Notícias Naturais
Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+13Email this to someone

30 Soluções Caseiras de Acordo com EspecialistasTome essa canja, você vai se sentir melhor“. Quem nunca ouviu essa frase da mãe, da avó ou da tia enquanto estava nocauteado por um resfriado fortíssimo? Canja de galinha para curar gripados, chá de erva-doce para “chamar o leite” das mães de recém-nascidos, banho morno para baixar a febre das crianças. De geração em geração, uma lista de receitas caseiras para curar problemas de saúde é retransmitida. Algumas chegam a ser inusitadas, como dormir com maionese no couro cabeludo para sufocar os piolhos.

Mas será que esses truques eternizados pelo conhecimento tradicional funcionam de fato? Alguns sim e outros não, apontam os 30 especialistas ouvidos pela Folha para comentar 30 práticas de curas caseiras publicadas em livros de medicina natural e de soluções para o dia-a-dia.

Mãos inchadas pela artrite
Dormir de luvas
O aquecimento promovido pela luva pode atenuar sintomas vasculares, como mãos pálidas, roxas e frias, característicos do fenômeno de Raynaud (síndrome que acompanha muitos quadros reumáticos). Mas, contra o inchaço e a inflamação, especificamente, não é um método eficiente. Por ser uma doença inflamatória, a artrite não é desencadeada de fora para dentro.

Livrar-se de calos
Passar pedras e lixas diariamente
Quem tem pele espessa pode lixar os pés uma vez por semana, mas usar a lixa diariamente não é recomendado em nenhum caso, porque tira a defesa da pele. Ao ter a pele lixada, o organismo funciona como se estivesse faltando algo naquela região e estimula ainda mais essa pele a se tornar espessa. Nas peles mais delicadas, o uso da lixa pode até gerar fissuras no calcanhar. A hidratação diária dos pés com cremes é um método mais eficiente e seguro.

Ansiedade
Respirar fundo
Só respirar fundo não adianta. Quando a pessoa está muito ansiosa, tende a encher o peito apenas, o que não promove uma oxigenação adequada –para uma boa oxigenação, o segredo é estufar o diafragma e esvaziar o pulmão. Então a dica deveria ser “respire naturalmente”. E, quando a respiração estiver sob controle, tentar fazer expirações um pouco mais longas que as inspirações.

Lábios rachados
Aplicar vaselina
A medida é simples e realmente funciona. A vaselina é um hidratante eficiente, mantém a umidade da pele e não deixa os lábios ressecarem. Para a boca, o melhor é optar pela vaselina sólida ou no formato de lápis.

Piolhos
Dormir com maionese no couro cabeludo (sob uma touca)
Segundo os especialistas, a maionese pode atuar de duas maneiras: sufocando os piolhos e facilitando a remoção posterior com pente fino. Não há riscos relacionados a toxicidade, pois a maionese é feita apenas com gema de ovo, óleo e, às vezes, limão. Mas o tratamento não pode ser considerado totalmente efetivo e não existe nenhuma comprovação científica desse método.

Pele seca
Banho de leite
O leite puro não tem contra-indicação nenhuma, porém sua formulação não é adequada para a hidratação corporal. Uma opção é utilizar leite mais óleo de semente de uva, pois a proteína e a gordura do leite associadas à ação emoliente do óleo de semente de uva deixam a pele mais macia. Para ser aplicado puro, o mel é mais eficiente como hidratante.

Mau cheiro no pés
Aplicar o mesmo desodorante das axilas
Não existe nenhum problema em aplicar um desodorante spray nos pés. Porém, antes de aplicar, é preciso investigar se o mau cheiro não está sendo causado por uma infecção por fungo (micose). Nesse caso, a micose pode demandar tratamento específico antifúngico. Não sendo um caso de micose, o desodorante pode ser útil para prevenir odores indesejáveis.

Dor de Ouvido
Pingar álcool
O álcool não trata problemas de ouvido, mas pode atuar como um preventivo contra otites externas, causadas pela entrada de água. Quem vai a uma piscina, por exemplo, pode pingar quatro ou cinco gotas de álcool acima de 80% (encontrado em farmácias) –não pode ser o mesmo álcool usado na limpeza. Ele ajudará a evitar que a água entre no ouvido. O produto não tem nenhuma ação, porém, contra um outro tipo de otite, que ocorre na ouvido médio.

