Notícias Naturais
Share on Facebook15.6kTweet about this on TwitterShare on Google+68Email this to someone

dossie vacina HPV GardasilNotícias Naturais

A segunda dose da vacinação começou no dia 1º de setembro e já vemos um grande número de casos de efeitos graves aparecendo aos montes. Enquanto isto as (des)autoridades continuam negando a ligação com a vacina e histericamente reafirmando uma inexistente segurança da vacina, temendo uma debandada em massa e processos na justiça. Este post contém um resumo de diversos artigos aqui publicados, com referências para estudos, os diversos casos de efeitos adversos graves observados no Brasil e no mundo, a opinião de diversos profissionais da saúde sobre os potenciais perigos desta vacina e do exagerado alarde em relação a suposta proteção fornecida pela vacina. Leia e compartilhe este post, que será atualizado frequentemente. Vamos evitar que esta vacina arruíne ainda mais vidas de nossas meninas brasileiras!

Com o início desta mega campanha nacional para vacinação contra o HPV de milhões de meninas indefesas entre 11 e 13 anos de idade em todo o Brasil, é extremamente necessário que as pessoas tenham acesso a todas as informações, prós e contras.

Apesar de ser uma vacina rodeada de suspeitas, mortes, efeitos adversos e muita controvérsia, o governo planeja vacinar ao menos 80% de todas as meninas entre 9 e 13 anos, e não está fornecendo aos pais uma real ideia dos riscos para que estes tomem uma decisão informada. Veja neste post o porquê desta vacina não ser realmente necessária como o governo mostra, o histórico negro da vacina contra HPV na europa e nos EUA (aparentemente ignorado pelo governo brasileiro) e todos os detalhes, incluindo o gasto de dinheiro público de mais de 1 BILHÃO DE REAIS, gasto para comprar e injetar uma vacina desnecessária e perigosa. É muito importante você se informar e compartilhar esta informação! Todas as informações aqui podem ser verificadas nos links através de estudos e notícias. Utilize o google translate se necessário para traduzir materiais em inglês.

Índice do artigo:

– Detalhes sobre a campanha no Brasil
– Gardasil realmente previne câncer de colo de útero?
– Perigo Ignorado – Graves Efeitos Colaterais
– Relatos de vidas destruídas pela vacina
   –  Jovens Ficam Sem o Movimento das Pernas após Vacina HPV e Podem Ficar Paraplégicas (novo)
   – Número de Reações à Vacina Contra HPV Assusta em Ijuí (novo)
–  [VÍdeo] Menina de 13 anos de Resende/RJ tem Distrofia Simpático Reflexa e 15 Veias Obstruídas Após Vacinação (novo)
   – [VIDEO] Menina de 12 Anos no Ceará Fica Cega Após Tomar Vacina Contra HPV
   – [ESTUDO] Vacina Contra HPV Pode Causar Cegueira
– O que dizem especialistas brasileiros
– Artigo Médico: Avaliação Crítica Sobre a Vacina do HPV – por Eno Dias de Castro Filho (novo)
– Estudo de Vacinas contra o HPV Revela Perigos “Inevitáveis” de Doenças Auto-Imunes
– Fabricante da vacina (Merck) acusada por ex-empregados de forjar resultados da eficácia de vacinas
– Gasto Exorbitante
– Vacina contra HPV Recomendada pela OMS, que por sua vez já foi acusada de beneficiar a indústria das vacinas
– Bula – Composição, Efeitos Colaterais e Precauções
– Cura Natural?
– Como registrar um efeito adverso da vacina HPV (e de outras vacinas)? (novo)
– Conclusão


Detalhes sobre a campanha no Brasil

Em setembro de 2013, o Senado Federal aprovou um projeto de lei que prevê que meninas de 9 a 13 anos tenham o direito de receber gratuitamente na rede pública de saúde a vacina contra o HPV.

Já o projeto de lei nº 238/2011 prevê a vacinação de mulheres de 9 a 45 anos de forma “gratuita”. Claro que seremos todos nós contribuintes que estaremos pagando a conta desta bolada. Veja mais embaixo o rombo que será no orçamento.

Contrato e imunidade a indenizações – O contrato inicial prevê a compra de 36 milhões de doses da vacina durante cinco anos, que daria para vacinar em torno de 12 milhões de pessoas. No Brasil o governo está utilizando a Gardasil, da Merk (MSD), veja mais abaixo que a Merk está sendo acusada por ex-funcionários de fraudar estudos para aumentar a eficácia de outras vacinas (ou veja a reportagem específica aqui). Iremos nos próximos dias localizar o contrato com a Merk e disponibilizar aqui. Estou especialmente interessado o que diz o contrato em relação a indenizações de danos causados pela vacina. Se seguir a tendência da vacina contra H1N1, estes contratos geralmente vem com uma cláusula que exime o fabricante de qualquer indenização, o que na prática faz com que o estado negue a todo custo a ligação entre a vacina e os efeitos adversos.

As 3 doses da vacina gardasil na rede privada são vendidas em média por R$ 1.000,00. Pelo contrato de mais de um bilhão de reais, o preço por dose foi reduzido a R$ 30,00. O contrato foi feito em parceria para o Desenvolvimento Produtivo (PDP) entre o Butantan e a Merck. Veja aqui o escândalo envolvendo o Butantan durante a pandemia da gripe suína, onde o órgão não produzia as vacinas apesar do investimento de quase meio bilhão de reais.

O governo brasileiro resolveu adotar o esquema vacinal estendido recomendado pelo Grupo Técnico Assessor de Imunizações da Organização Pan Americana de Saúde (TAG/OPAS). Inicialmente em 2014 a vacinação será oferecida para meninas de 11 a 13 anos. A partir de 2015 meninas de 9 e 10 anos também receberão a vacina. Serão três doses por menina (0 – 60 – 180 dias).

No Brasil, a vacina contra HPV vem junto com uma sexualização precoce das crianças, que cada vez mais cedo tem contato com a sexualidade dentro da própria escola. Temos informações que este ano serão distribuídas camisinhas para crianças de 13 anos. Existe ainda a argumentação por algumas pessoas que a vacinação contra HPV iria induzir ao sexo sem proteção, por acharem que estarão imunes a doença, se esquecendo que várias outras doenças podem ser transmitidas sexualmente.

Gardasil realmente previne câncer de colo de útero?

Esta afirmação vem sendo repetida sem parar para justificar a vacinação em massa sendo feita nas escolas de nosso país. Mas ela é realmente verdadeira? Vamos ver o que diz um estudo publicado no ano passado, chamado “A política de vacinação do papilomavírus humano (HPV) e medicina baseada em evidência: Elas estão em desacordo?“, publicado em março de 2013. Neste estudo, as seguintes conclusões são apresentadas:

– Até o momento, a eficácia das vacinas contra o HPV na prevenção do câncer do colo do útero não foi demonstrada, enquanto os riscos de vacinas ainda não foram completamente avaliados.

Loja Tudo Saudável

– Atuais práticas de imunização do HPV no mundo todo, com qualquer uma das duas vacinas contra o HPV parece ser nem justificadas por benefícios a saúde a longo prazo, nem economicamente viável, e nem há qualquer evidência de que a vacina contra o HPV (mesmo se revelar ser eficaz contra o câncer do colo do útero) reduziria a taxa de câncer de colo do útero além do que o exame de Papanicolau já alcançou.

– Cumulativamente, a lista de reações adversas graves relacionados com a vacinação contra o HPV em todo o mundo inclui mortes , convulsões, parestesia , paralisia, síndrome de Guillain-Barré (GBS), mielite transversa, paralisia cerebral, síndrome de fadiga crônica , anafilaxia , desordens auto-imunes, trombose venosa profunda, embolia pulmonar ACIAL e cânceres cervicais.

– Como o programa de vacinação contra o HPV tem cobertura global, a saúde a longo prazo de muitas mulheres podem bater o risco contra os ainda desconhecidos benefícios da vacina.

– Os médicos devem adotar uma abordagem mais rigorosa de medicina baseada em evidências, a fim de fornecer uma avaliação equilibrada e objetiva dos riscos e benefícios da vacina.

Este mesmo estudo ainda diz que :

No momento não há dados significativos que mostrem que  Gardasil (MSD) ou Cervarix (GSK) podem impedir qualquer tipo de câncer do colo do útero uma vez que o período de testes empregado foi muito curto para avaliar benefícios de longo prazo da vacinação contra o HPV. Os períodos mais longos de dados de acompanhamento de ensaios de fase II para Gardasil e Cervarix são 5 e 8,4 anos, respectivamente, enquanto que o câncer cervical invasivo leva até 20-40 anos para se desenvolver a partir do momento de aquisição da infecção pelo HPV… No entanto, apesar do câncer colo do útero poder ser causado pela exposição persistente a 15 dos 100 HPVs existentes através de contato sexual, até mesmo infecções por HPV persistentes causadas por HPV de “alto risco” geralmente não irão levar a lesões precursoras imediatas, e muito menos a longo prazo, ao câncer. A razão para isso é que, tanto quanto 90% das infecções por HPV desaparecem espontaneamente dentro de 2 anos, e daqueles que não resolvem , apenas uma pequena proporção pode evoluir para o câncer ao longo dos 20-40 anos subseqüentes. Além disso, os dados de investigação indicam que graus mais elevados de atipia (tais como CIN 2/3) pode resolver ou estabilizar ao longo do tempo.

Perigo Ignorado – Graves Efeitos Colaterais 

Ao impor mais esta vacina no já lotado calendário vacinal brasileiro, as chamadas autoridades da saúde ignoram os mais diversos problemas que vem sendo relatado no exterior. O Japão, por exemplo, não recomenda mais a vacina depois do surgimento de vários casos de dores de longa duração e dormência à infertilidade e paralisia. Vejam  a notícia completa no Tokyo Times (em inglês) ou veja maiores detalhes no post “Japão Retira Apoio à Vacina Contra HPV Devido aos Efeitos Adversos, Como Infertilidade e Paralisia“.

Na contramão do resto do mundo, onde por exemplo nos EUA a cada ano menos pais vacinam suas filhas contra o HPV, mostrando uma conscientização cada vez maior a respeito dos perigos da vacina contra o HPV, o governo do Brasil segue sem reação alguma, preparado para vacinar 80% das meninas entre 9 e 13 anos.

Efeitos colaterais após vacinação nos EUA

Nos EUA, diferentemente do Brasil, existe um site governamental no qual podem ser feitas pesquisas dos efeitos colaterais das vacinas. Eu fiz a pesquisa para as vacinas Gardasil e Cervarix, agrupando por tipo de efeito colateral e ano, abaixo você pode ver os casos de efeitos adversos registrados nos EUA, de 2007 a 2014:

Podemos ver os preocupantes números dos efeitos adversos registrados reportados para a vacina Gardasil, a mesma que será utilizada nas meninas brasileiras. Isto apenas nos EUA, pois na europa também houve inúmeros casos de efeitos adversos graves. Apenas em 2013 houveram 27 mortes, 53 meninas em risco de vida, 78 meninas com invalidez permanente!

Nota: Para reproduzir a consulta acima, entre no site do VAERS, clique no botão “VAERS Data Search”, já no primeiro campo (“Group Results By“) selecione “Year Reported“, vá ao item “3. Select vaccine characteristics:” e clique na aba “Search”, no primeiro campo depois de “Search in:  Vaccine Products” escreva “Gardasil” e clique botão “Search”. Clique no resultado “>1098 (HPV (GARDASIL))“.  Na opção 4, no campo “State / Territory“, escolha a primeira opção “All locations“. Aperte o botão “send” (qualquer um) e aguarde o resultado.

Tempo decorrido até os efeitos adversos:

Muitas pessoas acreditam que os efeitos são visíveis apenas no momento da aplicação da vacina. Este não é exatamente o caso. Nestas duas outras tabelas que seguem eu filtrei os efeitos adversos da vacina contra HPV e agrupei pelo tempo entre a vacinação até os efeitos adversos relatados. A primeira tabela contém todos os eventos adversos, incluindo menos graves. Já a segunda tabela eu filtrei apenas os casos de morte, risco de vida e invalidez permanente:

Então, quando alguém disser que a vacina já foi testada antes, e que os efeitos colaterais são leves e pouco frequentes, podemos mostrar esta tabela, além dos inúmeros casos que passarei a registrar abaixo e nas próximas semanas neste site. Este post será atualizado para refletir as últimas informações disponíveis.

Relatos de vidas destruídas pela vacina

Casos depois da segunda dose (1º setembro)

Número de Reações à Vacina Contra HPV Assusta em Ijuí

Os casos de reação à vacina HPV continuam a aumentar no Brasil enquanto o governo insiste em continuar a vacinação, tentando sem sucesso convencer a população de que a vacina é segura. Desta vez os casos de reação foram em Ijuí, no Rio Grande do Sul, onde várias meninas foram conduzidas ao posto de saúde da cidade com náuseas, tontura, dor de cabeça e alguns casos mais graves foram relatados com baixa da pressão arterial, sensação de desmaio e palidez. Como é de se esperar, os funcionários da rede de saúde dizem que os sintomas seriam “pelo medo”, usando a mesma tática de desinformação utilizada na Colômbia, onde 240 meninas sofreram sintomas semelhantes após a aplicação da vacina.
Leia mais…

Jovens Ficam Sem o Movimento das Pernas após Vacina HPV e Podem Ficar Paraplégicas

Como já era esperado, a segunda fase da vacinação HPV começa a mostrar suas vítimas: 11 garotas hospitalizadas e duas destas continuam com paralisia, tremores e dores de cabeça fortíssimas e segundo os médicos as meninas podem ficar paraplégicas. Como também já era esperado, as autoridades de saúde reafirmam a falsa segurança da vacina dizendo que a vacina é vacina é segura e recomendada pela OMS (Organização Mundial da Saúde). Só não dizem que a OMS tem um histórico sombrio de ter entre seus conselheiros profissionais pagos pelas indústrias da vacina.
Veja no post a matéria que foi publicada no G1… Atualização: Incrível, agora a diretora de imunização da cidade diz que os sintomas são causados pelo medo da injeção! Veja abaixo sua absurda teoria no jornal A Tribuna:
Atualização: mais uma das meninas voltou a ser internada com os mesmos sintomas, somando agora três meninas internadas com efeitos adversos da vacina HPV.
Leia mais…

Casos depois da primeira dose:

Menina de 13 anos de Resende/RJ tem Distrofia Simpático Reflexa e 15 Veias Obstruídas Após Vacinação

Rafaella Barbosa, uma adolescente de Resende/RJ, vem sofrendo dores terríveis, formigamento e inchaço pelos corpo, sendo diagnosticada com Distrofia Simpático Reflexa. Após algumas pesquisas encontramos vários estudos que fazem associação entre a vacina HPV e a Distrofia Simpático Reflexa (ou Distúrbio Simpático – Reflexo, ou ainda Síndrome Dolorosa Complexa Regional Tipo 1), doença que a garota foi diagnosticada. A menina mais recentemente fez um exame de punção de liquor da coluna que constatou pressão elevada e diagnóstico de pseudo-tumor cerebral. Um neurocirurgião endovascular diagnosticou que Rafaela estava com pelo menos 15 veias obstruída. Em uma cirurgia de 7 horas que não pode resolver todos os problemas, ela colocou 18 stents (um tubo minúsculo expansível em forma de malha de metal colocado dentro da veia), 15 no cérebro e outros na coluna e tronco. Os honorários médicos e exames foram todos particulares. Saiba ao fim deste post como ajudar Rafaela.
Leia mais…

Vacina Contra o HPV e Vidas Destruídas – Britânica de 13 anos Fica Com Síndrome da Fadiga Crônica (novo)

reino_unido_vacina_hpv_efeitos_adversosAbaixo você acompanha o relato de um pai que viu sua filha, Lucy Hinks, passar de uma saudável jovem de 13 anos a uma menina doente, com diversos problemas de saúde e dormindo 23 horas por dia,  logo após a terceira dose de sua vacina contra HPV. Com tratamentos alternativos a jovem teve uma certa melhora, mas mesmo 3 anos após os primeiros sintomas ela ainda sofre as duras consequências de uma decisão baseada em poucas informações. Logo abaixo você pode ver a matéria publicada em 2011 do G1, intitulada “Britânica dorme 23 horas por dia depois de tomar vacina contra HPV“. O relato abaixo é datado de fevereiro de 2013:

Por Steve Hinks
Nossa filha, Lucy, contraiu sarampo na semana depois de sua vacinação tríplice viral. No fim de semana seguinte, ela foi internada em um ala de isolamento do hospital com suspeita de meningite, Algumas semanas depois, ela desenvolveu um gânglio linfático, aumentado no pescoço que persistiu até que foi removido cirurgicamente. Então, quando ela trouxe um termo de consentimento da escola para a vacinação contra o HPV, sua mãe e eu estávamos relutantes em conceder permissão para que ela tomasse a série de três doses da vacina Cervarix.
Leia mais…

Estudo de Vacinas contra o HPV Revela Perigos “Inevitáveis” de Doenças Auto-Imunes (novo)

Um novo estudo publicado em janeiro de 2014 intitulado “Sobre a relação entre a vacina contra o vírus do papiloma humano e doenças auto-imunes”, está destinado a reabrir a polêmica em torno dos inúmeros relatos de danos induzidos pela vacina contra o HPV. O estudo aponta que “junto com a introdução das vacinas contra o HPV, vários casos de aparecimento ou exacerbação de doenças auto-imunes após a aplicação da vacina têm sido relatados nas bases de dados bibliográficas e de farmacovigilância, provocando preocupações sobre sua segurança”. O estudo mostra como doenças auto-imunes como a Síndrome de Guillain-Barré, Esclerose múltipla e Falência ovariana primária podem ser causadas pela vacina através de um fenômeno conhecido como “mimetismo molecular”, definido como a possibilidade do sistema imunológico confundir uma estrutura própria com um peptídeo estrangeiro (geralmente patógeno) e causar assim danos auto-imunes. Os anticorpos, por exemplo, os quais são produzidos contra um agente patogênico específico, podem reagir de forma cruzada com proteínas do corpo que possuem uma sequência similar ou idêntica. Exatamente esta mesma possibilidade é abordada em um artigo pioneiro, intitulado “Quantificando o possível risco de reatividade cruzada da vacina contra HPV16”, Neste artigo informa que “O número de correspondências virais e suas localizações tornam quase inevitável a ocorrência de reações cruzadas auto-imunes colaterais no hospedeiro humano após a vacinação à base de HPV16.
Leia o artigo completo…

Contaminação com DNA recombinante do vírus do papiloma humano (HPV)

Em 2011 a organização SANE Vax decidiu comprar frascos de Gardasil e testá-los em laboratório. Eles descobriram que mais de uma dúzia de frascos da vacina Gardasil estavam contaminados com DNA recombinante do vírus do papiloma humano (HPV). Os frascos foram adquiridos nos Estados Unidos, Austrália, Nova Zelândia, Espanha, Polónia e França, indicando que a contaminação da vacina Gardasil é um fenômeno global. Isto significa que as adolescentes que são injetadas com essas vacinas estão sendo expostas à um perigo biológico – o rDNA de HPV. Na realização dos ensaios, o Dr. Sing Lee encontrou rDNA das cepas HPV-11 e HPV-18, que foram descritas como estando “firmemente ligadas ao adjuvante de alumínio”. O fato do alumínio também ser encontrado em vacinas deve ser alarmante por si só, já que o alumínio não deve ser injetado no corpo humano, porque é tóxico quando ingerido e, especificamente, danifica o sistema nervoso. Com a descoberta de que o adjuvante de alumínio também tinha fragmentos de DNA recombinante de duas cepas diferentes do vírus do papiloma humano, isto agora alcança o nível de risco biológico – mais para uma arma biológica do que algo que lembre medicamentos. Como a SANE Vax explica em sua declaração, estes testes foram realizados depois que uma adolescente experimentou “artrite reumatoide grave após 24 horas” depois de ser injetada com uma vacina contra o HPV. Leia mais…

[VIDEO] Menina de 12 Anos no Ceará Fica Cega Após Tomar Vacina Contra HPV

Mais um caso revoltante de efeitos adversos graves causados pela vacina contra HPV. A menina de 12 anos ficou cega após tomar a vacina contra HPV no município de Crato, no Ceará. Veja neste post como casos de cegueira após a vacina contra HPV já foram registrado em outros casos no exterior e os estudos que mostram que a vacina contra HPV realmente pode causar este terrível efeito colateral. Leia mais…

[ESTUDO] Vacina Contra HPV Pode Causar Cegueira

A vacina contra HPV, diferentemente da suposta segurança declarada pela indústria das vacinas e o governo, pode causar graves efeitos colaterais, inclusive a cegueira. Mostramos um caso específico semanas atrás, neste post apresentamos estudos e dados estatísticos que confirmam a relação entre a vacina HPV e a cegueira. Leia mais…

5 adolescentes são levadas para hospital após tomar vacina contra HPV

Cerca de 15 adolescentes foram hospitalizadas em Lajinha (MG), após tomarem a vacina contra o HPV. Três tiveram um quadro de complicação mais grave e foram levadas ao pronto socorro para receber maiores atendimentos e foram liberados após observação.

O vereador Paulo Sanches acompanhou e disse em entrevista: “Foi um índice muito grande de meninas. Foram atendidas a cerca de 15 meninas no Pronto Socorro. Três alunas tiveram atendimento prioritário, pois chegaram desmaiadas, inconscientes a unidade. Elas tiveram que receber medicamentos e oxigênio, então foi um atendimento inesperado“.

O lote do medicamento em que houve problema foi recolhido e enviado para a Secretaria Regional de Saúde de Manhumirim.

[Gardasil] Vacina Contra HPV é Alvo de Processo Após Paralisia em Adolescente na França

Uma jovem francesa está processando a fabricante da vacina Gardasil, contra o HPV, por efeitos colaterais no sistema nervoso central. Seis meses após ter recebido a segunda injeção da vacina, em 2010, Marie-Oceane, então com 15 anos, foi hospitalizada com diversos sintomas, como perda temporária da visão, paralisia facial e dificuldades para andar.
Leia mais…

Mulher Jovem Teve Ovários Destruídos pelo Gardasil

Este caso, que foi registrado em um estudo publicado no BMJ, mostra a possibilidade de uma garota de 16 anos ter tido menopausa precoce causada pelo gardasil. Levando em conta que a infertilidade foi uma das causas que levou o governo japonês a deixar de recomendar a vacina contra HPV, não seria uma possibilidade pouco provável. Veja mais neste post do Fórum Notícias Naturais.

Garota na Grã-Bretanha Tem Lesão Cerebral Após Receber Vacina

Enquanto a vacina contra o câncer cervical continua a mutilar e matar ainda mais jovens por toda a Inglaterra, Stacey Jones, de 18 anos, foi a última vítima a sofrer severos danos após receber a vacina. Aparentando perfeita saúde, Stacey começou a sofrer convulsões graves e teve inflamação do cérebro poucos dias após ter recebido a injeção da vacina Cervarix. O inchaço do cérebro dela era tão grave que causou danos cerebrais permanente.

Sua mãe não se deixa enganar pela indústria farmacêutica: “Eu realmente sinto que ela foi usada como cobaia”, disse ela em uma reportagem do Daily Mail. “Eu não acho que há provas suficientes de que o programa de vacinação é segura – isso tudo aconteceu dias depois de Stacey ter recebido a vacina, e não temos outra explicação para o que lhe provocou estas lesões cerebrais.”
Leia mais…

Acobertamente em Caso de Morte Por Vacina na Inglaterra

O Wall Street Journal relata que Natalie Morton, que morreu na Inglaterra, logo após uma injeção de Cervarix, vacina contra o câncer cervical, não morreu por causa da vacinação. O jornal, na verdade, chega aos limites da arrogância em suas palavras. “Então você vê”, diz o WSJ, ” não há necessidade de medo ou parar o programa de vacinação H1N1. Os laudos patológicos eximem a vacinação e seu criador. A vacinação de HPV é perfeitamente segura, assim como como é a vacina para a gripe suína.”. Ufa, graças a Deus, agora já me sinto melhor. O laudo médico diz que ela foi diagnosticada com uma condição médica que era “tão grave que a morte poderia ter acontecido a qualquer momento.” O que foi essa condição? Um tumor “no peito envolvendo o coração e os pulmões.” Um tumor que, assim de repente, a atacou e a matou, sem jamais ter produzido nenhum sintoma de um tumor cancerígeno? Existe alguém idiota o suficiente para engolir essa versão furada de sua morte?
Leia mais…

O que dizem especialistas brasileiros

Artigo Médico: Avaliação Crítica Sobre a Vacina do HPV – por Eno Dias de Castro Filho (novo)

O médico e doutor em epidemiologia Eno Dias de Castro Filho disponibilizou o artigo “Uma avaliação crítica sobre a vacina do HPV, introduzida pelo Ministério da Saúde” que se tornou viral. É um excelente artigo, com inúmeras referências e estudos, que demonstram que o alarde em torno da eficácia da vacina é exagerado, como também que ela não é segura como anunciado pelo governo e pela indústria farmacêutica.
1) Qual a redução de casos de câncer de colo de útero/lesões de alto grau que a vacina promoveu nos estudos e nas populações já vacinadas?
Não houve redução de câncer nos estudos. Na realidade, não ocorreu nenhum caso  de câncer nem nos grupos de intervenção, nem nos de controle, pois sua incidência é baixa e o período é de até 30 anos para o câncer desenvolver-se a partir das lesões precursoras. Os estudos ainda não tiveram esta duração. Portanto, também não há qualquer informação sobre redução de mortalidade por câncer do colo uterino. E os resultados de proteção encontrados para lesões precursoras devem  ser entendidos à luz de que 63% dos NIC2, em mulheres entre 13 e 24 anos regridem espontaneamente após 3 anos (Moscicki AB, et al. Obstet Gynecol.  2010;116:1373-80). Mesmo a incidência acumulada de evolução de lesões NIC 3 para câncer em 30 anos é de 31,3% (McCredie MRE, et al. Lancet Oncol. 2008;9: 425-34).
Leia mais…

Até entre os médicos no Brasil já começa a aparecer desconfiança em relação a eficácia da vacina (fonte): “O câncer de colo mata, mas a vacina não demonstrou até o momento que evitará essas mortes. Ela previne as verrugas e lesões no colo do útero, que não matam. A maioria absoluta delas regride“, afirma o médico de família Gustavo Guzzo, professor de clínica geral da USP. As lesões com chances de evoluir para câncer podem ser detectadas em exame papanicolau, que deveria ser mais abrangente e eficiente no país, diz Rodrigo Lima, médico de família em Recife (PE).

A inclusão da vacina no calendário nacional foi desaprovada pela SBMFC (Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade). O diretor da entidade, Daniel Knupp, questiona sua segurança. Veja abaixo a nota oficial:

“A SBMFC não apoia a inclusão no calendário vacinal e o fornecimento da contra HPV no Brasil, enquanto não houverem estudos mais contundentes que demonstrem beneficio real do uso da mesma, uma vez que apesar da reconhecida evidência contra os condilomas e neoplasias intraepiteliais cervicais, do ponto de vista científico, ainda não existem dados que garantam que a vacina efetivamente proteja as pessoas contra desenvolvimento do câncer de colo de útero propriamente dito e nem reduza a mortalidade por essa patologia, o que seria a principal finalidade de tal investimento público.

Tal liberação poderá expor um grupo populacional com reconhecidas especificidades e vulnerabilidades (adolescentes) a um risco ainda não mensurado, levando em consideração:

1. O potencial dano que será causado devido a divulgação de uma vacina com garantia de proteção ainda não comprovada;

2. Os efeitos colaterais ainda pouco demonstrados;

3. O tempo de proteção conferida pela vacina desconhecida;

A implantação da vacina sem as devidas comprovações científicas pode significar um gasto excessivo e desnecessário de recursos que podem ser utilizados para expandir, melhorar e fortalecer as ações de prevenção já comprovadas para a população, e que garantem verdadeiramente a redução das desigualdades e promoção à equidade.”

— As evidências científicas sobre a eficácia e segurança da vacina ainda são muito frágeis. Além disso, alguns estudos mostram que ela aumenta a incidência de diabetes tipo 1 e outras doenças autoimunes, como síndrome de Behçet.

No artigo “Vacina contra o HPV: Nem Tudo que Reluz é Ouro“, Daniel Becker, pediatra, fundador e conselheiro do Centro de Promoção da Saúde e pioneiro da Pediatria Integral no Brasil. Em seu artigo ele fala sobre as ligações da indústria e governo, o marketing agressivo da vacina, sua real necessidade e eficácia, e sobre os seus perigosos riscos. Alguns trechos do artigo:

É muito difícil para um médico se posicionar fora do consenso quase universal que é gerado em torno de produtos da indústria farmacêutica. Suas estratégias de publicidade e ação política são muito inteligentes, e maciçamente financiadas. Sua influência sobre a corporação médica é extremamente poderosa. Daí suas verdades parciais tornam-se universais e absolutas. Mas algumas vozes vêm se levantando em resposta a este “massacre”, que propõe que para todo e qualquer problema existencial existe uma pílula ou uma injeção. Inclusive para problemas que não existem, e precisam ser inventados. Mesmo as grandes revistas médicas já reconhecem o poder da sua influência nas pesquisas e realizadas e nos artigos publicados. Como observou a ex-editora-chefe do New England Journal of Medicine, Dra. Marcia Angell:

“As indústrias farmacêuticas agora financiam a maioria das pesquisas clínicas com medicamentos, e há evidências de que elas muitas vezes as distorcem, para fazer suas drogas parecerem melhores e mais seguras”….

Neste outro artigo publicado na Folha de São Paulo, intitulado  “Os Senões da Vacina Contra o HPV“, o médico de família e comunidade Rodrigo Lima (citado na outra matéria acima), da algumas respostas para perguntas inconvenientes:

1 – Já temos alguma estratégia efetiva na prevenção do câncer de colo uterino? Temos sim. E quase todo mundo conhece: é o famoso papanicolau, ou citopatológico cérvico-uterino (popularmente conhecido como “preventivo de câncer de colo”). É muito raro uma mulher apresentar câncer se realizar o papanicolau na periodicidade recomendada (anualmente, e após dois exames normais com intervalo de um ano, o exame passa a ser recomendado a cada três anos). Sabem por que? Porque o câncer de colo de útero é uma doença de evolução muito lenta (normalmente em torno de dez anos), e o papanicolau permite que detectemos formas precursoras do câncer (ou seja, alterações na células que ainda não são cânceres).O papanicolau está recomendado para as mulheres de 25 a 64 anos, e deve SER REALIZADO INCLUSIVE EM MULHERES QUE RECEBEM A VACINA (meu grifo), pois ela não protege contra todos os tipos de HPV. Então, se temos um exame confiável, barato e disponível para todas as mulheres do país, o que nos faria mudar de estratégia, partindo para usar uma vacina que NÃO EXCLUI a necessidade de realizar o mesmo exame ao longo da vida? O que esta vacina traz de novo?

