortomolecular, aliás, não existe medicina alopática, não existe medicina homeopática, não existe…, etc. Existe MEDICINA. Um grande guarda-chuva que abriga diferentes terapêuticas (aí sim) alopática, homeopática e vá lá, ortomolecular.” Ao contrário do que alguns afirmam por aí, a ortomolecular perante o Conselho Federal de Medicina (CFM) NÃO é uma especialidade médica e nem Área de atuação. Ela tem o reconhecimento (regulamentação) do CFM como estratégia ou abordagem, conforme a resolução 1938/2010. Mas nenhum médico pode se intitular especialista em Medicina ortomolecular pois a mesma não é especialidade. Assim como não existe a especialidade Medicina estética, Ecologia médica ou Medicina ecológica.

Outra resposta possível é “A Orto, em termos simples, é uma abordagem nutricional e higiênica para tempos bicudos“.

Voltando ao histórico da terapia ortomolecular, o termo “Ortomolecular” foi cunhado por Linus Pauling (Prêmio Nobel de Química em 1954 e da Paz em 1962), conhecido mundialmente por seus trabalhos e pela ênfase com que recomenda o uso diário de vitaminas (principalmente a vitamina C) e minerais. O mesmo  pensou no ser humano saudável como um “caldo”completo e complexo de moléculas. Assim, onde houvesse falta ou excesso ali estaria a base para o surgimento de doenças. Boa visão para um químico, soma das partes no fundo. Entretanto – na minha percepção, o prefixo Ortho (que em grego significa certo, correto) é um retorno a uma “velha nova” maneira de abordar o binômio doença/saúde.

No Brasil temos dois pioneiros na medicina ortomolecular. Ambos pesquisadores renomados e que contribuiram para a popularização da Ortomolecular.

Prof. Dr. Hélion Póvoa  é um dos maiores especialistas na área de nutrição e bioquímica do país. Foi ex-aluno de Linus Pauling e trouxe para o Brasil a ortomolecular. Membro titular da Academia Nacional de Medicina, pesquisador da Fiocruz e professor-visitante de Nutrição em Harvard. Tem mais de 400 trabalhos de pesquisa publicados no Brasil e no exterior. Inúmeros livros sobre ortomolecular.

Prof. Dr. José de Felippe Jr é também um dos  pioneiros da ortomolecular (ou como o próprio denomina: Medicina Biomolecular) no Brasil. Fomou-se pela Santa Casa de São Paulo, tem doutorado em Fisiologia pela Universidade de São Paulo,  PhD em Ciências , livre docente de Clínica Médica e Medicina Intensiva pela Universidade do Rio de Janeiro, fundador e Primeiro Secretário Geral da Associação de Medicina Intensiva Brasileira ( AMIB).

A ortomolecular atua basicamente de 3 modos:

1) Modo PREVENTIVO: através de diagnósticos cada vez mais precoces, detectando alterações metabólicas subclínicas, antes do surgimento de doenças, utilizando-se do tratamento Ortomolecular que visa o equilíbrio global do indivíduo, dando-lhe condições de manter-se sadio ou, diante de doenças, obter melhor resposta a terapêutica específica empregada. Os exames por nós utilizados incluem: exames de imagem, exames laboratoriais, mineralograma capilar. Exames como a Bio ressonância muito utilizada por alguns ortomoleculares não possui validação científica perante a ANVISA e por isso alguns ortomoleculares mais céticos não o utiliza.

2) Modo SISTÊMICO: atua na avaliação diagnóstica de todos órgãos e sistemas, analisando a inter-relação e interdependência entre eles e nos tratamentos nutricionais celulares, através de suplementação com nutrientes indispensáveis ao organismo ou retirando substâncias em excesso ou tóxicas, como metais pesados.

3) Modo INTERATIVO: atua na inter-relação dos sistemas humanos com os sistemas ambientais, visto que estamos dentro de uma grande teia e os sistemas interagem: homem/natureza; homem/animais, homem/alterações climáticas, homem/poluições.

O exercício da ortomolecular não é uma tarefa fácil, pois, o desafio é descobrir quais os nutrientes que estão faltando , os que estão em excesso e ainda verificar os elementos tóxicos no organismo do indivíduo.  Muitas das vezes, a correção dos desvios encontrados é o suficiente para proporcionar o equilíbrio metabólico e energético necessário para o indivíduo retornar ao estado de saúde.

A “orto” em sua essência, visa a prevenção através da adoção de medidas nutricionais e higiênicas e isso inclui:

1) Higiene do sono:

2) Higiene dos alimentos e do ecossistema:
2.1  Combate as parasitoses intestinais (detecção e tratamento) além  reeducação para não se recontaminar;
2.2 Em defesa da agricultura orgânica e modos sustentáveis de vida;
2.3 Combate e esclarecimento da população sobre os riscos da poluição da água, ar, solo, poluição sonora, eletromagnética;

3) Higiene corporal:
3.1 Evidenciando os malefícios do sedentarismo e das atividades físicas extenuantes;
3.2 Elucidando a importância da manutenção de uma respiração correta;
3.3 Salientando quais hábitos de vida são nocivos para a nossa saúde e suas possíveis repercussões em todo o nosso organismo;

4) Combate aos vícios (álcool, tabagismo, drogas):

5) Abordagem nutricional no combate à formação excessiva de radicais livres:
5.1 Prevenção e tratamento de doenças através do nosso arsenal terapêutico, composto por MINERAIS, AMINOÁCIDOS, VITAMINAS, ÁCIDOS GRAXOS, FITOTERÁPICOS e ALIMENTOS FUNCIONAIS;
5.2 Busca pela correção molecular, suplementando quando necessário e retirando os excessos;
5.3 Elucidando a necessidade de uma dieta inteligente, saudável, adequada e equilibrada, a fim de que o organismo possa obter a grande maioria dos nutrientes;
5.4 Objetivando esclarecer ao paciente a importância da manutenção de um sistema digestivo íntegro, saudável (saúde digestiva)

6) Abordagem ecológica
6.1 Visa evidenciar a necessidade de manutenção do equilíbrio entre o homem e o meio em que vive (natureza), defendendo a teoria de que quando há uma ruptura entre esse equilíbrio surgem inúmeras patologias.

Mas afinal, o que a ortomolecular trata? Todas as patologias que tem como causa base um processo inflamatório decorrente do aumento da produção de radicais livres ou diminuição da capacidade antioxidante.

Autor:
Dr. Frederico Lobo (CRM-GO 13192, CRM-DF 18620)

Leia mais:

 

As 15 Melhores Ervas Medicinais

 

 

Fontes:
–  ASOMED: “Doutor, o que é Medicina Ortomolecular?”

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+3Email this to someone

Posts relacionados:

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe