Notícias Naturais
Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

maconha-no-combate-ao-cancer-por-que-a-midia-se-calaUm  estudo publicado na revista “Nature Reviews-Cancer”, fornece uma explicação histórica e detalhadas sobre como o THC e os canabinóides naturais combatem o câncer, mas preservam as células normais.

O estudo de Manuel Guzmán de Madrid, Espanha descobriu que os canabinóides, os componentes ativos da maconha, inibem o crescimento de tumores em animais de laboratório. Eles fazem isso através da modulação das principais vias de sinalização celular, induzindo a parada do crescimento e morte de células tumorais, bem como inibindo o crescimento de vasos sanguíneos que alimentam o tumor.

O estudo de Guzman é muito importante, de acordo com o Dr. Ethan Russo, um neurologista e autoridade mundial sobre a cannabis medicinal: “O câncer ocorre porque as células se tornam imortais, pois elas não prestam mais atenção aos sinais normais de desligar o crescimento. Uma função normal de remodelação no corpo exige que as células morram sob controle. Esta é a chamada apoptose, ou morte celular programada. Esse processo deixa de funcionar em tumores. O THC promove o seu reaparecimento, para que os gliomas, leucemias, melanomas e outros tipos de células, com efeito, fiquem atentas aos sinais, parem de se dividir, e morram.

Mas, isso não é tudo“, explica Dr. Russo: “A outra forma que os tumores crescem é garantindo que estes sejam alimentadas: eles enviam sinais para promover a angiogênese, o crescimento de novos vasos sanguíneos. Os canabinóides também desligam esses sinais. É verdadeiramente incrível, e elegante.”

Em outras palavras, este artigo explica diversas maneiras em que os canabinóides podem ser utilizados para combater o câncer, e, como diz o artigo, “Os canabinóides são geralmente bem tolerados, e não produzem os efeitos tóxicos das quimioterapias convencionais.

Normalmente, qualquer história que sequer sugira a possibilidade de um novo tratamento para o câncer é saudada com manchetes sobre a “cura do câncer”, quão remota e improvável seja. Mas se a maconha estiver envolvida, não esperem nenhuma cobertura da mídia, já que os editores tradicionais vêm silenciosamente matando esta história nos últimos 30 anos.

———————————————-

Um outro estudo mais recente, publicado em 8 de abril pelo mesmo grupo, demonstrou os benefícios da utilização da cannabis no combate ao Hepatocarcinoma, o câncer de fígado. Os pesquisadores descobriram em seus estudos que a cannabis promove a inibição do crescimento de células cancerígenas.

E em um terceiro estudo, publicado em 2009 por pesquisadores da Suíça, descobriram que “os efeitos anti-tumorais mediados pelos canabinóides não estão limitados a inibição da proliferação de células cancerígenas, mas os canabinóides também reduzem a angiogênese, a migração celular e metástase, inibem a carcinogênese e atenuam os processos inflamatórios.”
O intuito deste artigo não foi fazer apologia à maconha ou a qualquer tipo de drogas em geral, mas sim promover a discussão sobre uma das inúmeras possibilidades do uso da cannabis. Estes estudos vem sendo publicados há décadas, mas até hoje não chega com destaque na mídia corporativa. Pelo contrário, a mídia corporativa apenas foca em alguns poucos estudos que tentam mostrar que a maconha aumenta a incidência alguns tipos de câncer (aqui e aqui).

Fontes:
[Estudo] Nature Review – Cancer: Cannabinoids: potential anticancer agents
[Estudo] PubMed.gov:  Anti-tumoral action of cannabinoids on hepatocellular carcinoma: role of AMPK-dependent activation of autophagy.
[Estudo] PubMed: Cannabinoid receptor ligands as potential anticancer agents–high hopes for new therapies?
Rense.com: Cannabinoids Kill Cancer And Our’Government’ Has Known for 36 Years

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

Posts relacionados:

4 Comments

  • Moab disse:

    Caro…

    Tenho acompanhado seu site. Muito bom por sinal!

    Possuo várias referências sobre a famigerada maconha, tmb conhecida com Liamba, Diamba, Dirijo, Canhâmo (este é um anagrama de maconha), etc .
    Procurem pelos seguintes documentários:
    RUN FROM THE CURE: mostra o canadense Rick Simpson, que distribuia (ele não vendia, dava) um extrato de maconha para quem tivesse alguma doença grave como cancêr, aids, diabetes, esclerose, entre outras.
    THE UNION: Fala um pouco sobre a guerra contra a maconha e seus agentes.
    GRASS: Este foi lançado aqui no brasil pela superinteressante. Aborda a guerra contra as dorgas desde o começo do século passado até os dias atuais.
    Dirijo: Documentário patrocinado pela petrobras. Mostra um “aldeia” onde seus habitantes tinham uma boa relação com a planta até que o “caras pálidas” apareceram dizendo que eles não podiam ter aquela planta.

    A folha de são paulo promoveu um debate sobre a legalização da maconha. Nele dois importantes neurocientistas, um deles é o Sidarta Ribeiro, explicam o porque q a maconha deve ser legalizada.

    A maconha em todas as suas variadades tem um potencial imenso para o homem como na produção de remédios, textil, construção civil, alimentos, combustivel, papel, tratamento do solo, entre outros. Quem conhece sua história sabe que a proibição é um crime contra a humanidade.

    Bem.. vou ficando por aqui, mas existe muitos outros materiais sobre o assunto.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Ninguém disse:

    Não vou falar nada, vou postar apenas um site aqui.

    http://anticannabis.blogspot.com/2011/04/maleficios-da-maconha.html

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • Gilberto disse:

    O problema é que sempre que se noticia os benefícios da maconha na medicina, nunca se diz o meio como isso entra no corpo. Se for por extrato seco, cápsulas, tinturas ou outro agente, ótimo. Fumar é problema. Se liberar o uso medicinal, os “recreativos” vão chiar e exigir o mesmo tratamento. Acredito que uma abordagem crítica e séria seria imensamente importante, mas separando o medicinal do “recreativo”.

    Quanto aos benefícios alardeados para a humanidade como “textil, construção civil, alimentos, combustivel, papel, tratamento do solo, entre outros”, devemos esclarecer que existe uma confusão de má-fé nisso. Esses usos diversos são comuns para o cânhamo, que é uma planta da família da maconha, muitíssimo parecida, mas que não apresenta o THC. Então esse papo de que a maconha salva o mundo é bobagem.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

  • EDUARDO disse:

    SOBRE A CRIMINALIZAÇÃO DA CANABIS, LI SOBRE UM ENCONTRO DE MÉDICOS DE TODO O MUNDO (O QUE SERIA HOJE A OMS), QUE ACONTECEU NO EGITO EM 1925. NESSE CONGRESSO, TRATAVA-SE DE DEFINIR AS DROGAS QUE VIRIAM A SER PERMITIDAS E QUAIS NÃO. AO FINAL DO ENCONTRO DEPOIS DE DEFINIDAS HEROÍNA COCAÍNA, ANFETAMINAS, BENZEDRINAS E OUTRAS. UM MÉDICO SUL AMERICANO SUGERIU INCLUIR A CANABIS, PELOS EFEITOS RELAXANTES NO ROL DE DROGAS. ENTÃO DESDE 1925, SEM MAIS NEM MENOS A MACONHA VIROU UMA DROGA PERIGOSA, EU PENSO PARA QUE ESTUDAR TANTO E VIVER SÓ PELAS MOEDAS, TENHO DOENÇA GRAVE E FUMO MACONHA. ME AJUDA MUITO.

    Curtiu ou não o comentário?: Positivo 0 Negativo 0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Suporte nosso site
Social PopUP by SumoMe