Inchaço pré-menstrual
Comer menos sal
Nessa fase, o corpo retém mais líquido. Como contribui para essa retenção, o sal, assim como carnes, frutos do mar e outros alimentos ricos nele, devem ser evitados. Chocolate, refrigerantes de cola e café também devem banidos do cardápio no período pré-menstrual.

Febre
Tomar banho morno
Para que a medida surta efeito, a água tem de estar numa temperatura inferior à do corpo e o banho não pode ser muito rápido. Nessas condições, a febre diminui devido a trocas físicas de calor: com o tempo, o calor do corpo passa para a água e, com isso, a temperatura da pessoa diminui.

Para evitar quedas bruscas de temperatura, que fazem o doente se sentir mal, a água não pode estar muito fria. Pelo mesmo motivo, também não se deve usar álcool. Como a febre é uma manifestação de que algo está errado no organismo, é fundamental ir ao médico para descobrir e tratar o que está causando o problema.

Infertilidade feminina
Emagrecer ou engordar alguns quilos
De fato, o peso acima ou abaixo do ideal interferem no ciclo hormonal da mulher e são prejudiciais à fertilidade. Isso vale também para os homens –além de a obesidade interferir em seu ciclo hormonal, estudos mostram que aqueles com sobrepeso têm maior índice de fragmentação do DNA do espermatozóide, o que pode gerar falha na fertilização.

Uma fórmula simples de calcular o peso ideal é pelo IMC (Índice de Massa Corpórea). Basta dividir o peso (em quilos) pela altura (em metros) ao quadrado. Quem tem IMC abaixo de 20 ou acima de 30 terá sua fertilidade prejudicada –o ideal é ficar entre 20 e 25. Álcool, café e exercícios em excesso são outros fatores que podem prejudicar a fertilidade.

Olhos ressecados
Comer peixe
Pesquisas demonstram que o ômega 3, presente nos peixes de água fria e em alimentos como as sementes de linhaça, ajuda a melhorar os sintomas do olho seco. Uma dieta rica na substância ou mesmo suplementos de óleo de peixe ou de linhaça são indicados pelos oftalmologistas como complementares no tratamento, que pode envolver, também, medicamentos e colírios.

Expelir cálculos renais

Chá de quebra-pedra
As propriedades da planta Phyllantus niruri, conhecida como quebra-pedra, ainda estão em estudo. Pesquisas com ratos comprovam que o chá relaxa a musculatura do sistema urinário e faz com que o cálculo diminua de tamanho e seja eliminado do corpo com mais facilidade.

No entanto, não se sabe se esses benefícios se estendem aos seres humanos. De qualquer forma, como já é comprovado que a bebida não é tóxica nem tem contra-indicações, é possível aliá-la ao tratamento médico –além do mais, beber líquidos é importante para dissolver os elementos que se depositam nos cálculos renais, formando-os ou fazendo-os crescer.

Brotoejas
Cobrir a pele com amido de milho
As brotoejas são uma reação do organismo à retenção do suor sob a pele. Por ser um veículo pastoso e frio, o amido de milho ajuda a absorver o suor retido embaixo da pele, que é o causador das brotoejas. O efeito só é atingido, porém, quando o amido está diluído em água. Aplicado puro sobre a pele, o amido forma uma placa, não circula com a mesma facilidade e não resolve o problema. Outras recomendações são aumentar a freqüência de banhos, usar roupas leves e deixar o ambiente ventilado, para que a pessoa sue menos.

Pele oleosa
Lavar o rosto com água quente
A água quente desengordura a pele e diminui a oleosidade. O sabonete também age dessa forma. O efeito, no entanto, é passageiro: dura poucos minutos ou algumas horas, dependendo da quantidade de sebo. Como têm menos gordura na pele, pessoas idosas devem evitar lavar o rosto com água nessa temperatura.

Mau hálito
Mascar cravos
O cravo pode até mascarar o hálito ruim, mas só se o problema não for muito intenso. De qualquer forma, ele não trata o mau hálito persistente. Algumas orientações básicas para evitar o incômodo são evitar jejum acima de quatro horas, beber muito líquido, escovar bem os dentes e a língua e usar fio dental. Se mesmo assim o problema continuar, deve-se consultar um especialista.

Infertilidade masculina
Não fazer sexo por alguns dias para “armazenar” esperma
A afirmação não tem comprovação científica. Um fator que pode prejudicar a qualidade do sêmen é a exposição ao calor próximo à bolsa escrotal. Profissionais como cozinheiros e soldadores e homens que freqüentem muito saunas devem tomar mais cuidado.

Hemorroidas
Fazer banhos de assento com água quente
Existem dois tipos de hemorroidas: internas (que passam despercebidas até que sangram) e externas (que doem, têm aspecto feio e podem sangrar). Para esse último tipo, o banho de assento funciona para tratar a crise, já que o calor úmido tem funções analgésica e antiinflamatória.

Ele também é melhor para fazer a higiene, já que o papel higiênico pode causar traumas. O banho, em uma bacia que permita a imersão da região doente na água, pode ser repetido à vontade. Recomenda-se tomar cuidado com a temperatura para evitar queimaduras. Para secar, o ideal é usar secador morno ou toalha felpuda.

Dor de garganta
Fazer gargarejo com água e sal
A solução ajuda a remover secreções e a limpar o local e dá um certo conforto, mas não resolve sozinha o problema. Se a água for quente, o efeito é melhor, pois o calor atua como antiinflamatório. O sal ajuda a manter o equilíbrio osmótico, deixando a solução parecida com o soro do nosso corpo, mas não tem ação bactericida. É preciso ir ao médico para investigar a causa da dor, que pode ser até um câncer.

Problema de memória
Beber mais café
A cafeína estimula tanto a memória de curto prazo quanto a de longo prazo. O café também possui substâncias chamadas ácidos clorogênicos, que formam compostos durante a torra –as quino-lactonas– que modulam e melhoram o humor, o que também tem efeito positivo na memória. Pesquisas mostraram que o consumo da bebida por estudantes aumentou a atenção, a memória e o aprendizado em de 10% a 15% dos casos, comparados com um grupo de controle.

Enurese (xixi na cama)
Evitar que a criança ingira bebidas com cafeína
A cafeína pode ter uma ação diurética, mas, em bebidas como chás e café-com-leite, o potencial diurético é muito pequeno para gerar algum problema. Quanto ao leite, ele pode ter sido associado ao xixi na cama devido ao hábito que muitas crianças têm de tomar mamadeira ou um grande copo de leite à noite, mas ele não tem nenhuma propriedade diurética. O que influencia a enurese noturna é o consumo de qualquer líquido após o jantar (por volta das 18h ou 19h), seja ele leite, chá, café, refrigerante ou suco. O ideal é que a criança ingira bastante líquido durante o dia, entre as refeições, e, depois disso, treine o controle sobre a bexiga.

Psoríase
Tomar 15 a 20 minutos de sol diários
A psoríase é uma doença inflamatória da pele e a luz ultravioleta (UVA e UVB), por ter uma ação antiinflamatória, ajuda a recuperar as lesões causadas pela doença. O ideal é que a exposição ocorra justamente no horário em que a luz é mais forte, das 10h às 14h. A área atingida pela psoríase não deve receber protetor solar, pois o produto filtra os raios UVA e UVA.

Enjoo de grávida
Água com limão
Bebidas geladas e azedas combatem a náusea ao diminuir a hipersalivação que as gestantes costumam ter. Já as bebidas quentes e doces podem piorar o enjôo.

Dificuldades para amamentar
Chá de erva-doce
Substâncias calmantes, incluindo chás como o de erva-doce, atuam na região da hipófise, elevando o nível de prolactina, que, por sua vez, é responsável pela produção de leite.

Candidíase
Ducha vaginal de água e vinagre
Teoricamente, a ducha de vinagre ajuda a combater a candidíase, doença causada por um fungo que se prolifera quando o pH da vagina sobe e se aproxima do neutro. O vinagre, por sua acidez, ajuda a diminuir o pH da vagina e isso tornaria o ambiente menos propício ao fungo. Porém, a ducha, por ser muito forte, pode levar o vinagre a entrar na vagina, destruindo os lactobacilos vivos, que são importantes para a regulação natural do pH. O uso do vinagre, portanto, deve ser adotado com parcimônia, em lavagens externas.

Queimadura
Aplicar babosa fresca
O ingrediente ativo da babosa é a aloe vera, que tem uma ação antiinflamatória e calmante. Porém, caso a planta seja aplicada diretamente na pele, pode causar irritação, já que, durante o corte, a seiva da babosa pode entrar em contato com substâncias contaminantes. Além disso, a pele da região queimada é muito frágil e pode grudar no que for colocado sobre ela.

Irritação pós-barbear
Pôr camadas de pepino na pele
O pepino realmente possui uma ação adstringente muito grande, o que leva a um ressecamento do local e provoca uma vasoconstrição momentânea, o que diminui a tendência de inflamação da pele.

Picada de abelha
Aplicar amaciante de carne
A ação dos amaciantes de carne geralmente ocorre por meio de uma enzima digestiva (protease) e a crença de que esse produto ajuda a aliviar picada de abelha está ligada à idéia de que essas enzimas digeririam o veneno. Entretanto, o veneno age muito rapidamente no organismo para que o amaciante de carne possa cortar seu efeito. Além disso, o produto pode provocar queimaduras.

Fontes:
ALBERTO D’AURIA, ginecologista, coordenador clínico do hospital São Luiz
ANTÔNIO CARLOS RODRIGUES DA CUNHA, professor da faculdade de medicina da UNB
ARNALDO CAMBIAGHI, ginecologista-obstretra especialista em medicina reprodutiva, diretor do Centro de Reprodução Humana do Instituto Paulista de Ginecologia, Obstetrícia e Medicina da Reprodução
ARNALDO GANC, gastroenterologista do hospital Albert Einstein
ARTHUR TYKOCINSKI, dermatologista especializado em saúde capilar
CARMÉLIA REIS, dermatologista e chefe do centro cirúrgico-ambulatorial do Hospital Universitário de Brasília
DARCY LIMA, professor do Instituto de Neurologia da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro)
DENISE STEINER, presidente da Comissão de Ensino da Sociedade Brasileira de Dermatologia
EDILÉIA BAGATIN, professora do departamento de dermatologia da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo)
ÉRICA BURMEISTER, terapeuta do Kyron Spa
EVELIN GOLDENBERG, reumatologista da Unifesp
FABIANA DE CASTRO, dermatologista do Kyron Spa
JAIME DE OLIVEIRA FILHO, chefe do departamento de cosmeatria da Sociedade Brasileira de Dermatologia
JOSÉ ÁLVARO PEREIRA GOMES, oftalmologista, presidente da Associação dos Portadores de Olho Seco
LAERCIO PACHELLI, urologista da clínica de Enurese Infantil do Einstein
MARCELO ARNONE, supervisor do ambulatório de psoríase do Hospital das Clínicas
MARIA CÉLIA CONFESSOR, podóloga afiliada à Associação Brasileira de Podologia
MARIO SERGIO PALMA, professor do Laboratório de Venenos Animais da Unesp, em Rio Claro
MARIUZA PREGNOLATO, psicóloga especialista em psicologia analítica pelo Instituto Sedes Sapientiae
MAURÍCIO DUARTE DA CONCEIÇÃO, dentista especialista em halitose e diretor da Clínica Halitus
NESTOR SCHOR, nefrologista, membro da diretoria da Sociedade Brasileira de Nefrologia e professor titular da Unifesp
PAULO PONTES, otorrinolaringologista do hospital Albert Einstein e da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo)
RENATO KALIL, ginecologista e obstetra dos hospitais São Luiz e Albert Einstein
RICARDO LIMA, proctologista do Hospital Samaritano do Rio de Janeiro
ROGER LEVY, professor de reumatologia da Uerj (Universidade Estadual do Rio de Janeiro)
SILVIA DIEZ CASTILHO, pediatra, pesquisadora da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e professora da PUC de Campinas
VALÉRIA PETRI, professora titular do departamento de dermatologia da Unifesp
VALTER KOZMHINSKY, responsável pelo departamento de dermatologia da Sociedade Brasileira de Pediatria

Leia mais:

 

As 15 Melhores Ervas Medicinais

 

 

 

Plantas Medicinais para Melhorar a Memória

 

 

Fonte:
Folha de São Paulo: Especialistas comentam eficácia de 30 soluções caseiras

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+13Email this to someone

Posts relacionados:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe