Notícias Naturais
Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+24Email this to someone

estudo harvard autismo

Estudo de Harvard classifica o flúor como uma neurotoxina. A principal causa de TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção e hiperatividade) e autismo em crianças pode ser os produtos químicos escondidos à espreita nos alimentos que comemos, na água que bebemos e nos produtos que consumimos, diz um novo estudo publicado recentemente na revista The Lancet

Pesquisadores da Escola de Saúde Pública de Harvard (HSPH) e da Escola de Medicina Icahn no Monte Sinai (ISMMS) constataram que, entre outras coisas, os produtos químicos do flúor adicionados a muitos sistemas públicos de água na América do Norte, contribuem diretamente para ambos os transtornos mentais e comportamentais em crianças.

Com base em pesquisa anterior, publicada em 2006, a qual colocou o flúor como “um neurotóxico do desenvolvimento”, a nova revisão incluiu uma meta- análise de 27 estudos adicionais sobre o flúor, a maioria dos quais eram da China (veja nosso artigo a respeito de um destes estudos), que ligava a substância química com QIs reduzidos em crianças. Após análise minuciosa, foi determinado que o fluoreto, impede o desenvolvimento adequado do cérebro e pode levar a transtornos do espectro do autismo, dislexia, TDAH e outras condições de saúde, uma ” epidemia silenciosa” que muitas autoridades de saúde tradicionais continuam a ignorar.

De acordo com os dois principais pesquisadores envolvidos no estudo, Philippe Grandjean de Harvard e Philip Landrigan, a incidência de transtornos de neurodesenvolvimento relacionados a produtos químicos dobraram nos últimos sete anos, de seis para 12. A razão para isto é que, um número crescente de produtos químicos em sua maioria não testados, estão sendo aprovados para uso sem o público ser informado onde e em que quantidades esses produtos químicos estão sendo utilizados.

Desde 2006, o número de produtos químicos conhecidos por danificar o cérebro humano de modo mais geral, mas que não são regulamentados para proteger a saúde das crianças, tinha aumentado de 202 para 214“, escreve Julia Medew para o jornal The Sydney Morning Herald. “A dupla de pesquisadores disse que isso pode ser apenas a ponta do iceberg, porque a grande maioria dos mais de 80.000 produtos químicos industriais largamente utilizados nos Estados Unidos, nunca foram testados para os seus efeitos tóxicos sobre o feto ou a criança em desenvolvimento“.

Pasta de Dente sem Flúor Oralin Você Encontra na Tudo Saudável Produtos Naturais

Nota blog Anti-NOM: obviamente que a situação no Brasil não é nada melhor. Os EUA diminuíram o limite de flúor na água potável, enquanto que no Brasil, o limite permaneceu alto.

O flúor deve ser imediatamente removido do abastecimento público de água para a segurança infantil

Embora os pesticidas dominaram lista da dupla como os produtos químicos mais difundidos e prejudiciais, cujo grande parte do público em grande parte desconhece, o flúor, que é intencionalmente adicionado à água de abastecimento público como um suposto protetor contra a cárie dentária, também é altamente problemático. Ele também é amplamente ignorado pelas autoridades de saúde pública como um possível fator de problemas de desenvolvimento na infância, mesmo que a ciência seja clara sobre seus perigos.

Assim como o chumbo, alguns solventes industriais e produtos químicos de plantações, o flúor é conhecido por se acumular na corrente sanguínea humana, onde ele eventualmente é depositado nos ossos e outros tecidos corporais. Em mulheres grávidas, isto também inclui a passagem através da corrente sanguínea para a placenta, onde, em seguida, acumula-se nos ossos e tecido cerebral de bebês em desenvolvimento. Os efeitos disso são, é claro, perpetuamente prejudiciais, e algo que as autoridades reguladoras precisam levar mais a sério.

O problema é de âmbito internacional, e a solução deve, portanto, ser também internacional“, afirmou Grandjean em um comunicado à imprensa, pedindo melhoria dos padrões regulamentares para produtos químicos comuns. “Temos os métodos prontos para testar produtos químicos industriais sobre os efeitos nocivos no desenvolvimento do cérebro das crianças – e agora é a hora de fazer com que o teste seja obrigatório.”

Para saber mais sobre os perigos do flúor e a ciência que mostra como ele é prejudicial e nada benéfico para os dentes, não deixe de verificar os artigos e documentários abaixo:

Leia mais: 

Revista Médica diz que o Flúor Está na Mesma Categoria de Neurotoxina que o Chumbo e Mercúrio

Estudo: O Aumento de 1% no Nível de Flúor na Água Potável Pode Causar 131.000 Casos de TDAH

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+24Email this to someone

Posts relacionados:

5 Comments

  • miguel franchi disse:

    O fluor tbm é encontrado em depósitos no cérebro de quem tem alzheimer

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • INÁCIO NUNES PINTO disse:

    Excelente matéria, é desse tipo de informação que o povo precisa cada vez mais. Continuem sempre com essas maravilhosas publicações informativas. parabéns pessoal desse blog.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Sérgio disse:

    Coentro desintoxica o organismo de metais pesados!

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Bruno disse:

    Bem, parece bem interessante a relação entre ambos, porém em que artigos você encontrou essas citações? Não há de fato autores que tenham dito isso? Em uma pesquisa no Google não achamos os artigos da universidade de Harvard. Então conclui-se que seu texto está altamente descredibilizado, e tem 99,9% de chance de conter INFORMAÇÕES FALSAS. Por favor, encontre artigos ou livros com autores confiáveis que suportem essa teoria!!

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

    • jahaisa disse:

      Olá Bruno, tudo bem com você? Fico feliz que tenha achado interessante a relação entre ambos. Respondendo sua pergunta sobre as citações, está tudo devidamente linkado no próprio post, assim como o estudo publicado pela revista científica The Lancet e sobre os dois cientistas responsáveis. Todos os dados e outros estudos feitos pelos dois cientistas, constam no site da revista The Lancet. Não há muita coisa a ser encontrado pela mídia mainstream, pois não é interessante para eles que esse assunto venha à tona. Infelizmente, nosso post consta com informações verdadeiras, comprovadas por estudos. Não se preocupe, os artigos aqui postados são todos devidamente selecionados para que não sobre dúvidas sobre as informações passadas. Prezamos pela qualidade e, acima de tudo, para que o público seja devidamente bem informado. Espero ter tirado todas suas dúvidas.

      Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe