Notícias Naturais
Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

Jovem tem pernas paralisadas após receber a vacina contra a gripe suína no Rio Grande do SPaciente está com os membros inferiores paralisados, mas o estado de saúde é estável

Uma jovem de 25 anos está internada no hospital Santa Casa de Rio Grande, no sul do Estado. A suspeita que está sendo investigada pela Secretaria Municipal da Saúde é de que ela pode ter tido reação à vacina contra a gripe A. A paciente está com os membros inferiores paralisados, mas o estado de saúde é estável.

Segundo a secretária municipal de saúde, Zelionara Branco, a doença que paralisa o corpo é chamada de síndrome deguillain-barré. A secretaria não descarta que a paciente tenha reação a algum do componente da vacina.

A Secretaria Estadual da Saúde reafirma segurança da vacina contra a gripe A. A campanha já imunizou 2,1 milhões gaúchos, registrando nove casos de reação (três quadros de paralisia facial, um caso de paralisia das pernas, e cinco de reações alérgicas em geral).

Segundo o coordenador estadual de vigilância em saúde, Francisco Paz, todos são sintomas neurológicos e reversíveis:

— Qualquer medicação pode dar esse tipo de reação. O número de reações é em número bastante pequeno. São reações individuais, que dependem de como o organismo da pessoa reage.

A secretaria orienta as pessoas que já tiveram algum tipo de reação neurológica a outras vacinas para não tomarem a dose contra a gripe A. Quem tem dúvidas, deve procurar o próprio médico para uma avaliação.

Jornal Agora:

Segundo a secretária municipal de Saúde, Zelionara Branco, no hospital, a paciente foi submetida a exame de liquor, cujo resultado foi compatível para a síndrome de Guillain-Barré. Nesta quinta-feira, ela fará exame de eletroneuromiografia, que dará melhores condições de definição do diagnóstico, conforme informado pela administração da Santa Casa à secretária.

———————————————————

Como sempre, as ‘autoridades’ da saúde defendem a todo o custo a vacina como segura e tentando relevar os efeitos adversos. Estou tentando conseguir os dados de reações adversas suspeitas e as confirmadas ocorridas em todo o país, o que seria normalmente papel da imprensa, mas que infelizmente fica passiva, neste importante momento. Manterei vocês informados.

Update (29/05):

De acordo com o Jornal Agora de Rio Grande, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) ainda está aguardando o parecer do Centro de Epidemiologia da Vigilância Sanitária do Estado sobre o caso da jovem de 25 anos com suspeita de reação à vacina contra a gripe A (H1N1). Conforme a supervisora técnica da SMS, Patríca Santos, o órgão estadual disse que enviaria, até o final da tarde de ontem, o laudo relativo ao caso da paciente, o que não aconteceu. A expectativa é que o documento chegue à secretaria nesta quinta-feira.

O esposo da jovem, Rodrigo Costa, acredita que seja realmente síndrome de Guillain-Barré, uma vez que a jovem vem respondendo positivamente ao tratamento para este diagnóstico. A recuperação está sendo lenta, mas nos últimos dias ela já tem dado alguns passos sem auxílio. A jovem está recebendo medicação e fazendo fisioterapia diariamente.

Costa relata que ela começou a ter formigamento e peso nas pernas quatro dias após fazer a vacina contra a gripe A. A Guillain-Barré é uma doença que afeta o movimento dos membros inferiores. Destaca que a esposa nunca foi alérgica a ovo e submeteu-se a vários exames, sendo que nenhuma infecção foi encontrada. “Era uma mulher extremamente saudável e ativa, responsável tanto no trabalho quanto com a casa e nossa filha”, ressaltou.

Conforme ele, em função disso, a situação financeira da família ficou dificil. Antes, a esposa trabalhava. Hoje não pode. E ele, que trabalhava em média dez horas por dia em sua estofaria, agora consegue dedicar-se ao serviço no máximo cinco horas, pois tem que ajudar a cuidar da casa, da filha e levar a esposa para a fisioterapia, entre outros afazeres.

No seu entender, as reações adversas da vacina deveriam ter sido amplamente divulgadas. “Se soubéssemos da existência de alguma reação adversa, teríamos no mínimo pensado antes. Essa foi uma doença que ela adquiriu não por imprudência ou descaso com sua saúde”, salientou.

Fontes:

Zero Hora: Jovem pode ter tido reação à vacina contra a gripe A em Rio Grande
Zero Hora: Investigada reação à vacina da gripe A
Jornal Agora: SMS investiga caso suspeito de reação à vacina contra gripe A
Jornal Agora: SMS aguarda parecer sobre caso suspeito de reação à vacina contra gripe A
Diário Popular: Exame pode confirmar reação à vacina em jovem rio-grandina

Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

Posts relacionados:

8 Comments