2 – A vacina realmente funciona? Depende. Para que? Vamos lá. O HPV é um vírus transmitido através do contato sexual. Por isso, alguns pesquisadores tiveram uma ideia: se conseguíssemos evitar a infecção pelo HPV não teríamos mais câncer de colo uterino. Faz sentido, certo? Mas essa hipótese tem alguns probleminhas. O primeiro problema desta hipótese está em como evitar a infecção. A transmissão do HPV é sexual, e basta o contato íntimo mesmo sem penetração para que a passagem do vírus aconteça…. Considerando que o vírus vai acabar circulando mesmo por aí, a solução mais óbvia seria vacinar as pessoas contra ele. O problema é que o HPV possui mais de 100 subtipos, e as vacinas ainda não conseguem cobrir todos eles, embora cubram os principais. Isso significa que mesmo que a vacina proteja alguém contra os subtipos que ela cobre, ela ainda permite que outros subtipos provoquem o câncer. Ou seja, ela não dá 100% de certeza de que as mulheres não terão câncer de colo uterino. A propaganda não explica isso, né? Mas é por este motivo que a bula da vacina avisa que a vacinação não exclui a necessidade de que a mulher continue realizando o papanicolau. E tem mais: nem toda infecção pelo HPV provoca câncer. Na verdade, a minoria delas faz isso. Então mais importante do que se preocupar com a infecção, parece mais importante acompanharmos se a infecção evolui para lesões perigosas ou não, né? Ou seja: dá-lhe papanicolau nessa disputa, ganhando de lavada da vacina. Outra coisa: a eficácia da vacina foi verificada apenas em meninas sem vida sexual. E o HPV é tão frequente na população que podemos dizer que se alguém já iniciou sua vida sexual, a chance de ter sido contaminado pelo vírus é de quase 100%. Ou seja, se a pessoa não é mais virgem, tomar a vacina não vai fazer nenhum efeito, porque a resposta que ela provoca no organismo não elimina os vírus que já estejam lá, apenas evitaria o contágio (OBS: a indústria já propõe a vacina para mulheres sexualmente ativas). …Nem vou discutir os efeitos da vacina na mortalidade, porque nem deu tempo ainda de estudarem isso direito. O câncer de colo uterino é de evolução muito lenta, e acaba só sendo perigoso para mulheres que não fazem o papanicolau na periodicidade recomendada.

3 – Ela é segura? Há alguma controvérsia. Apontando a segurança da vacina nós temos os estudos feitos pelos fabricantes e as recomendações do CDC (órgão do governo dos EUA). No entanto temos alguns casos de doenças mais graves, ao ponto de existirem processos correndo na França movidos por vítimas da vacina, e casos semelhantes levaram o governo do Japão a não mais recomendar a vacina. Doenças como síndrome de Guillain-Barré, falência ovariana, uveítes, além de sintomas como convulsões e desmaios têm sido associados à vacina, mas esta relação ainda não foi demonstrada em grandes estudos. Então vamos supor que isso aconteça em uma menina a cada 30 mil que sejam vacinadas (a proporção é baseada nas notificações de efeitos adversos do CDC, chamada de VAERS, e está disponível na internet). Será que compensa o risco, mesmo que seja baixo, de ter uma doença grave, se a vacinação não é melhor do que a estratégia que temos hoje para controlar o câncer de colo uterino (o papanicolau)?

4 – Vale a pena substituir a estratégia anterior pela vacina? Pra mim não compensa. Só de imaginar uma filha minha com paralisias causadas por uma vacina dessas eu descarto a ideia rapidinho. Pretendo promover uma educação sexual boa para minhas filhas, para que saibam que precisam se proteger usando preservativo (até porque outros problemas como gravidez indesejada, HIV, hepatite B, entre outros, estão batendo na porta o tempo todo). E acima de tudo, demonstrar sempre a importância de fazer o papanicolau na periodicidade recomendada. Se conseguir, duvido que elas sofram deste mal. E sem essa vacina cara e suspeita. Minhas pacientes e suas famílias receberão a mesma recomendação.”

Veja a matéria completa.

Fabricante da vacina (Merck) acusada por ex-empregados de forjar resultados da eficácia de vacinas

A vacina que foi comprada pelo governo brasileiro é a Gardasil, cuja fabricante, a MerckSharpDohme (Merck), foi denunciada por dois ex-funcionários como tendo forjado estudos que resultaram na aprovação de suas vacinas. Leia este nosso tópico “[Fraude das Vacinas] Merk Falsificou Resultados da Eficácia das Vacinas Contra Caxumba e Sarampo, Dizem Ex-Empregados” para maiores detalhes. Deixo aqui um trecho para vocês:

A Merck conscientemente falsificou o resultado dos testes da vacina de caxumba para forjar uma “taxa de 95% de eficácia”, dizem ex-virologistas do Merck, Stephen Krahling e Joan Wlochowski em seu chocante documento “False Claims Act”.

Para isso, a Merck adulterou o teste de sangue com anticorpos de animais a fim de aumentar artificialmente o aparecimento de anticorpos no sistema imunitário.

Agora, quando o governo informa que “a eficácia da vacina para as lesões intraepiteliais cervicais de alto grau associadas ao HPV 16 é de 96% e para as lesões associadas ao HPV 18 em meninas sem contato prévio com HPV é de 90%“, saiba que estas informações vêm dos estudos feitos pelos próprios fabricantes, que como vemos, não são nada confiáveis. Além disto, vimos no post “[Indústria Farmacêutica] Prestigiada Editor de Revista Médica Acusou o FDA de Proteger os Fabricantes de Remédios“, que os órgãos reguladores protegem e favorecem os fabricantes de remédio, ao selecionar os estudos que mais os beneficiam e ainda “recusa a divulgar resultados de pesquisas desfavoráveis em sua posse sem permissão da empresa patrocinadora”. Sabendo disto, e sabendo também dos mais variados casos de mortes ligadas à vacina Gardasil, você ainda deixará sua filhinha saudável se tornar mais uma vítima da inescrupulosa indústria das vacinas?

Gasto Exorbitante

O total do contrato foi de R$ 1,1 bilhão na compra de 41 milhões de doses durante cinco anos. Isto é claro, sem levar em conta a logística, material e recursos humanos para tocar esta mega-campanha. Agora imaginem se esta bolada fosse gasta em ações efetivas de prevenção de doenças?

Apenas em publicidade foram gastos 15 milhões de reais.

Conforme revelou o Estado na sua edição de quarta-feira, o pronunciamento um mês antes da campanha custou R$ 55 mil e foi preparado pela agência Propeg. De acordo com o ministério, ao todo R$ 15 milhões serão destinados a ações nas redes sociais, de mobilização em eventos e campanha publicitária. Desse total, metade dos recursos está destinada a divulgação da campanha em televisão. A outra metade está dividida entre rádio (15%), internet (10%), revista (7%), cinema (5%) e demais meios (13%), como outdoors e publicações. Também serão produzidos 213.000 cartazes, ao custo total de R$ 152.699,7, que serão distribuídos a todas as secretarias estaduais de saúde.

Podemos ver que a publicidade está sendo forte. Podemos esperar que, assim como aconteceu com a gripe suína, a equipe de mercenários do Ministério da Saúde estarão a mil tentando convencer a todo custo que a vacina é segura e necessária.

Formulário de Recusa de Vacinação

Vocês podem ver abaixo o formulário de recusa da vacinação. Isto mesmo, não é formulário de autorização, uma vez que agora fica implícito que o responsável autorizou, a não ser que envie o formulário, que ainda deve informar o motivo da recusa. Veja abaixo o formulário, que assim como nas campanhas de vacinação anteriores, mente descaradamente ao dizer que a vacina é segura, apesar dos inúmeros casos que provam o contrário. A recomendação das meninas vacinadas serem mantidas em observação por 15 minutos é feita também na bula da vacina (veja mais abaixo):

Vacina contra HPV Recomendada pela OMS, que por sua vez já foi acusada de beneficiar a indústria das vacinas

Após a suposta epidemia da gripe suína, a OMS foi acusada pelas mais diversas organizações e países de ter beneficiado a indústria farmacêutica das mais diversas formas. Vimos aqui neste blog como a OMS alterou o critério de declaração do nível 6 de pandemia para corresponder a qualquer vírus de gripe e favoreceu de várias formas a indústria das vacinas, além de ter em seu conselho pessoas com conflito de interesse que estavam na folha de pagamento das empresas produtoras das vacinas.

Novamente a OMS recomenda esta vacina para todos os países onde a “prevenção do câncer do colo do útero é uma prioridade de saúde pública“, o que em outras palavras vale para praticamente todos os países. Os outros dois pontos da recomendação da OMS: “onde a introdução é programaticamente viável e economicamente sustentável“, e ainda onde “os aspectos de custo-efetividade foram devidamente considerados“. Levando em conta que o Brasil não faz investimentos (reais) em saúde e educação, que os benefícios desta vacina não são claros, e que os riscos dela são evidentes, não acredito os aspectos de custo-efetividade foram realmente considerados.

Estudo científico mostra conspiração entre a OMS e a indústria das vacinas ao expor supostos especialistas que aconselhavam a OMS e estavam na folha de pagamento da indústria farmacêutica (Veja detalhes)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) é o tema de uma investigação que visa descobrir o que realmente aconteceu durante a pandemia global de gripe de 2009, o que levou a dezenas de milhões de pessoas a serem vacinadas para a chamada “gripe suína“. Uma investigação conjunta pelo British Medical Journal (BMJ) e o Bureau of Investigative Journalism (BIJ) já descobriram grandes conflitos de interesse na OMS, onde as empresas de vacinas lucraram muito com a pandemia e a histeria em massa que gerou.

A investigação é focada especificamente no comitê consultivo de emergência, que foi designado para fazer recomendações oficiais à OMS sobre como planejar para a pandemia, que foi repleta de polêmica desde o início. Compondo este painel consultivo estavam indivíduos altamente conectados a empresas farmacêuticas, disseram os jornais científicos BMJ e BIJ, muitos dos quais tinham interesses financeiros na promoção de medicamentos antivirais e vacinas contra a gripe, que foram associadas a problemas como a narcolepsia e outros distúrbios. Leia mais…

Bula – Composição, Efeitos Colaterais e Precauções

Para quem quiser ler a bula, disponibilizo aqui neste link a bula da vacina Gardasil. Vamos apenas realçar algumas partes que me chamaram atenção em um primeiro momento:

No item 5, parte de advertências e precauções vemos: “…a administração da vacina quadrivalente recombinante contra  papilomavírus humano (tipos 6, 11, 16 e 18) pode não resultar em proteção para todos os que recebem a vacina“.

Carcinogênese e mutagênese: A vacina quadrivalente recombinante contra papilomavírus humano (tipos 6, 11, 16 e 18) ainda não foi avaliada quanto ao potencial de causar carcinogenicidade ou genotoxicidade. Isto quer dizer, a vacina que deveria prevenir o câncer pode causar câncer.

Experiência Pós-comercialização

As seguintes experiências adversas foram relatadas espontaneamente durante o uso pós-aprovação da vacina quadrivalente recombinante contra papilomavírus humano (tipos 6, 11, 16 e 18). Como tais experiências foram relatadas voluntariamente em uma população de tamanho incerto, não é possível estimar de forma confiável a freqüência ou estabelecer uma relação causal com a exposição à vacina.

Distúrbios do sangue e sistema linfático: linfadenopatia.

Distúrbios do sistema nervoso: tontura, síndrome de Guillain-Barré, cefaleia, síncope.

Distúrbios gastrintestinais: náuseas, vômitos.

Composição

Ingrediente ativo:

cada dose de 0,5 mL contém aproximadamente 20 mcg de proteína L1 do HPV 6, 40 mcg de proteína L1 do HPV 11, 40 mcg de proteína L1 do HPV 16 e 20 mcg de proteína L1 do HPV 18.

Ingredientes inativos:

cada dose de 0,5 mL da vacina quadrivalente recombinante contra papilomavírus humano (tipos 6, 11, 16 e 18) contém aproximadamente 225 mcg de alumínio (como o adjuvante sulfato hidroxifosfato de alumínio amorfo), 9,56 mg de cloreto de sódio, 0,78 mg de L-histidina, 50 mcg de polissorbato 80, 35 mcg de borato de sódio e água para injeção. O produto não contém conservantes ou antibióticos

CTAI – Comitê Técnico Assessor em Imunizações 

No Brasil, temos um Comitê Técnico Assessor em Imunizações (CTAI), que é um comitê assessor do Ministério da Saúde do Brasil em questões sobre vacinação. Alem de diversas entidades e sociedades, além de “pessoas individualmente experts em vacinação de reconhecido saber“. Estou fazendo uma pesquisa a fundo, mas não seria de se espantar, se assim como aconteceu com a OMS, este comitê contenha pessoas estreitamente ligadas à indústria das vacinas.

Cura Natural?

Apesar da crença generalizada de que a infecção pelo HPV é uma força letal contra a qual só temos a vacinação e a espera vigilante para nos defender, foi recentemente confirmado por um estudo que tanto a antiga medicina de ervas como as defesas imunológicas inerentes do nosso corpo têm poder significativo contra esta doença.

Um estudo inovador publicado no Jornal Asian Pacific de Prevenção do Cancro, intitulado “Cura de Infecção do Colo do Útero pelo Papilomavírus Humano Através da Aplicação Tópica de Curcumina e Curcumina Contendo Creme fitoterápico: Um Estudo Fase II Controlado Randomizado”, revela que a vacinação e espera vigilante não são os únicos o recurso contra a infecção por HPV.

A curcumina, substância encontrada no pó amarelo-alaranjado extraído da raiz da cúrcuma ou açafrão-da-índia (Cúrcuma longa).

Quem sabe este 1 bilhão de reais gastos nesta perigosa campanha não teria sido muito melhor utilizado financiando uma pesquisa para transformar a curcumina em medicamento não patenteado?
Leia mais…

Como registrar um efeito adverso da vacina HPV (e de outras vacinas)?

Infelizmente no Brasil não existe um registro de efeitos adversos de vacinas que seja publicamente disponível para qualquer um pesquisar. Os órgãos de saúde monitoram sim os efeitos adversos, mas com o único objetivo de abafar os casos tão logo quanto possível e assim evitar que as pessoas vejam a realidade e os consequentes processos na justiça que ocorreriam se estes casos forem amplamente divulgados.

Registro Nacional dos Efeitos Adversos das Vacinas

efeitovacinasPensando nisso eu criei um site chamado www.efeitosvacinas.com, onde qualquer pessoa pode registrar um efeito colateral causado pela vacina. Os relatos são verificados antes de serem publicados. No relato as seguintes informações podem ser acrescentadas:

  • Título
  • Descrição: um resumo do relato, os efeitos adversos detalhados que aconteceram
  • Data vacinação
  • Data do efeito adverso: quando os primeiros efeitos adversos surgiram?
  • Idade (anos e meses)
  • Tipo vacina: aqui vai o tipo da vacina: da gripe, HPV, Hepatite B, etc…
  • O lote da vacina (se tiver a informação)
  • Estado: estado do Brasil onde ocorreu o caso
  • Gravidade: quão grave foi o efeito adverso, como emergência hospitalar, invalidez permanente, hospitalização prolongada, sequelas ou morte.

A cidade onde aconteceu, para que seja apresentado no mapa que aparece na página inicial, pode ser encontrada digitando o nome na caixa de texto embaixo do mapa e clicar no botão “Encontrar localidade”. Após confirmar a localização está correta no mapa, o sistema preenche o campo “Refinar nome do local”, geralmente ele coloca também a Região, que pode ser removida, deixando apenas cidade e estado.

  • Link de fonte de notícias: aqui podem ser inseridos links para notícias que comprovem o relato. Através do botão “+” ao lado da caixa para o endereço podem ser acrescentadas outras fontes de notícias.
  • Link de Vídeo Externo: link para vídeos do youtube podem ser colocados aqui com alguma reportagem ou vídeo caseiro que ilustre o relato do caso de efeito adverso de vacina.
  • Enviar fotos: Podem ser acrescentadas fotos mostrando os efeitos adversos, ou quaisquer fotos para ilustrar o relato. Podem ser acrescentados também imagens de laudos médicos ou exames que comprovem os efeitos adversos. Caso queira manter o anonimato os nomes podem ser removidos dos exames e laudos.

Se você conhece alguém que foi afetado(a) por qualquer vacina, mostre a ele(a) este site para que mais pessoas tenham acesso a estas informações. As informações pessoais de nome, sobrenome e email são opcionais, mas peço que deixem o email para que eu possa contactá-los sobre informações adicionais, em especial para que possa criar artigos com maiores detalhes sobre o caso.

Conclusão

Em vista dos riscos reais da aplicação desta vacina, associado a suspeita em torno dos estudos que mostram os supostos benefícios, é de extrema importância que a sociedade brasileira se conscientize sobre informações reais sobre a vacina contra HPV. Infelizmente a mídia e o governo ainda têm se mostrado omissos em mostrar os dois lados da questão. Faça sua parte, divulgue o material contido neste post. Não acredite simplesmente no que mostrei aqui, verifique as fontes e tenha sua própria opinião.

Se você desejar nos ajudar a divulgar estas importantes informações, você pode criar um link para este artigo em seu site ou página usando o banner abaixo:

dossie vacina hpv

Endereço da imagem: http://www.noticiasnaturais.com/wp-content/uploads/2014/03/dossie_vacina_hpv.jpg

Veja ainda:

Japão Retira Apoio à Vacina Contra HPV Devido aos Efeitos Adversos, Como Infertilidade e Paralisia

Expert em Remédios Diz Que Vacina para Câncer Cervical É mais Mortal Que O Próprio Câncer

Estudo Mostra Fraude entre a Indústria Farmacêutica e a OMS na Farsa da Pandemia da Gripe H1N1
Estudo Mostra Conluio entre OMS e Indústrias Farmacêuticas

Vacina contra o HPV: Nem Tudo que Reluz é Ouro
http://www.noticiasnaturais.com/wp-content/uploads/2014/03/vacina_hpv_nem_tudo_que_reluz.jpg

Fontes:
Site Notícias Naturais: [Dossiê] Vacinação Contra HPV Conheça o Perigo que ela Representa e Tome uma Decisão Informada
[ESTUDO] Human papillomavirus (HPV) vaccine policy and evidence-based medicine: are they at odds? (PDF completo)
Tokio News: HPV VACCINE SEEN DIFFERENTLY BY JAPAN AND THE U.S.
Folha: Vacinação contra vírus HPV divide opinião de médicos
O Nortão: Às vésperas de campanha nacional, vacina contra HPV ainda gera polêmica entre especialistas
Mayo Clinic: More Parents Say They Won’t Vaccinate Daughters Against HPV, Researchers Find
Bula Vacina Gardasil MSD
Blog Anti-NOM: Vacina Gardasil Contaminada com DNA recombinante de HPV – Brasil Planeja Garantir Vacina Contra HPV “de Graça” Para Todas as Mulheres de 9-45 Anos
SBMFC: SBMFC alerta sobre vacinação contra HPV no SUS
Diário Democrâtico: Vacinação contra HPV na rede pública começa em 10 de março
– Fórum Anti Nova Ordem Mundial: 15 adolescentes são levadas para hospital após tomar vacina contra HPV
– Gazeta Regional: Lajinha: 15 adolescentes são levadas para hospital após tomar vacina contra HPV

 

 

Share on Facebook15.6kTweet about this on TwitterShare on Google+68Email this to someone

Posts relacionados:

34 Comments

  • Antônio Carlos Avelar Pacífico disse:

    Boa Noite, gostei de tomar conhecimento dos problemas causados pela vacina HPV.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • marcks disse:

    Muito bom o site, obrigado por compartilharem conhecimento, más a coluna do meio onde fica o texto esta muito estreito não poderia alargar mais?? a ONU na realidade é uma Org Nazistas unidas que seguem as diretrizes da NWO, portanto as vacinas são para implantar e disseminar as doenças ao contrario do que dizem oficialmente.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • regina j vieira disse:

    fiquei muito imprecionada com que acabei de ler. como avó fico sem saber o que fazer mais vou alertar meus filhos e meus parentes sobre essa vacina,sempre tive um pé atraz com essas vacinas,sou muito descofiada antigamente não tinha tanta doenças e quaze não tinha vacina e agora com tamto vacina aparece tanta doença diferente,que a gente nunca ouvio falar…………só por Deus nós estamos salvos de tudo isso.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Rudmar disse:

    Mais um absurdo da industria farmacêutica.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • lucia carmona disse:

    Pelo amor de Deus, onde vamos parar com tantas coisas absurdas que vemos nesse mundo. A ganância do homem não tem limites. Há muito tempo que desconfio de tantas ações em massa. Ainda bem que não vacinei minhas filhas. é melhor confiar na natureza do que no homem.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • isabela disse:

    tenho 11 anos e não vou tomar essa vacina nem que seja arrastada. eu já estava desconfiada dessa vacina. eu tenho vários problemas de saúde muito sérios e as vacinas sempre pioram esses problemas. imagine se eu tomasse ela? já morria na hora. pode vim até satanás atrás de mim, mais eu não vou tomar. me recuso.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

    • vanda disse:

      É isso aí Isabela, ñ aceite mesmo, e além disso fale a todas as suas amigas e fale pra elas
      passarem pra outras também. Divulgue e vç estará ajudando e fazendo o bem a muitas pessoas inocentes. Se possível, passe o nome deste SITE pra todas…

      Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

    • RICARDO FILHO disse:

      Isabela se um dia te obrigarem peça que assinem o seguinte documento para sua garantia; duvido que alguém vai ter coragem de assinar:
      COMPROVANTE DE VACINAÇÃO

      1 – __________________________________________, necessita ser vacinado.
      Nome do paciente

      2 – Não ocorre nenhum perigo de complicações nem acidentes imediatos ou remotos, atribuíveis à vacinação, segundo se depreende do prolongado exame clínico, de laboratório e radiológico que indispensavelmente deve ser praticado em cada caso.

      3 – O paciente ficará devidamente imunizado (protegido) contra a enfermidade pela qual se vacina por um prazo de _________________________________________________

      4 – Enfermidade a ser imunizada: ______________________

      5 -Tipo de vacina: _________________________________

      6 – Hospital/Posto de saúde/Consultório:________________
      ______________________________________________
      Outros: ________________________________________

      _____________________________
      Assinatura Médico responsável
      CRM: _____________________

      Data: ______/______/______

      Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Diogo disse:

    Para quem quiser saber mais sobre a máfia médica e todas as suas mentiras sobre medicamentos e vacinas procurem ler matérias de Ghislaine Lanctot.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Claudia disse:

    Estou chocada. Vacinei minha filha de 16 anos e de um mês para cá ela dorme muito. Diz não saber o que está acontecendo para ter tanto sono. Estou me sentindo culpada. Que irresponsabilidade!

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Dilceu disse:

    vacinei minha filha de 13 anos dias depois teve desmaio, caminha 300mts já tá se sentindo mal, e ela percebeu que seu batimento cardíaco mudou e 30 dias após deu trombose venosa profunda, ela me disse pai depois que eu tomei a vacina não me cinto mais a mesma, a secretaria da saúde não informou os efeitos colaterais que são muitos e ainda foi aplicada em uma escola, isso inadmissível. e agora quantos anos vai para ela melhorar se é que não vai ter mais complicações, me sinto culpado por permitido.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Dilceu Petry disse:

    Pois é para nossa família esta vacina tem sido um tormento,apos minha filha de 14 anos tomar a vacina em março deste ano teve desmaio dores no corpo não dormia direito e dias depois teve trombose venosa profunda na mesma perna onde aplicaram a vacina.Pra nós tudo esta relacionada a esta maldita vacina uma vacina nova e sem confirmação de eficácia ,e agora o que fazer a secretaria da saúde diz que vai verifica mas já estou vendo que nada vão fazer.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Dafne disse:

    Por favor, me respondam, deixei minha filha tomar a primeira dose e agora não quero que tome a segunda…. será que terá algum problema? Obrigada!

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

    • admin disse:

      Claro que não terá nenhum problema não Dafne,a não ser para o governo que ficará com um monte de vacinas encalhadas. Siga sua cabeça, investigue e tome sua própria decisão.

      Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Renan disse:

    A indústria farmacêutica é o negócio mais corrupto do mundo. Como toda empresa, o objetivo é gerar lucro, e de preferência MUITO lucro. É engrançado, não espantam as pessoas todos os absurdos que envolvem as empresas de construção civil ou fabricantes de automóveis. Mas a indústria farmacêutica deve ser filantropia, para estas pessoas.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Silvana disse:

    Nossa se soubesse de tudo isso jamais teria vacinado minha filha de 12 anos!!!
    Estou chocada e triste pelas familias dessas crianças que tiveram reações sérias.
    Se algo tivesse acontecido com minha filha iria me culpar pra sempre.Será que ainda pode acontecer de surgir algum efeito colateral,mesmo 5 meses depois?
    Absurdo este nosso país…segunda dose jamais,se depender de mim podem mofar nos postos.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Suzane disse:

    Parabéns ao autor do site, pois essas informações precisam mesmo ser divulgadas ao máximo. O artigo está muito bem construído, com citação de fontes que dão credibilidade.
    Já vou divulgar essas informações entre as pessoas conhecidas. Eu não quero que alguma filha minha ou qualquer outra menina se arrisque a tomar essa vacina.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Pedro Plinio disse:

    Eu sou contra! Os Laboratórios querem ganhar dinheiro através de doenças futuras, com os efeitos colaterais e doenças futuras provindas desta vacina.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Cássia Desire disse:

    Estou chocada com tudo que li, e com tudo que vi em vídeos, tenho uma filha linda e saudável de apenas 03 anos de idade, e agradeço a Deus por eu ter a oportunidade de ter acesso a essas informações.
    Parabéns e obrigada ao autor do site.
    Ficaria muito feliz se todos os brasileiros pudessem ter acesso a esse tipo de informação antes de saírem acatando do governo, mas a realidade é que embora o mundo hoje seja globalizado para muitos existem outros tantos que sequer tem uma geladeira em casa.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • eridiane disse:

    Olá. Vacienei minha filha (muito contrariamante) com a primeira e a segunda dose da vacina. Agora, após ler estes relatos me senti tão boba e ignorante, deveria ter sido rigorosa e não tê-la levado. Mas agora, não tem como voltar atrás! Minha duvida é em relação a terceira dose. Existe problema se ela não tomar a terceira dose, visto que ela tomou as duas primeiras?

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Jéssica disse:

    E também nem sempre é o organismo que reage contra, vai olhar quantos postos de saúde estão em más condições, nunca se sabe se a vacina estava dentro do prazo de validade, ou se as(os) enfermeiras(os) a cada vacina feita trocaram as agulhas já usadas por novas. Como já disse no comentário a cima eu esto bem sem nenhuma reação contra. Pensem que a responsabilidade não é só de quem produz o remédio, mas também é de quem fez,como fez(se fez certo ou errado), se o remédio está no prazo de validade,de trocar a seringa usada por nova, o modo de armanezamento do produto.
    Pensem nisto…..

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • oscar disse:

    Eu sou Colombiano,e voi falar sobre estas vacinas q tudos los gobernos mundiales, ta implantando a tudas las mininas,de certa edade, estas vacina de Papiloma Humano, tene uma finalidade e es la esterilizar a tudas las mininas, esta vacina deixa infertil a estas mulheres, e so produce a morte del utero, tamben produce muitas otras enfermedades mortales, que la mesma poblacion desconece, pero el verdadeiro proposito de esta vacina es de Matar el Utero de estas mininas q sao las futuras creadoras de vida. Esto es um programa mundial apoyado por la mas organizacion mais asesina del planeta, la llamada Organizacion Mundial de la Salud (OMS) que desde su inicio so ha ficado envenenando la humanidad con medicamentos a base de quimica y con suas Vacinas contaminadas, aplicandolas durante anos a toda la humanidade.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • eliezer disse:

    a melhor vacina para hpv , é boa higiene
    e só ter relação com uma pessoa , o corpo feminino foi feito só para um semem , só pesquizar que isso é sentifico

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • RAQUEL IRIS FERREIRA PRADO disse:

    TRABALHEI EM UMA UNIDADE DE SAÚDE E APOS A VACINAÇÃO CONTRA O HPV 40 MENINAS TIVERAM QUE SER ATENDIDAS APOS UM MAL SÚBITO .

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Edilene disse:

    Trabalho em um posto de saúde SP e não sei o que fazer pois gostaria de impedir que essas meninas tomassem esse veneno mortal…vou alertar as mães antes de mandar aplicar.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Sou responsável por minha neta.Quando investiguei na internet sobre esta vacina,encontrei muitos relatos bárbaros e tristes.Ela foi a única de sua sala que não tomou esta vacina.Eu não aprovei.E não estou nem um pouco arrependida.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Sou responsável por minha neta.Antes da vacina,investiguei na internet sobre,e encontrei coisas bárbaras e tristes.Ela foi a única de sua sala de aula que não tomou esta vacina,pois não dei autorização.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • raquel barbosa disse:

    Minha filha foi vacinada ontem na escola de forma forçada ela disse q não tomaria a vacina pois eu não havia autorizado e mesmo assim a escola a vacinou, sem meu consentimento ou autorização,estou revoltada com a atitude da escola e fiz a escola carimbar o cartão d vacina dela pra comprovar q ela tomou na escola se caso acontecer algo responsabilizo a escola

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • vondete disse:

    CONCORDO plenamente, é para desconfiar e não tomar mesmo. Tive uma bursite-de-quadril e descobri que nem um remédio de laboratório da terra cura, só o Laboratório de DEUS, nele encontrei a cura e larguei a bengala.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Lilkane disse:

    Tomei a vacina do HPV na época sem saber dos efeitos colaterais, lembro de ter visto várias meninas desmaiarem depois e ter tomado a vacina, e algumas com dor d e cabeça não sei se foi por conta da vacina, apenas sei que foi depois de terem tomado a mesma, agora que sei parte da verdadeira história, a parte que a grande mídia quer esconder, não tomarei a tose de que está marcada para ser tomada em 2019.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Eu na verdade não tomo essa vacina não sei mas eu acho estranho essas vacina prefiro correr risco do que toma a vacina depois que li esse artigo agora mesmo que não tomo

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

1 Trackback or Pingback

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe