Notícias Naturais
Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+20Email this to someone

Elemento Presente no Curry Pode Matar Células de CâncerPesquisa realizada na Irlanda sugere que curcumina destruiu células de câncer no esôfago.

Uma pesquisa realizada na Irlanda sugere que um componente encontrado no açafrão da Índia, presente no tempero curry, pode matar células cancerosas.

O componente químico curcumina já era visto como um extrato com aplicações medicinais e já estava sendo testado para tratamento de artrite e até demência.

Testes de laboratório realizados pelo Centro de Pesquisa do Câncer de Cork, na Irlanda, mostraram que a curcumina pode matar células de câncer de esôfago.

A cientista Sharon McKenna e sua equipe descobriram que a curcumina começou a matar as células cancerosas dentro de 24 horas.

“Cientistas já sabiam há tempos que compostos naturais têm potencial para tratar células defeituosas que se transformaram em células cancerosas e suspeitamos que a curcumina poderia ter valor terapêutico”, disse a cientista.

As células também começaram a se digerir, depois que a curcumina desencadeou os sinais de morte celular.

Novos tratamentos

Especialistas em câncer afirmam que a descoberta – publicada na revista especializada “British Journal of Cancer” – pode ajudar médicos a elaborar novos tratamentos para a doença.

Lesley Walker, diretor da organização britânica Cancer Research UK acha que os resultados da pesquisa irlandesa podem ajudar o desenvolvimento de novos tratamentos de câncer do esôfago.

Abre a possibilidade para que compostos químicos naturais encontrados no açafrão da Índia possam ser desenvolvidos para se transformar em novos medicamentos.

A incidência de câncer do esôfago aumentou em mais de 50% desde os anos 70 e isso estaria ligado ao aumento da taxa de obesidade, consumo de álcool e doença do refluxo, então, descobrir formas de evitar o desenvolvimento desse tipo de câncer é importante“, acrescentou.

Os Benefícios da Curcumina

A cúrcuma é uma planta que pertence à família do gengibre e é a sua raiz a parte que mais se utiliza.

A cúrcuma é usada na culinária e na medicina tradicional da índia há mais de seis mil anos.

Sabe-se que pode ser ingerida por dia a quantidade de oito gramas sem apresentar qualquer efeito nocivo.

A biodisponibilidade da curcumina é considerada muito baixa havendo uma glucoronidação hepática e intestinal muito rápida.

Esta planta exerce no organismo alguns efeitos considerados importantes quer na prevenção de doenças quer no seu tratamento:

Tem poder antioxidante pois atua contra a peroxidação lipídica mantendo os níveis de enzimas antioxidantes como a SOD, catalase, e GSH-Px.

* Age como anti-inflamatório.
* É antidepressiva exercendo ação nos neurotransmissores dopamina e serotonina.
* Funciona como antitumoral através da inibição da proliferação das células cancerígenas.
* Tem ação cicatrizante através da formação de colágeno e fibroblastos.
* Com ação antiangiogênica com efeito supressor da angiogênese no tecido adiposo ajudando na redução do peso e da gordura corporal.
* Melhora o estado geral dos atletas na regeneração muscular pós trauma devido aos efeitos anti-inflamatório e antioxidante.
* De todos os efeitos descritos o que pode ser considerado mais importante é aquele que exerce na redução das celulas malignas.

A curcumina apresenta efeitos na prevenção e tratamento do carcinoma uma vez que tem o poder de evitar a proliferação de vários tipos de células tumorais como no carcinoma da mama, no carcinoma da próstata, no carcinoma basocelular, no melanoma entre outros.

Como já foi referido, a curcumina evita a proliferação celular através da inibição dos efeitos dos fatores de crescimento tumoral, inibindo também as proteínas que se encontram envolvidas no ciclo celular assim como impedindo o crescimento da ornitina decarboxilase (ODC).

A curcumina é uma planta que pertence à família do gengibre e é a sua raiz a parte que mais se utiliza

A apoptose é uma forma de morte das células e provocar este tipo de morte em doentes com cancro em estado avançado não vai prejudicar o seu estado de saúde. A curcumina apresenta o poder de provocar este tipo de morte nas células malignas através de mecanismos dependentes ou independentes da mitocôndria.

Neste mecanismo mitocondrial, a curcumina ativa a caspase 8, a diminuição da transmembrana mitocondrial com abertura dos poros de transição e a liberação de citocromo-c. Verifica-se também a ativação da caspase -9, a ativação da caspase-3 e por fim a fragmentação do DNA e apoptose das células.

Para que se verifique reprodução celular é necessária a ativação da telomerase. A curcumina é um forte inibidor da ativação da telomerase. A atividade da telomerase nas células MCF-7 do cancro da mama humano é sete vezes superior comparada com a mesma atividade das células mamárias normais. A curcumina numa concentração de 100 micromoles impede em 93,5% a atividade da telomerase nas referidas células malignas.

Todo este processo de morte das células cancerosa parece confuso mas, segundo estudos realizados a curcumina pode dar uma grande ajuda aos doentes cancerosos.

Compre Cúrcuma em Pó na Tudo Saudável

Curcumina: da cozinha para os laboratórios

A milenar escritura hindu Ayurveda indicava a Cúrcuma para o tratamento de várias doenças. Seu rizoma seco e moído é utilizado como tempero devido sua coloração amarela (Curcumina) e propriedades aromáticas.

Curcuma Longa Linn

Família: Zingiberaceae
Originária: Índia e China
Denominada: Açafrão da terra, Cúrcuma ou Turmérico
Curry: canela em rama, cardamomo, cravo, coentro em grãos, cominho, cúrcuma, erva-doce, gengibre, pimenta dedo-de-moça, pimenta vermelha e pimenta-do-reino.

Mais de 1700 artigos sobre a curcumina foram publicados nos últimos 50 anos e as pesquisas comprovaram que a Cúrcuma:
Previne oxidação LDL;

* Reduz colesterol plasmático;
* Inibe agregação plaquetária;
* Suprime trombose e infarto do miocárdio;
* Suprime sintomas associados a diabetes tipo II, atrite reumatóide, esclerose múltipla, doença de Alzheimer;
* Inibe replicação de HIV;
* Aumenta processo de cicatrização;
* Protege contra injúria hepática;
* Previne formação de catarata
* Previne e inibe vários estágios de progressão de tumores (SHISODIA, et al 2007)
[1,7-bis-(4-hidroxi-3metoxifenil)-1,6-heptadieno-3, 5- diona]
Apresenta atividade inibitória no metabolismo do ácido araquidônico; ciclooxigenase; lipoxigenase; citocinas; Fator Nuclear-kß (NF-kß)

Ações biológicas: antioxidante, anti-inflamatória, antitumoral, antiangiogênica, etc.

Farmacocinética da Curcumina

Segurança
Não tóxica (amplamente usada como tempero)
Consumo diário de: 1,5 g não demonstrou efeitos adversos em humanos

Estudos clínicos
Doses terapêuticas ainda não foram definidas, contudo efeitos protetores e terapêuticos contra câncer apresentaram-se mais eficientes na cavidade oral e trato intestinal devido sua baixa absorção intestinal.
Possui grande potencial terapêutico no tratamento de doenças osteoarticulares degenerativas e doenças reumáticas, pois suprime a via de sinalização catabólica mediada por IL-1/TNF-a em condrócitos (SHAKIBAEI, et al. 2007).

Pesquisas recentes visam
Obtenção de análogos estruturais que aumente a biodisponibilidade sistêmica da curcumina;
Desenvolvimento de sistemas de liberação controlada e sítio- dirigida para a curcumina;
A curcumina foi incorporada em fibras bioreabsorvíveis de poli-L-ácido láctico (PLLA) visando evitar processos inflamatórios e reestenose coronariana.

Possui rápido metabolismo de primeira passagem e excreção por via biliar
Co-administração com piperina (pimenta) aumenta biodisponibilidade sistêmica após administração oral da curcumina em 154% (SHARMA et al., 2005; SHISODIA et al. 2007)

A curcumina possui baixa biodisponibilidade oral.
Em ratos a administração de 1g/Kg por via oral demonstrou uma excreção fecal de 75%. A administração intravenosa em roedores resultou em mais de 50% excretada na bile em 5 horas

Gel de Cúrcuma

A liberação controlada de drogas a partir de MATRIZES DE HIDROGÉIS poliméricos são de grande interesse por apresentarem:
Satisfatória biocompatibilidade e reprodutibilidade de liberação
Várias vias de administração (oral, retal, ocular, epidérmica ou transdérmica) (PEPPAS, et al. 2000).
Considerando a baixa biodisponibilidade oral da curcumina, sua liberação a partir de hidrogéis representa uma estratégia eficaz e segura para a prevenção e tratamento de várias patologias, principalmente em processos inflamatórios locais como doenças osteoarticulares degenerativas e doenças reumáticas (SHAKIBAEI, et al. 2007).

Sugestão de Prescrição do Gel:
Curcuma longa T.M. ………………….. 10%
Gel de Natrosol q.s.p. ……………… 100g
Aplicação local 4 vezes ao dia.

Participe da discussão no Fórum Notícias Naturais.

Referências Bibliográficas
EBERHART, R. C; SU, S.; NGUYEN, K. T.; ZILBERMAN, M.; TANG, L.; NELSON, K. D.; FRENKEL, P. Bioresorbable polymeric stents: current status and future promise. Journal of Biomaterials Science Polymer, v. 14, p. 299-312, 2003.

JAYAPRAKASHA, G. K.; JAGAN MOHAN RAO, L.; SAKARIAH, K. K. Chemistry and biological activities of C. longa. Trends in Food Science & Technology, v. 16, p. 533–548, 2005.

PEPPAS, et al. Hydrogels in pharmaceutical formulations. European Journal Of Pharmaceutics and Biopharmaceutics. v. 50, p.27-46, 2000.

SHAKIBAEI, M.; JOHN, T.; SCHULZE-TANZIL, G.; LEHMANN, I.; MOBASHERI, A. Suppression of NF-kB activation by curcumin leads to inhibition of expression of cyclo-oxygenase-2 and matrix metalloproteinase-9 in human articular chondrocytes: Implications for the treatment of osteoarthritis. Biochemical Pharmacology, v. 73, p. 1434-1445, 2007.

SHARMA, R. A.; GESCHER, A. J. STEWARD, W. P. Curcumin: The story so far. European Journal of Cancer, v. 41, p. 1955–1968, 2005.

SHISODIA, S.; CHATURVEDI, M. M.; AGGARWAL, B. B., Role of curcumin in cancer therapy. Current Problems in Cancer, v. 31, n. 4, p. 237-306, 2007.

SU, S.; EBERHART, R. C. Expandable biodegradable polymeric stents for combined mechanical support and pharmacological or radiation therapy. US Patent application, published Dec 5, 2003.

 Leia mais:

 

[ESTUDO] Descoberta uma Cura Natural Para o HPV e Potenciais Anti-Cancerígenos da Curcumina

 

Fontes:
G1: Elemento presente no curry pode matar células de câncer, diz estudo
BBC: Elemento presente no curry pode matar células de câncer, diz estudo
– Em Forma: Os Benefícios da Curcumina
– Hemoterápica: Curcumina: da cozinha para os laboratórios

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+20Email this to someone

Posts relacionados:

12 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe